Como é bom escrever uma resenha pós vitória certo? Pois é isso que está acontecendo, vitória nessa quinta a noite por 35 a 30 fez com que o Browns tranquilizasse o clima dentro da franquia em pleno horário nobre e agora terá bastante tempo com uma “paz conquistada” até o jogo do dia 27 contra o Redskins.

O Browns atingiu o equilíbrio perfeito em seu ataque para maximizar todas as peças talentosas e acontecesse que todos foram produtivos ao longo do jogo. Baker Mayfield teve um jogo seguro, produzindo touchdowns e distribuindo passes para todos os alvos enquanto o jogo corrido foi destruidor, ainda mais impactante do que na semana 1. Os dois setores, o de conexões de Maufield e seu backfield devem alimentar-se mutuamente à medida que a temporada avança para formar uma relação de química a se levar os jogos.

A reação exagerada de boa parte das pessoas não levou em consideração as circunstâncias atenuantes de uma offseason truncada e nenhuma pré-temporada para a nova equipe técnica implementar seus esquemas, e jogar contra um favorito ao título como o Baltimore Ravens foi o pior ponto de partida possível para os Browns. Logo após isso a noite de quinta feira trouxe resultados em todos os setores ofensivos a dar uma amostragem maior do que se espera disso tudo.

O Bengals certamente não conseguiu parar a área que mais se pedia ativação a do jogo terrestre. Os dois Running Backs carregaram a bola 32 vezes para 210 jardas (6,6 jardas por corrisa) e três pontuações. Hunt adicionou um touchdown de recepção e Chubb com dois touchdowns corridos do seu melhor estilo, quebrando tackles e ganhando fisicamente. De acordo com o NFL Next Gen Stats , a dupla dinâmica produziu 99 jardas acima das expectativas.

Stefanski aprimorou ensinamentos do domingo e operou seu ataque típico, o que significa doses pesadas do jogo de corrida por zona, não forçou Mayfield a situações desconfortáveis ​​nas quais é mais provável cometer erros e construiu boa parte de seu jogo em play action. O esquema é muito bem minimizado para qualquer quarterback mas algumas horas a equipe iria pedir mais de Maufield e logo no começo do jogo pediu dois passes de ação no início do jogo, e Mayfield deu lances precisos em ambos para dar início à unidade.

Ele definitivamente parecia mais confortável, o que lhe permitiu mostrar sinais de crescimento. A sua presença no pocket por várias vezes foi um problema e isso estava lá contra o Ravens algo bem diferente visto ontem, ele parecia muito mais confortável no bolso, se manteve tranquilo nós ataques de blitz e pacotes de jogadas com pressão no box.

Essa estatística é da Next Gen Stats

Mayfield tirou muito proveito de toda a movimentação que o Bengals fez para querer investir em blitz, eles estiveram em blitz em 57% dos snaps, mais que o dobro usado na primeira semana (28%) e isso foi algo sem problemas. Mayfield contra a blitz foi 10/13 nos passes para 147 jardas e 2 TDs.

O trabalho coletivo foi algo muito bem vista principalmente e mais uma vez da linha ofensiva que mesmo com a perda de Jack Conklin não se decaiu no nível com uma observação muito boa de Jedrick Wills. O calouro está atrás de um objetivo muito difícil, a transferência de RT para LT na NFL principalmente por se tratar de uma das posições mais difíceis é algo muito duro mas incrivelmente vem fazendo um grande trabalho. Ele irá ter jogos ruins nessa nova posição mas o talento está lá, desafios não são travamentos em sua carreira.

Bryant e Austin Hooper pegaram apenas três passes para 36 jardas, mas ambos são partes integrantes do ataque, pois recebem ameaças e bloqueios. Vimos bloqueios sendo bastante importante junto ao backfield, pode se observar um dos touchdowns de Nick Chubb junto a um grande trabalho de bloqueio de Teller e Bryant.

Outro importante ponto ofensivo foi os lances de grande ganho e a paz também conquistada para o caso Odell Beckham. O recebedor teve grande vantagem no 1×1 contra William Jackson onde teve um touchdown de 43 jardas sem contar o TD que iria ser feito em mais um grande passe e grande ganho do recebedor que só não aconteceu por causa de uma segurada bizarra não marcada.

 

Do outro lado da bola, a defesa veio com algumas jogadas importantes, incluindo Myles Garrett com um sack com fumble arrancado de Joe Burrow, atuação boa ao longo do jogo de Ogunjobi e Richardson e infelizmente a boa duração de Clayborn que durou pouco. Mais uma vez a linha defensiva trabalhou e hoje aproveitou matchup muito favoráveis.

 

A defesa teve problemas em pontos já tradicionais de correção como marcação do jogo aéreo ou problemas para o primeiro tackle, mas em certas campanhas obteve sucesso e parou grandes cenários, o Bengals teve uma primeira para o touchdown na linha de uma jarda dos Browns depois que um touchdown de Giovani Bernard foi chamado de volta depois que o replay mostrou que ele tinha desabado antes da EndZone. O Browns superou uma penalidade de holding defensiva para o stop, uma grande jogada na arquibancada foi um tackle de sete jardas para a derrota de Porter Gustin em Burrow para forçar o Bengals a se contentar com um field goal.

Precisamos falar sobre Denzel Ward, em mais uma atuação estranha de toda a secundária ele e Mitchell tiveram boas performances mas ele em especial. Ward forçou 8 passes apertados de 11 passes em direção a ele, a maior marca de janelas apertadas conquistadas pela marcação desde 2017. Ward como defensor mais próximo teve 11 passes cedendo apenas 5 combinados para 46 jardas e um TD. Uma batalha individual que foi marcada nesse jogo claramente foi entre Denzel Ward x AJ Green. Ward cobriu 16 vezes o recebedor do Bengals , dentro dessas marcação, Green foi acionado apenas 7 vezes para conseguir apenas 2 recepções para 14 jardas. Era tanto domínio que Ward marcou em pressão da linha de scrimmage Green 11 das 16 vezes.

“Queremos ser agressivos” disse Stefanski após o jogo, isso respondendo sobre as duas idas em quarta descida, ações com bem mais ousadia e com boas chamadas. Cenários são favoráveis e Stefanski agiu com o caminhar da partida, o ataque bem então confiança a arriscar, ao longo que Mayfield começou a ficar acomodado e os erros começaram a aparecer ele logo chamou mais o jogo terrestre e fez com que Chubb e Hunt equilibrasse mais o jogo.

Muito tempo agora de descanso e treino, o final de semana será bastante importante para analisar o Washington Football adversário da semana 3 com seus atributos defensivos que serão perigosos. O clima melhorou em Cleveland e gosto muito mais assim, quando o pânico não corre pelas veias da torcida.

DEIXE UMA RESPOSTA