Por Pedro Jorge Marinho

Colaboração: Carol Vago

A nova temporada da NFL foi oficialmente aberta, marcada pela Free Agency, no início do mês de março. A filosofia que vem sendo implantada no time desde a temporada 2017-2018, as contratações para o front office, as alternativas encontradas para o coaching staff e os movimentos no período até então, têm evidenciado a forma como o Colts será reconstruído, pelo Draft, que ocorreu entre os dias 26 e 28 de abril. Hoje, trazemos um pouco da história de Matt Slauson, jogador que brigará por uma vaga no elenco, agora com fartura de jogadores de linha ofensiva.

 

HIGH SCHOOL E COLLEGE

Nascido em Oregon, o offensive tackle fez o High School em Colorado Springs (CO) Air Academy. Não chegou a ser um prospecto rankeado, pouco “badalado” e não chamava atenção de muitas escolas. Dessa forma, não era surpresa que teria poucas ofertas de bolsas no College. A única oferta oficial foi de Nebraska, ainda que tenham havido sondagens de Oklahoma State e Oregon State.

De Oregon rumou para a universidade de Nebraska. O técnico de linha ofensiva do New York Jets Bill Callahan, que o treinou College, conhecia sua versatilidade e atleticismo. Com isso, o jogador foi draftado no 6º round do NFL Draft 2009, na posição 193.

 

CARREIRA NA NFL

Em sua primeira temporada, jogou apenas três jogos (nenhuma como titular). Sua versatilidade logo foi posta à prova, jogando de G e C. Para a temporada 2010, Slauson conseguiu a vaga no roster batendo o recém-draftado Vladimir Ducasse, que veio para substituir o veterano Alan Faneca.

De 2010 a 2012, Matt foi o titular absoluto na posição de LG, jogando todos os jogos do time de Nova York. Em 2011 recuperou um fumble e anotou um touchdown por consequência. Na Semana 5 de 2012 contra o Houston Texans, Slauson realizou um cut-block muito questionável que culminou no rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo do LB Brian Cushing.

Apesar de o jornal USA Today considerar a jogada legal, pois o bloqueio aconteceu além da linha de scrimmage, o jogador foi multado em US$ 10.000,00. Deu declarações após o jogo que “obviamente não foi para machucar. Coisas assim acontecem”. Durante o restante da carreira nunca teve envolvimento em mais jogadas do tipo, não considerado um jogador “sujo” pelos companheiros de esporte.

Com o fim do contrato de calouro, fechou contrato para a temporada de 2013 com o Chicago Bears. Em Illinois, manteve a regularidade que sempre teve em Nova York. Foram 16 jogos disputados como titular absoluto, o que lhe rendeu uma extensão contratual de 4 anos ao fim daquele ano.

Logo na Semana 1 de 2014 contra o Buffalo Bills, o LG sofre uma lesão no tornozelo direito ficando de fora por três jogos, interrompendo uma sequência de 65 jogos como titular de uma franquia da NFL. Retornou na Semana 5, onde o Bears perdeu para o Carolina Panthers. Contra o New England Patriots na Semana 8, o jogador sofreu sua primeira season-ending injury. Rompeu o músculo do peitoral e só retornou para a temporada 2015. Foi é titular novamente nos 16 jogos da temporada, 12 como guard e os últimos 4 como center.

Nesta última temporada, o jogador foi congratulado com o Ed Block Courage Award, prêmio dado ao jogador que inspira confiança e expressa sua liderança aos seus companheiros de time. Foi ranqueado como 18º melhor guard da NFL segundo o ProFootballFocus.com, cedendo apenas um sack em 16 jogos e recuperando um fumble.

Em 1º de Maio de 2016, o Chicago Bears liberou o jogador. Seis dias se passaram até o San Diego Chargers oferecer dois anos de contrato a Slauson. Em San Diego, jogou sua primeira temporada inteira como center. Foi um dos principais responsáveis pela ótima temporada de Philip Rivers e Melvin Gordon, dois Pro Bowlers naquela temporada. Em 2017, com a franquia já estabelecida em Los Angeles, foi movido de volta para LG. Na Semana 7, ocorreu sua segunda season-ending injury. Uma lesão no bíceps do braço direito põe fim à sua passagem pela franquia.

Nesta offseason, Chris Ballard deixou extremamente claro que a prioridade desta temporada é proteger Andrew Luck. Dar tempo a um dos QBs que mais sofreu sacks e lesões desde que entrou na liga. No Draft, com a adição dos OLs Quenton Nelson e Braden Smith, isto fica muito claro.

Querendo mostrar que ainda tem lenha para queimar aos 32 anos, Matt Slauson assinou contrato de um ano (3 milhões de dólares) com o Indianapolis Colts. Franquia onde reencontrou com seu antigo técnico de OL Dave DeGuglielmo. Com sua carreira chegando ao fim, terá mais uma oportunidade para mostrar sua versatilidade na renovada OL do Colts.

O jogador irá começar o Traning Camp disputando vaga com Nelson e Smith, podendo até brigar com Ryan Kelly pela posição de center. O jogador já mostrou que também pode atuar nesta posição. Seja como for, o jogador já demonstrou que consegue dar a volta por cima. Retornando bem após lesões ou lutando por vaga no roster como foi em seu segundo ano de NFL. Slauson tem tudo para ser uma boa adição na rotação do time. Não se surpreendam caso chegue à titularidade, já tendo treinado como titular nos OTAs desse mês.

 

DEIXE UMA RESPOSTA