Dilip Vishwanat/Getty Images

A AFC terá um novo dono a partir deste fim de semana. Depois de três anos de domínio dos Patriots na Conferência, ou Titans ou Chiefs será o time que vai representar a America Football Conference no SuperBowl em fevereiro. Quais são os ponto chave para cada equipe ter a chance de disputar o anel?

Os Titans
A grande sensação desses playoffs até aqui é o Tennessee Titans. A equipe de Derrick Henry foi o pior cabeça de chave da Conferência e só garantiu lugar na pós temporada na última rodada. Apesar de uma temporada que começou complicada, os Titans viram seu jogo mudar na semana 6 quando Ryan Tanehill virou o QB #1 do time no ano.

Com uma melhora evidente da equipe como um todo desde então, os Titans eliminaram os atuais campeões New England Patriots na rodada Wild Card e surpreenderam todos ao vencer fora de casa sensação da temporada, o Baltimore Ravens.

Os Chiefs

Vice-campeão da AFC na última temporada, o Kansas City Chiefs iniciou a temporada com expectativa lá em cima. Apesar da equipe começar bem o ano, o sonho pareceu um pouco distante no decorrer das semanas. A defesa, que já era um problema na temporada passada, parecia não ter melhorado e tudo piorou com a lesão de Patrick Mahomes na semana contra os Broncos no fim de outubro.

Quando tudo parecia perdido, a defesa dos Chiefs mostrou uma evolução incrível. Se tornou a melhor da defesa da NFL em pontos cedidos nas últimas dez rodadas e, com a volta de Mahomes, a equipe do Missouri descolou uma folga na primeira rodada dos playoffs e voltou a ser uma força importante na AFC. Chegou a essa final após virada incrível na semifinal de Conferência contra o Houston Texans.

O jogo
Tempo. Essa é uma palavra que pode ser crucial na definição do vencedor da partida de domingo.

Os Titans são uma equipe que correm com a bola muito bem, muito graças à força da natureza chamada Derrick Henry . Além disso, embora não seja o quarterback mais genial do mundo, Ryan Tanehill é experiente e já mostrou que sabe cuidar bem da bola. Não comete turnover e faz o que é necessário para manter as campanhas vivas por bastante tempo.

Por outro lado, o número 17 dos Titans deixa de ser tão efetivo quando é colocado em situação desconfortável. Ou seja, caso os Chiefs consigam uma vantagem no placar durante o jogo e façam com que o relógio jogue contra os Titans, o ataque de Tennesse certamente terá problemas.

Do lado dos Chiefs, também precisamos falar de relógio. Kansas City tem um ataque que consegue pontuar rapidamente e permite que o time corra atrás de praticamente qualquer situação adversa, como vimos no último domingo. Isso é algo excelente, mas também pode ser perigoso. Já conhecido por ser um treinador com um péssimo gerenciamento de tempo, Andy Reid e Eric Bieniemy precisam encontrar uma forma de não dar a bola para o adversário tão rapidamente em momentos chave.

A defesa, que se mostrou uma boa unidade no fim da temporada, tem agora seu último grande teste: conter Henry. Por sinal, defender o ataque corrido foi o maior problema dos Chiefs na temporada. Promete ser um embate interessante.

Assim, o jogo deve ser extremamente competitivo, principalmente se considerarmos que estarão frente a frente dois times com características bem diferentes. Apesar de ser difícil prever o resultado, algo é certo: a fria Kansas City terá uma tarde quente no domingo.

DEIXE UMA RESPOSTA