O New Orleans Pelicans tem uma equipe bem mista, mas a atenção naturalmente acaba se voltando aos mais jovens. Potencial. Essa palavra já fez e já arruinou a carreira de muitos jovens atletas. Expectativas são criadas, e metas são estabelecidas com base em suposições, jogos de pré-temporada ou no famoso garbage time. Hoje, vamos conversar sobre como esses jovens estão performando (ou não).

 

Com a saída de Anthony Davis, chegaram jovens jogadores, que não por isso eram inexperientes. Lonzo Ball, Brandon Ingram e Josh Hart já tiveram certa rodagem contra profissionais, e sabiam como a banda toca pelos lados da NBA. Mas veio o draft, e o Pels adicionou mais 2 jovens de tremendo potencial (essa palavra de novo…), além de estocar um brasileiro na Austrália. Nickeil Alexander-Walker e Jaxson Hayes.

 

Hayes pesa 2 kg a menos que Josh Hart, apesar de ser 15 cm mais alto (e pular o dobro que Hart), é longo, móvel, não tem idade nem pra beber uma cerveja nos EUA, porém é surpreendentemente um bom pivô, numa era onde eles estão praticamente sendo protegidos pelo IBAMA. Com 20 anos, ele já tem inúmeros quase-posters, sempre ficando a uma falta de virar um poster que nunca será impresso.

 

Nickeil (NAW para os íntimos) também precisa malhar com Zion, mas para um ala-armador, ele tem boa mobilidade, ótima visão e é longo e ágil defensivamente. NAW não consegue esconder que se sente o melhor jogador em quadra (quando está de fato em quadra), e geralmente nos faz pular da cadeira – seja por uma jogada incrível que ninguém esperava, ou por inexplicavelmente entregar a bola na mão do adversário. Com ele, é sempre no limite do genial para o inexplicável.

 

Ambos têm seus pontos fortes e fracos, mas compartilham 1 ponto em comum, que me faz abrir os olhos para o futuro.

Eles são extremamente confiantes. Muito mesmo. Até demais às vezes.

 

Hayes sabe que pode enterrar a bola se estiver a 1 passo do garrafão, e não se intimida com defensores à sua frente (ou abaixo). NAW tem um arsenal de movimentos digno de street ball, com bandejas, euro-steps, arremessos criados do drible e passes que beiram a loucura. Ele não tem medo de tentar, porque de fato acredita que consegue fazer.

Essa mentalidade teve resultados mistos até agora. NAW estreiou a temporada na rotação, e em 1 semana foi promovido a torcedor VIP no banco de reservas. Hayes se viu com a posição no colo quando Zion foi para a mesa de cirurgia e Derrick Favors se afastou por conta da perda de sua mãe. Mas conforme os jogadores com experiência foram retornando, os jovens se viram cada vez mais pro fundo do banco. E é justamente por eles serem eles, que eu não me preocupo. Inclusive, me animo.

 

Hayes e NAW não parecem ter questionado seu talento em nenhum momento, seja no banco, ou jogando minutos de titular. Eles pisam em quadra, e fazem o que confiam que sabem fazer. Eles de fato tentam impactar o jogo. Para jovens, isso é muito importante. Hayes e NAW podem nunca serem All-Stars, nem titulares talvez. Mas tenha certeza que sempre que 1 deles pisar em quadra, é pra colocar seu tempero no jogo, e fazer algo além do que se espera. O tempo ensina, as falhas e tombos ensinam, e quem poderá prever o limite que esses 2 jovens podem chegar? Uma coisa é certa, eles acreditam que vão além desse limite.

DEIXE UMA RESPOSTA