Depois de muito tempo sem jogar uma partida oficial, o Pelicans finalmente está de volta e com bastante mudanças, tanto no elenco como no comando dele. Chegaram Eric Bledsoe e Steven Adams para o time titular e Stan Van Gundy, que substitui Alvin Gentry, é quem comanda o elenco.

O Pelicans teve um começo animador, ganhou na estreia contra o Toronto Raptors e na sequência intercalou entre derrotas e vitórias contra Miami Heat (derrota), San Antonio Spurs (vitória) e Phoenix Suns (derrota), até que contra Oklahoma City Thunder e Toronto Raptors conseguiu quebrar esse sequência e embalar duas vitórias seguidas. O time tinha naquele momento a 5ª melhor defesa da competição em pontos tomados, chegou a ter dois jogos onde tomou menos de 100 pontos (nas vitórias contra Raptors e Spurs) e Brandon Ingram estava jogando tão bem que acabou sendo escolhido o melhor jogador da semana da conferência Oeste, chamando a responsabilidade como um verdadeiro All-Star, marcando pontos e ainda sendo nosso principal armador. Empolgante, não?

Pois é, toda essa empolgação desmoronou nos próximos três jogos. Tudo começou quando num jogo aparentemente tranquilo o Pelicans degringolou nos últimos minutos e entregou uma vantagem de seis pontos nos 20 SEGUNDOS finais. Victor Oladipo em um belo arremesso de longa distância e Myles Turner também de fora do perímetro, esse depois de uma lambança completa de New Orleans, empataram a partida e levaram para prorrogação, onde garantiram a vitória para Indiana. Depois dessa derrota bastante dolorosa, Van Gundy chama a responsabilidade para si nas entrevistas e prometeu um time mais ligado nas próximas partidas.

Contra o Thunder, um adversário teoricamente mais fraco, se esperava uma vitória com tranquilidade, depois de termos vencido a equipe a poucos dias por uma diferença maior do que 30 pontos. Não foi o que aconteceu, o time não acertou nada do perímetro (acertando 4 de 22 tentativas de 3 pontos) e o ataque parecia sem criatividade e sem opções para pontuar, o que já se notava em outros jogos e ficou claro nessa partida. A defesa, principal força do time também não foi bem, cedemos muitos arremessos de fora sem contestação e OKC em uma ótima noite converteram muitos deles. Time estava totalmente apático, cometendo bastante turnovers e o Thunder aproveitando disso, marcou incríveis 27 pontos vindos de contra ataque, um time com média de 7,5 pontos em transição. SVG reconheceu o problema nas entrevistas, enfatizou que esse alto número foi a principal razão da derrota e mais uma vez prometeu mudanças.

Na partida contra o Charlotte Hornets, primeiro encontro dos irmãos Lonzo e LaMelo Ball, a vitória era obrigação, além dos desastres nas últimas partidas o time precisava mostrar mudanças e uma reação desse mau momento, mas infelizmente não foi o que aconteceu. O time começou bem, ligado e esforçado no ataque, as bolas de três estavam caindo e o Hornets não conseguia se achar na partida. Chegamos a liderar por mais de 20 pontos e tudo parecia tranquilo. Até que no 3º quarto nada mais deu certo, os arremessos não caíam, a defesa cedia muito espaço no perímetro e eles se aproveitavam, um ataque mais uma vez sem criatividade e repertório pra quebrar a defesa. Acabamos tomando a virada, entramos no último quarto da partida perdendo por 10 pontos e sem confiança nenhuma para buscar o placar, até tentamos em determinado momento, mas sem sucesso.

Depois dessas três desastrosas partidas o sentimento é de desilusão e desconfiança no elenco, o Pelicans sofre muito no ataque e não tem um arsenal ofensivo poderoso, possui poucos arremessadores e menos ainda arremessadores de confiança. A defesa que encobria essa deficiência ofensiva também não está bem nos últimos jogos. Além do esquema novo do nosso treinador ainda estar sendo implementado e os jogadores  apresentarem falhas, aparenta faltar esforço e entrega dos jogadores em alguns lances. Para mim, o maior problema não é o resultado das derrotas em si, claro que quero que o Pelicans ganhe todos os jogos, mas se após as derrotas (que vão acontecer) mostrassem um aprendizado e não repetissem os mesmos erros não me incomodaria tanto afinal é um time jovem e que ainda está em um processo de evolução, mas as derrotas do jeito desastroso que foram e seguidas de erros semelhantes são bastante desencorajadoras.

Para piorar temos um calendário bastante difícil pela frente, juntando isso com o atual mau momento do time vão ser duro os próximos jogos, temos uma sequência de sete jogos fora de casa, sendo eles em ordem: Dallas Mavericks (jogo adiado), Los Angeles Clippers, Los Angeles Lakers, Sacramento Kings, Utah Jazz duas vezes seguidas e Minnesota Timberwolves.

Apesar desse mau momento não acho que seja o fim do mundo, ainda é o começo da temporada e o início de um trabalho totalmente novo de Stan Van Gundy sem uma pré temporada decente e com pouco tempo para implantar e praticar sua filosofia. Posso estar sendo otimista demais mas ainda espero uma melhora desse time, já era ciente de que tínhamos um começo difícil, o problema foi a forma que as derrotas aconteceram, hoje poderíamos estar com 7-2 ao invés de 4-5. A meta na minha opinião continua sendo a mesma do início da temporada, estar nos Playoffs. Seja pelo play-in (o novo modelo onde até o 10º briga por uma vaga) ou ficar acima da sétima colocação. O principal objetivo é dar uma experiência de Playoffs para um time com um núcleo jovem e já ir implementando uma mentalidade vencedora, porém isso não é uma tarefa fácil, principalmente na Conferência Oeste que é muito forte e disputada. Vão precisar mudanças para alcançar isso, por meio de trocas ou até mesmo de postura, mas é necessário mudanças.

DEIXE UMA RESPOSTA