O Impacto de Mike Macdonald em Baltimore

Mike Macdonald é um dos grandes responsáveis pela campanha de 9-3 do Ravens chegando na folga. Ótimo treinador, tem seu nome cotado entre os principais coordenadores da liga e um dos maiores candidatos às vagas de head coach que aparecerão na próxima offseason. Ele chegou para substituir Wink Martindale e modernizou o esquema de seu antecessor em Baltimore.

Este texto foi publicado originalmente como uma thread no twitter em @CasaDoCorvo.

Macdonald evoluiu o seu esquema de coberturas de meio de campo fechado (Cover 1 e Cover 3) de 2022 e trouxe uma abordagem mais plural em 2023, com maior diversidade de coberturas, sobretudo com quarters e cover 6 (ou quarter quarter half).

Além disso, está entre os coordenadores defensivos que mais escondem a cobertura. Em cerca de um terço das jogadas, sai de meio do campo fechado para aberto ou o contrário. Em termos de comparação, o Giants de Martindale tem menos que a metade disso, optando por coberturas mais estáticas.

Para completar, não roda mais a mesma frequência de blitzes que Wink. Em compensação, é um dos principais nomes da liga ao chamar simulated pressures e na arte de manufaturar pressão ao enganar leituras da OL e do QB adversário. Isto tudo mostra como Macdonald busca complicar o processamento do quarterback e causar confusão em sua mente. Fazendo isso, é capaz de fazer a tomada de decisão do passador ficar um pouco mais lenta e ajuda a pressão a chegar e pode gerar erros do ataque.

Neste pacote de pressões, um estilo tem se destacado e vem sendo usado em alguns jogos importantes. Nele, Macdonald não se sente inibido de mandar LBs ou DBs na pressão e fazer com que pass rushers e defensive tackles desçam para a cobertura. Um momento emblemático deste esquema veio em um momento crítico da vitória sobre o Chargers no Sunday Night Football da semana 12.

Mike Macdonald no primetime

Nesta ocasião, o jogo estava 13 a 10 para o Ravens e o Chargers tinha uma quarta para 6 faltando menos que 2 minutos para o fim do jogo. Evitar a conversão quase confirmaria a vitória de Baltimore, então era um lance crucial.

Baltimore abriu mostrando apenas os 4 da DL na pressão, mas logo Queen e Roquan se aproximaram da linha de scrimmage. Além disso, Maulet estava cobrindo o TE, mas vai para a pressão no momento do snap. Ele se junta aos dois linebarckers e a Clowney e Oweh. Queen tem a função de ler o movimento do RB e só pressionar se o Ekeler ficar no bloqueio. Já os DTs Pierce e Washington caem para a cobertura nas zonas curtas do meio do campo. Neste movimento, Pierce ajuda a eliminar uma janela do TE que Maulet abandonou e permite que Kyle Hamilton assuma o resto da cobertura.

O objetivo de Justin Herbert era encontrar Keenan Allen no confronto com Ronald Darby, mas a pressão chega tão rápido que o QB não conseguiu se ajustar e mudar a plataforma e o passe acabou desviado.

Este desenho de pressão é efetivo porque mostra uma pressão com muitos homens, mas não a entrega no mesmo nível. Os jogadores inesperados indo pra cobertura como Pierce e Washington também fazem com que jogadores da OL acabem sem ter defensores para bloquear e o tempo de processamento para procurar trabalho é o suficiente para a pressão chegar no QB. É muito por esse motivo que Maulet passou livre sem ser tocado até Herbert. Outra parte da equação foi o plano de pass rush de Oweh buscar o interior da OL, ocupar o left tackle e ainda trombar no center, impedindo que pudessem se recuperar na jogada.

Utilizar um esquema como esse não é novidade e existem outros exemplos do tape de semanas anteriores que ilustram situações similares.

Um pouco mais da tática

Este primeiro foi contra o Colts na semana 3 ainda no começo do jogo. Era uma terceira para 8 jardas e nela Hamilton consegue o primeiro dos seus três sacks na partida.

Nessa jogada, o Ravens mostra pressão pré-snap, com os linebackers na linha de scrimmage e Hamilton também de olho. Quando o snap sai, Pierce e Madubuike vão cobrir as zonas do meio do campo. Queen vai identificar que o RB saiu para uma rota e vai acompanhá-lo na cobertura, então o Ravens acaba somente com 4 jogadores na pressão, mas eles sendo 2 EDGEs, 1 LB e 1 S, o que caracteriza a chamada simulated pressure. A marcação inicial funciona bem e Hamilton chega em Gardner Minshew sem ser tocado.

Como domar o adversário

A última jogada aqui veio na vitória marcante contra o Lions. O jogo já estava 21 a 0 no segundo quarto e Arthur Maulet anotou um sack sobre Jared Goff em uma segunda para 7. Nessa jogada, Queen não participa ao mostrar pressão e é responsável por cobrir o RB novamente. Roquan vai para a pressão e Travis Jones e Broderick Washington caem para cobertura. O movimento de Jones faz com que o left guard perca tempo processando a pressão do LB e não permite que ajude o LT que ficou responsável por Van Noy e Maulet. Mais uma jogada em que o CB sai livre da secundária e dessa vez conseguiu o sack.

Este texto teve como objetivo deixar um pouco mais clara a filosofia de Macdonald e um pouco de suas ideias de pressão e cobertura. Nas jogadas mostradas estavam exemplos de agressividade e também de versatilidade de uma defesa que está jogando em nível muito alto e é uma das melhores da NFL em 2023. Que continue assim.

Todos os conteúdos publicados neste site são de responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem as opiniões e posicionamentos da FN Network.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS

1235735651.0
10 PITACOS sobre Ravens x Chiefs
download
10 PITACOS sobre Ravens at 49ers
gus the bus
Pós jogo – Não se acostume com isso
1863644302.0
10 PITACOS sobre Ravens at Jaguars
1845753733.0
10 PITACOS sobre Ravens vs Rams
7b1f9139-84cb-4078-b06f-b8eb2502a5b0-AP22296726540271
10 PITACOS sobre Ravens vs Browns
Três jogadores de roxo do Baltimore Ravens cercando o quarterback do Cleveland Browns de branco
Pós Jogo: Venceu quem errou menos
Lamar
10 PITACOS sobre Ravens vs Seahawks
defense
Pós Jogo: Só precisa cuidar da bola