O Baltimore Ravens possui uma campanha positiva quando se trata de retorno da bye week. É um dos times com melhor campanha dentro desse espaço de amostra. Entretanto, a quantidade de problemas para se dar jeito no time ainda é tamanha e ficaram tão evidentes contra os Vikings no primeiro tempo, que a esperança se tornou frustração logo cedo.

Os Vikings aterrissaram em Baltimore com a décima segunda pior defesa da temporada. E ainda assim, ficou complicado para os Ravens correrem com a bola. O principal corredor do time no primeiro tempo foi o próprio Lamar Jackson, o que não representou muita coisa. Le’Veon Bell e Devonta Freeman tiveram um começo bem apagado.

Mas se as corridas não funcionaram direito, o passe também não estava ajudando muito. Parece que a ausência de Patrick Mekari jogou o desempenho da linha ofensiva todo para baixo. Jackson, além de estar em um dia ruim, praticamente não teve sossego em boa parte dos snaps para fazer a leitura correta das jogadas.

Pontos positivos

Se há um ponto positivo do ataque nesse jogo, é o camisa 12, Rashod Bateman. Os alvos em cima dele, várias vezes se tornavam primeiras descidas, mesmo sem recepcionar a bola, como no passe durante o 2 minute drill que gerou o primeiro TD da equipe.

Créditos também para o fullback Patrick Ricard. Voltando recentemente ao times após se recuperar de lesão, o jogador foi decisivo no primeiro drive do time no segundo quarto, recepcionando duas bolas para manter a campanha viva, além do touchdown que finalizou a campanha.

A Defesa

Do outro lado, podemos agradecer a Josh Bynes por dar um sopro de esperança `La defesa, pois o resto pouco se salva. Sem um corpo defensivo que pudesse fazer frente no começo do jogo, Kirk Cousins abusou dos play actions e conseguiu fazer Dalvin Cook e Justin Jefferson moverem as correntes.

Aliás, o primeiro TD anotado por Justin Jefferson mostra como a fase da secundária está mal. Após ter deixando Humphrey na saudade, Elliott não foi capaz de fazer uma cobertura eficiente. Isso deu espaço para que Cousins achasse Jefferson livre e anotasse o TD.

Os tackles também são outro problema que o time ainda não conseguiu resolver. Várias vezes o time perdeu a oportunidade de matar um drive dos Vikings por perder tackles. A sitação mais escandalosa foi no retorno do intervalo, quando Minessota anotou um retorno de mais de 90 jardas para TD.

Faltas e um novo momento

Talvez é o que tenha faltado para Minnesota: um time mais disciplinado. Na segunda metade do jogo, quando precisava manter o controle da situação, as faltas prejudicaram o time e permitiram que o Baltimore Ravens ressuscitasse na partida.

E no futebol americano, momento é uma coisa fundamental. Todas as criticas que foram tecidas no começo deste texto, de alguma forma, foram superadas no segundo tempo. Le’Veon Bell e Devonta Freeman conseguiram manter as jogadas por terra e o ataque conseguiu explorar alguma alternativa com Hollywood Brown através do Screen Pass.

Até mesmo a defesa também conseguiu ser clutch e segurou o ataque adversário em algumas descidas importantes. Infelizmente, a inconsistência da defesa permitiu que o Minnesota Vikings levasse o jogo para o overtime. Mesmo assim, apesar das inconsistências, a defesa se encontrou em alguns momentos para parar o Minnesota Vikings.

Agora, o Baltimore Ravens volta a campo quinta feira para enfrentar o Mimami Dolphins e a expectativa é que seja um jogo mais tranquilo. porém, jogos do Baltimore Ravens nunca são tranquilos!

DEIXE UMA RESPOSTA