por mais que tentássemos nos iludir durante a semana, o roteiro já estava escrito. Conforme os nomes de lesionados e doentes saíam durante a semana, ficava nítido que o Baltimore Ravens só ganharia esse jogo operando um milagre de natal.

Ataque deu esperanças…

Não foi por falta de esforço, verdade seja dita. Josh Johnson tinha a missão difícil de, com apenas 15 dias de presença no elenco, substituir Lamar Jackson (tornozelo) e Tyler Huntley (COVID-19). E, de alguma forma, ele tentou.

O os drives de pontuação mostraram a tônica do que seria o esquema do ataque. Passes rápidos e alguma dependência do jogo corrido, contando com a fragilidade da defesa dos Bengals por terra.

Johnson também contou com a sorte no segundo drive de pontuação da equipe no primeiro tempo. Forma três conversões de terceira descida longa, contando principalmente com a ajuda de Mark Andrews. O TE, aliás, fez um bom jogo como de costume, na medida do possível.

O ataque de Baltimore ainda tentou explorar algumas jogadas em profundidade, mas com pouco sucesso. No fim das contas, o ataque não foi tão mal quanto poderia. O QB3 teve um das melhores linhas ofensivas do Ravens na temporada, além de um bom corpo de playmakers.

… A defesa, não!

O problema é que, do outro lado da bola o time contava com uma defesa totalmente em frangalhos. para piorar, ainda perdeu Anthony Averett após uma joelhada do Ozumah em suas costelas. Isso criou um terreno fértil para que Joe Burrow explorasse o fundo de campo, principalmente pelo meio. Os Bengals dominaram rapidamente o jogo com isso.

O jogo estava tão dominado, que o Cincinnati Bengals se deu ao luxo de criar campanhas extremamente longas a fim de cansar e prejudicar ainda mais a defesa do time visitante. A campanha do terceiro quarto foi um exemplo. Cada time teve apenas uma posse, sendo que os Bengals tiveram mais de 10 minutos de campanha.

No fim das contas, deu a lógica. Cincinnati promoveu um passeio em seu próprio território e Baltimore sai do confronto com uma campanha de 1-5 dentro da divisão e vendo sua vaga para os playoffs ameaçada, tendo que depender de combinação de resultados para garantir uma vaga no wild card.

O Baltimore Ravens volta a campo na próxima semana para receber o Los Angeles Rams.

DEIXE UMA RESPOSTA