Teremos a AFC North mais difícil dos últimos anos, times preparados para brigarem pela pós temporada e todos em bons níveis de elenco e de quarterback, e essa é a posição que o texto irá trazer. Todos dos quatro com seus cenários atípicos, um MVP da temporada passada, um já conceituado voltando de lesão, um que segue tentando se provar na selva de pedras e uma sensação do College colocando seu primeiro episódio na liga.

Melhor situação dos quatro claramente é do atual MVP e campeão da divisão

LAMAR JACKSON

Joe Namath (AFL), Joe Montana, Brett Favre, e Peyton Manning. Os únicos quarterbacks que já venceram o prêmio de MVP em anos seguidos, e aqui está Lamar Jackson, vindo de uma.conquista e com uma projeção de ser um doz favoritos pela briga de.ser o próximo MVP. Uma temporada nada vista nos últimos anos com 3,127 jardas lançadas, 1,206 jardas corridas e um acúmulo de 43 touchdowns com apenas 8 turnovers em 15 jogos como titular. Uma produção absurda lançando e correndo, difícil de se parar como o Ravens foi um adversário complicado de se bater. O Ravens hoje para mim tem o melhor elenco da liga dos dois lados do campo, ainda veio uma FA e Draft que adquiriu talentos mas ao mesmo tempo o jogo contra o Titans nos playoffs causa um dilema já que o Ravens não se mostrou um time seguro quando a pós temporada bateu na realidade.

Lamar nesse jogou lançou para duas interceptações e por alguns momentos daquele jogo não produziu, alguns cenários causaram problemas para Lamar, uma pós temporada causa nos times estudo e projeções de cada vez mais complicar seus atributos de jogo. O Ravens em si num coletivo é um objeto de estudo muito complexo para adversários projetando conter esse time.

A grande pergunta é se ele pode repetir o que ele fez em 2019. As demais projeções de sites falam de uma regressão leve mas não tão grande em suas jardas corridas, touchdowns..existe uma adaptação defensiva enfrentado e um nível ano passado que não era esperado atrelado a evolução de características individuais dele durante a offseason. Lamar é arma perigosa, que precise redobrar atenção, o que tem a perspectiva de produzir tanto no jogo aéreo quanto no corrido. O QI de playmaker está ali, o Ravens e o dilema de quanto esse time vai produzir numa crescente comparado a 2019 faz parte do mesmo dilema que está entorno de Lamar Jackson para 2020.

Cada vez mais a pressão cresce mas a esperança também, é um novo Browns e consequentemente um novo Mayfield

BAKER MAYFIELD

Todos seguem com grande otimismo para Baker mas não tão loucamente quanto a um ano atrás, sua situação é a mais difícil de se lidar e analisar o quão real é tudo que se envolve pelo seu redor, existe tudo de problemas por fora que acarretaram a ele ter um 2019 bem abaixo do esperado, também há também algumas coisas que ele mesmo foi culpado, e o quão dilema é o seu futuro no esporte.

Baker sempre esteve rodeado de bagunça, mudança de comissão técnica, dois Head Coach que misturaram loucura com inexperiência, uma ajuda de adições atrelado a uma OL que o dificultou, um playbook fora do controle, pressão pro ser mais um QB na longa lista da cidade..sim muita coisa o fez deixar ainda mais cansativo tudo isso. Mas também há a sua responsabilidade pessoal, seu nível de jogo decaiu, e por mais de que existe a discussão do grande culpados em suas interceptações o número cresceu em 2019, sua precisão e psicológico em certos jogos foi testado e as vezes não gerando resultado, se encontrou absorvendo todo o falatório que fez antes da temporada e isso tem que estar pesando em suas costas. Ser um quarterback principalmente do Browns pode te tornar um salvador mas também vira com um mar de pressão.

O 2020 chegou e veio com um otimismo evidente mas um ar de pressão e dúvida ainda maior para ele, uma nova comissão técnica, com experiência, e que já vem com um esquema que possa o ajudar bastante, o Browns desse ano parece uma organização com mais respeito a organização. E equipe em si deve tirar um pouco dessa pressão dele ao jogo, além do investimento para a linha ofensiva o Browns de 2020 deve ser mais uma franquia que esteja focado em ser um time de jogo corrido. Ao mesmo tempo existe a pressão e nada como estar na liga que mais cobra resultados. Uma nova comissão técnica que vai dar toda a ajuda mas que vamos lembrar que não estavam no processo de escolha dele. Ter Case Keenum como reserva por mais que seja uma ajuda/plano b para algo de muito ruim esperamos que não, aconteça, se o navio afundar ele irá estar lá pedindo espaço por ter nível de jogar e ser competitivo. Também existe a desconfiança que os QBs que estão indo para o terceiro ano já enfrentam e isso não é só com Baker Mayfield e sim com Josh Allen em Buffalo junto a uma divisão agora sem Tom Brady e a franquia passando por um dos melhores momentos dos últimos anos em questão de elenco, ou de Sam Darnold que estando na mesma divisão irá já ser responsabilizado por uma crescente em seu jogo.

Ano turbulento esse, de muito otimismo no meio da guerra, num reflexo da vida que esperamos sair da guerra com uma vitória, Baker quer sair da guerra desta temporada se provando de vez como o futuro de Cleveland.

Big Ben já se provou algumas vezes em sua carreira que é a resposta nos tempos mais discutíveis em Pittsburgh

BEN ROETHLISBUERGUER

O quão é difícil de saber como Big Ben retornará da lesão e o seu 2020 se aproximará de qual Big Ben da carreira, essa equipe tem o talento em diversas posições ofensivas para ser um ataque realmente divertido. Poderíamos ver Ben se aproximar de sua marca de passe de 5.000 jardas de dois anos atrás, se ele estiver perto de sua forma antiga ou um Ben mais retraído, com problemas de química com o futebol após a lesão no cotovelo. Existe uma linha ofensiva e um grupo de receptores que melhorou e está em sua melhor forma a entregar uma proteção para que ele retorne e tenha um grande entorno dele.

Durante a pré temporada vivemos várias fases de se ver e tentar imaginar como estaria seu preparado para a temporada, de um homem aparentemente sem mudanças de medidas físicas e uma barba gigante sem estar arrumada, a uma entrevista virtual onde já estava totalmente aparada, e as mudanças de vida que estão por trás do jogador entre cerveja light a ioga. Na questão física tivemos os primeiros vídeos de treinamento dele revelados e lá está algo que o torcedor do Steelers deve realmente achar como nós: parece um físico nada visto comparado aos últimos anos.

Mas todo o medo está envolvido na cidade, Big Ben e todo a questão de que irá produzir ou então o quão frágil está, é atrelado ao time não ter feito mudanças com seus reservas. Mason Rudolph apareceu em 10 jogos com oito partidas. Ele jogou para 1.765 jardas em 62,2%, com 13 touchdowns em comparação com nove interceptações. Ele superou 250 jardas passando apenas uma vez nesses 10 jogos e foi 5-3 como titular. Já quando Rudolph não estava em campo era Devlin Hodges que estava e Hodges apareceu em oito jogos teve seis partidas como titular jogando pqra 1.063 jardas em 62.2%, com cinco touchdowns e oito interceptações. O talento ao redor não foi suficiente e por mais que a dupla ainda teve momentos que conseguiram fazer a máquina rodar, não se provaram que se precisasse até o fim ser um acelerador dos mais atrativos para a equipe pensar longe na temporada e ai está uma pressão que Roethlisbuerguer leva consigo, o de o sonho mais real que a franquia possa sonhar se passa e muito nas mãos dele.

O que é chegar na liga sendo campeão no college e sensação de prospecto mais bem feito para a liga desde Andrew Luck. Todos os olhares para ele esse ano

JOE BURROW

Burrow sai do College como uma das maiores temporadas individuais que alguém já teve, produto muito bem trabalhado em todos os quesitos de jogo e o Bengals fez o que todos fariam no Draft. Burrow veio para ser a marca da franquia, com uma responsabilidade nada vista de algum prospecto no time se bobear durante todo o século e Cincinnati está lá não como o pior time em si por mais da pior campanha, o talento ja começa a ser distribuído por várias posições, uma nova filosofia na comissão técnica, e o tempero do novo quarterback para ser o elo que ligue a reconstrução com um começo de virada para a nova vida na cidade.

Quer provas como Burrow se misturou a posições que já se movimentaram? AJ Green retorna de lesão e se junta a um estábulo sólido de receptores em Tyler Boyd , John Ross e Tee Higgins, da segunda rodada.  A defesa adquiriu três novos iniciantes na secundária, juntamente com DJ Reader na Free Agency para acompanhar Carlos Dunlap e Geno Atkins.  A escolha da equipe na primeira rodada de 2019, Jonah Williams está pronto para dar o seu primeiro snap em 2020, depois de ficar de fora da temporada passada…

Nada melhor de já trabalhar com um QB bem preparado para o próximo nível, o senso do que o Bengals pode já começar a sonhar literalmente após os playoffs abrirem mais uma vaga ou apenas conquistar os primeiros resultados mais atrativos dessa era se passa e muito no quão será o desenvolvimento e a primeira apresentação de Burrow num nível de futebol acima do que ele enfrentava. Também está a adaptação de Burrow com um elenco que existe problemas, jogos mais complicados na questão de placar ou desempenho.. situações que foram menos vista em LSU.

A divisão mais caótica, difícil e divertida certamente nas três categorias para esse 2020

DEIXE UMA RESPOSTA