O Browns foram melhores que o adversário, o Browns novamente mostrou que enfrenta de igual pra igual os principais adversários da conferência, o Browns por detalhes não conseguiu a vitória, O Browns segue o caminhar com as coisas boas absorvidas mesmo que sem a vitória..as vezes cansa essas tais frases, e mais um domingo onde elas combinam com o que aconteceu. Mais um pós jogo após um jogão entre dois dos principais times da liga, onde o Browns mereceu a vitória e algumas coisas ou o famoso “detalhe” nos tirou.

Foram 531 jardas do ataque que não foram suficientes para superar as 493 jardas do time da casa. Os Browns correram bem a bola e aproveitaram um quesito ruim deles, os Chargers apenas lançaram a bola com mais sucesso, Justin Herbert arremessou 398 jardas com quatro touchdowns, superando um fumble de Austin Ekeler para a única virada do jogo. Para se ter uma idéia o Browns ontem foi o primeiro time DA HISTÓRIA da NFL a ter um jogo com 40 pontos ou mais sem turnovers ou 40 pontos ou mais com mais de 500 jardas e 0 turnovers que ainda sim perdeu o jogo.

O Browns segue provando que tem a melhor dupla de Running Backs da liga, o Chargers chegou no jogo sendo o anti penúltimo pior time defendendo corridas e o Browns aproveitou muito bem isso. Nick Chubb teve 21 carregadas para 161 jardas e um touchdown, enquanto Kareem Hunt fez 12 carregadas para 61 jardas e dois touchdowns. Hunt também contribuiu com cinco recepções para 28 jardas, enquanto Chubb também teve uma por nove jardas.

Enquanto a NFL continua a ser uma liga de passes, Hunt e Chubb seguem sendo a contra idéia disso, fez com que o Browns produzisse o que era preciso pra vencer na semana 4 e abriu oportunidade para o Browns render para quase uma vitória nesse último domingo.

Se alguém me perguntar uma imagem que resume um grande relacionamento vou mandar essa

O Browns estão liderando em todos os grandes quesitos de jogo corrido na liga: 

Carregadas: 175

Jardas: 938

Média por corrida: 5.4

TDs: 12

Foi um domingo que tivemos o primeiro flash de que Baker Mayfield pode se recuperar. Por todos os questionamentos sobre sua lesão no ombro, ele melhorou muito nesta semana. Ele completou seus primeiros nove passes (deveria ter sido 10 em seguida já que Odell Beckham Jr. dropou uma bola em uma conversão de quarta descida).

Mayfield terminou 23 de 32 para 305 jardas e dois touchdowns. Ele também não lançou uma interceptação. Enquanto o jogo de passes dos Browns não foi explosivo no campo, especialmente no final do jogo, Mayfield não mostrou nenhuma limitação desencadeando alguns arremessos profundos. Mayfield acertou 29 de 52 passes profundos (55,8 %) ultima temporada e o jogo contra o Chargers ele levou a bola para o fundo de campo. Ele precisava de um jogo confortável para recuperar seu psicológico para o caminhar da temporada.

Odell Beckham teve bastante participação indiretamente puxando a atenção da marcação e abrindo espaços aos companheiros, um lance direto a isso foi o touchdown do Higgins onde dois defensores acompanham OBJ e ninguém acompanha o outro recebedor. Mas a produção foi baixa ainda inclusive em passes destinados a ele, o drop na quarta descida foi inaceitável e não foi um jogo explosivo dele. Em compensação Njoku parece estar cada vez mais na crescente nesta temporada, o maior touchdown da carreira dele, com um físico difícil de parar, uma característica que os grandes Tight Ends da liga tem a seu favor.

 

Sim vamos falar da arbitragem ainda nesse texto eu sei que você está com a raiva explodindo ainda mas antes o jogo também se resumiu a Kevin Stefanski.

Com uma vantagem de 42-41, os Browns passaram em uma 2º para 10, incapaz do Higgins receber o passe, fomos para uma 3º para 10. Em vez de confiar em seu quarterback para tentar fazer uma jogada para estender a vantagem, Stefanski optou por uma jogada com um cenário que não combinava com a situação, Kareem Hunt foi acionado onde ficou aquém do que já tinha conseguido no jogo e os forçou a chutar.

A defesa do Browns, especialmente a secundária, estava perdendo vários jogadores e seu Punter Jamie Gillan, foi decepcionante em seus dois últimos punts. A terceira tentativa de Gillan foi tão medíocre quanto as duas primeiras, o que colocou o Chargers no meio-campo. Depois que os Chargers conseguiram marcar um touchdown, falhando na conversão de dois pontos, os Browns pegaram a bola com 1:31 com o resultado em 47-42.

Os Browns usariam 40 segundos em suas próximas três jogadas combinadas em três passes curtos que resultaram em um total de 12 jardas. O passe para o Hunt resultou em uma 3rd&1 que foi o lance crucial para se gastar tempo que não devia. Na verdade, apenas uma lesão no linebacker Drue Tranquill foi a única coisa que impediu que mais relógio rodasse. Os Browns conseguiram converter mais um passe para David Njoku, colocando-os perto do meio-campo a 29 segundos do fim.

A partir daí Stefanski foi bem mais agressivo mas nada organizado, os passes e lances já estavam na base do “seja o que Deus quiser”. Stefanski sempre foi bom na temporada passada quanto a momentos decisivos do jogo mas esse ano virou um questionamento que ele precisa melhorar em desempenho do que é chamado nessas situações.

Na situação de Special Teams, os Browns chutaram a bola três vezes em Punt e nenhuma delas resultou no que o time queria. Em primeiro, Jamie Gillan lançou-o na endzone, 53 jardas, fazendo imobilizar os Chargers profundamente. O segundo punt de Gillan viajou 39 jardas dando aos Chargers a bola na linha de 39 jardas e o terceiro punt de Gillan foi de 42 jardas e configurou um retorno de 18 jardas dando aos Chargers a bola no território dos Browns levando a sua pontuação decisiva.

Depois da falha na semana 1 e estando nas piores colocações nos quesitos da posição no geral da liga, Andrew Berry pode precisar olhar para os Punters do mercado urgentemente.

Bom lado defensivo do jogo, nós tínhamos a noção de que o Browns não iriam segurar os Chargers como fizeram os Bears (seis pontos) e os Vikings (sete pontos) nas duas semanas anteriores. Especialmente não com o falta de Jadeveon Clowney e os cornerbacks Denzel Ward e Greg Newsome II ausentes em praticamente quase todo o jogo dificultando a vida da secundária.

Myles Garrett lutou com lesões no joelho e tornozelo, assim como Takk McKinley, que começou no lugar de Clowney. Os cornerbacks Greedy Williams, Troy Hill e AJ Green perderam parte do jogo por causa de lesões. Jeremiah Owusu-Koramoah foi levado a um hospital local após o jogo com uma contusão na garganta.

O Browns precisa resolver a situação de lesões do grupo, tanto quanto precisam resolver problemas de falha de comunicação que lhes custam caro. O recebedor Mike Williams ficou atrás da defesa absolutamente libre para touchdowns de 72 e 42 jardas quando os Safetys Grant Delpit e Ronnie Harrison Jr., respectivamente, fizeram as escolhas de cobertura erradas.

O quarterback do Chargers, Justin Herbert, uma estrela em ascensão, fez os Browns pagarem ao perceber cada erro e explorá-lo. Ele esteve completando 26 passes de 43 para 398 jardas, quatro touchdowns, dois sacks sofridos e uma classificação de passe de 122,0.

Um ponto importante dentro do jogo e da reflexão geral é o Browns contra conversões de terceira e quarta descida. Uma vez que parasse o Chargers nesses momentos poderia ser o crucial para ganhar esse jogo. Os Browns tiveram chances de sair do campo, mas foram falharam nas três tentativas de quarta descida, adversária incluindo uma quarta para 2 na linha de 24 jardas do Chargers no início do terceiro período. Mesmo que uma dessas conversões foi um roubo da arbitragem o Browns precisam melhorar nos grandes momentos do jogo.

Um lance curioso sendo uma das raras jogadas inteligentes da defesa do Browns foi empurrar o running back Austin Ekeler para a end zone a 1:31 do fim, enquanto ele tentava perder o tempo para fazer um field goal de último segundo para vencer o jogo. Stefanski queria que sua defesa desse ao ataque uma chance final e deu. Essa foi uma das várias decisões de ambos os treinadores que teriam deixado Don Shula e Tom Landry balançando a cabeça.

Antes de terminar o texto o assunto arbitragem agora pode ser falado, e o que a arbitragem da NFL fez ontem foi uma vergonha, os juízes também tiveram bastante fator no resultado infelizmente. Tivemos lances bizarros quanto JC Tretter recebendo um holding claro quase deslocando o pescoço pra trás não marcado ou o Holding claro no Garrett que fez ele estar todo desequilibrado de joelhos porque a segurada não deixou ele conseguir o sack.

Mas nenhum deles foi tão bizarro quanto o Pass Interference que mudou a partida. O melhor jogo do ano, sem dúvida. Uma batalha de duas equipes em primeiro lugar. 1.026 jardas no total. 41 pontos apenas no 4º período e esse jogo não merecia uma arbitragem tão ruim quanto foi.

Era uma quarta para 4 jardas decisiva para o Chargers chegar no placar faltando 9 minutos para o término da partida. A chamada mais revolucionária de todas as mais vergonhosas da história da NFL? Olha se bobear sim. Não só não era Interferência de passe como.era Interferência de Passe do JOGADOR DO CHARGERS claríssimo!! Este jogo deve ser colocado sob protesto e investigação. Até o maior odiador dos Browns no mundo, Colin Cowherd, concorda o qual afetou o jogo.

Com a marcação o Chargers conseguiu avançar rumo a empatar o jogo novamente.

DEIXE UMA RESPOSTA