Quem esperava que Baltimore Ravens e Pittsburgh Steelers fosse um jogo emocionante, acabou perdendo tempo. Mesmo ganhando contornos dramáticos no final, o jogo por boa parte do tempo, foi monótono, com os ataques empacando no campo. Melhor para o time da casa, que acabou aproveitando as falhas do adversário no segundo tempo.

Um começo deveras promissor

O começo dos dois times foi bem inconstante. Porém, o Baltimore Ravens teve mais oportunidade. Fazendo bastante uso dos Runnning Backs recebendo passes, o time fez campanhas longas e manteve a posse de bola por mais tempo.

O que faltou, no entanto, foi uma conclusão mais incisiva. O drive mais longo, que começou na linha de uma jarda do próprio campo, resultou em touchdown. O restante, passou longe de pontuar. Foram punts atrás de punts, além da interceptação na endzone, logo na primeira campanha do jogo.

Faltou também para Lamar Jackson, um pouco de presença no pocket. Mesmo com a OL não jogando o melhor dos seus jogos, alguns dos sacks sofridos poderia ter sido evitados se o QB tivesse se livrado da bola. Todos sabem que Lamar tem a capacidade de se livrar de um tackle facilmente. Mas é bom para o QB reconhecer quando desistir da jogada ao invés de tentar salvar alguma coisa e empurrar o ataque para trás.

Porém, se o começo do Ravens foi devagar, o do Pittsburgh Steelers não ficou muito longe. A defesa fez um bom trabalho contendo as corridas de Najee Harris e a cobertura no passe foi eficiente quando precisou. A melhor campanha dos Steelers foi apenas no Two Minute Drill.

Ainda assim, diferente do ataque, a defesa contou com a sorte, e Diontae Johnson, mesmo com uma boa cobertura, poderia ter anotado o TD, porém o drop acabou com a oportunidade do empate.

No fim, restou para Pittsburgh apenas chutar os três pontos e se contentar com a covardia de Greg Roman. O coordenador simplesmente abriu mão de ampliar a vantagem e correu com a bola nos segundos que faltava, ao invés de tentar uma jogada em profundidade para, pelo menos, posicionar Justin Tucker.

Virada no segundo tempo

A coisa começou a complicar quando o Pittsburgh Steelers foi achando os espaços no campo e conseguiu colocar o time em posição de pontuar, principalmente com o WR Diontae Johnson. Por duas vezes, o jogador apareceu desmarcado e foi fundamental para a pontuação do time em campo.

Com a perda de um XP de Chris Boswell, em algum momento, parecia que o Baltimore Ravens fosse sustentar a liderança. mas o ataque não foi capaz de desempenhar as grandes campanhas que executou no primeiro tempo para manter a posse de bola.

Com o Pittsburgh Steelers em um bom momento e o ataque não conseguindo responder à altura, cometendo os mesmos problemas do primeiro tempo e Lamar Jackson não conseguindo conectar com seus alvos, a vitória do time da casa acabou sendo praticamente certeira.

Derrota sacramentada

A ultima campanha de Baltimore para esboçar uma reação, no começo, acabou sendo um festival de faltas. Por vezes quando o ataque tentou andar em campo, as zebras apitavam um holding. A solução foi apelar para o no huddle, o que permitiu ao time chegar na endzone e anotar o touchdown.

Porém, na hora de converter os dois pontos e virar o jogo, o passe saiu mal da mão do Lamar Jackson e pipocou na mão de Mark Andrews, que não conseguiu recepcionar o passe e selou de vez a vitória dos Steelers.

O Baltimore Ravens volta a campo na próxima semana contra o Cleveland Browns, que acaba de voltar da bye week e joga em casa. Mesmo mantendo a liderança da AFC North, o time agora mantém a terceira seed, com Tennesse Titans e New England Patriots na frente.

DEIXE UMA RESPOSTA