Nos últimos tempos, LSU e excelentes linebackers se tornaram sinônimos. A universidade se transformou em uma fábrica de produção dos melhores LBs do College Football. Apresentando ao mundo jogadores com a agressividade, instintos, inteligência e velocidade necessários à posição. Ver um linebacker de LSU ser escolhido nas primeiras rodadas do draft da NFL se tornou algo corriqueiro.

Nomes como Patrick Queen, Deion Jones e Devin White* ilustram os talentos que saem da universidade em direção a NFL. O que estes nomes têm em comum é o fato de terem sido lapidados pelo trabalho de Dave Aranda, coordenador defensivo de LSU de 2016 até 2019. Porém, Aranda não estará mais em Baton Rouge, tendo aceitado a posição de treinador em Baylor.

Aranda se notabilizou por creepers e simulated pressures no College Football. Nestes esquemas, quatro jogadores vão atrás do QB. Porém um jogador será 2º ou 3º nível da defesa, enquanto um atleta da linha defensiva dropa para auxiliar na cobertura contra o passe. Mas o segredo no excelente desenvolvimento dos linebackers de LSU é que Aranda começou sua carreira no futebol americano como técnico específico desta posição. Sendo assim um notório estudioso e professor de linebackers.

Além disso, o treinador também coloca enorme pressão no jogador que atua nesta posição em seu sistema defensivo, o obrigando a ter um enorme entendimento do que a defesa vai fazer. Mas, principalmente, ler o funcionamento do ataque adversário.

Patrick Queen, por exemplo, demorou praticamente dois anos e meio até ser utilizado como titular por LSU. E a espera valeu a pena. O jogador aumentou seu período de estudos de jogadas dos adversários e compreendeu melhor as nuances para atuar como linebacker (no High School jogou como running back). Assim que assumiu a titularidade da defesa, mostrou o seu valor e subiu como um foguete nos boards do draft, sendo escolhido na posição 28 pelo Baltimore Ravens.

O que o futuro reserva

Com Aranda, agora, em Baylor dá para se imaginar que os Bears agora vão desenvolver com maestria os seus linebackers. Mas o ensinamento que deixou em LSU não será apagado. E talentosos linebackers recrutados por ele ainda aguardam sua chance de brilhar pelos Tigers.

Olhando o atual roster de LSU o principal nome que se destaca é Damone Clark. Reserva de Jacob Phillips e Patrick Queen em 2019, o júnior terá em 2020 sua chance de brilhar pelo programa do técnico Ed Orgeron. Clark teve 50 tackles em 2019 e deve iniciar a temporada (se tiver…) como titular no meio da defesa dos Tigers.

*Na matéria, foram considerados apenas os inside linebackers, por isso nomes como K’Lavon Chaisson não foram citados.

DEIXE UMA RESPOSTA