Os habituais abraços e apertos de mão pós-jogo estavam ausentes, substituídos por um Quarterback mal-humorado que foi para o vestiário sem dizer uma palavra. Baker Mayfield aparentemente não estava com humor para comemorar depois que os Browns venceram uma luta de sobrevivência por 13 a 10 contra o Detroit Lions. Ele entregou seu capacete para um funcionário do equipamento, entregou alguns equipamentos de jogo para um torcedor entre as grandes histórias de toda semana que aparecem no FirstEnergy Stadium, agarrou seu boné de costume e subiu o túnel antes que o relógio marcasse o fim do jogo. Sem parabéns ou high fives com qualquer companheiro de equipe, sem entrevistas de dentro do campo, sem apertos de mão no meio campo com os adversários. Ele apenas desapareceu.

Seu descontentamento se estendeu até o pós-jogo, quando ele se recusou a falar com a mídia. Os jogadores são obrigados a falar depois dos jogos, ganhe ou perca, especialmente quarterbacks. A única exceção é em circunstâncias relacionadas a ferimentos, e não, egos machucados não contam. É inédito Mayfield como um titular se recusar a falar após uma vitória e já que está com problemas físicos reais deve ter se escorado nisso e ganhado a liberação para estar com os repórteres. É aí que estamos com esta temporada dos Browns: nem mesmo as vitórias podem ser totalmente comemoradas. Sempre tem alguma coisa que estraga qualquer clima em qualquer semana.

O Browns venceram o Lions e estão 6-5 a uma vitória de voltar a Wild Card e justamente tem dois jogos seguidos contra o líder da AFC North o Baltimore Ravens onde pode o colocar como candidato forte a ir aos playoffs novamente o problema é que a desconfiança é grande quanto as atuações da equipe mesmo após vitórias. O Browns viraram um time com problemas de lesões, problemas extra campo, setores que receberam investimento e não estão jogando o esperado no meio de uma conferência onde parece que todos os times ainda tem chances reais de se classificar a pós temporada.

Uma boa analogia é que não falta gasolina para o carro que sobe uma ladeira muito inclinada, mas o composto do carro é um dilema, pneus desgastados, problemas no motor e freios e parece estarmos vivendo em uma bomba relógio que vivemos dentro de uma corrida onde a qualquer momento um desses problemas faça o carro travar na subida.

Parece imagem de livro de anatomia e fisiologia citando lesões mas é só o resumo da temporada do Mayfield

Mayfield desde a lesão no ombro pode ter feito a ideia de que a temporada do Browns estivesse perdida, ainda sim estamos sobrevivendo mas esse acúmulo de lesões aumentou, além do ombro ele agora tem lesões no joelho, quadril e calcanhar, visivelmente é um jogador com dor e a cada queda ou hit sofrido parece querer desmontar. Pense nesse cenário escrito em vários tweets num cenário diferente “o Browns sofreram mas venceram por 13 a 10 o Lions com Case Keenum de titular e agora terá Baker Mayfield mais descansado e recuperado de suas lesões a enfrentar o Ravens”, isso poderia ter acontecido mas Stefanski não escolheu deixar ele de fora de um jogo contra um Lions 0-8-1 de campanha.

Se o Browns vencer o Ravens no Sunday Night Football estará indo.para 7-5, podendo já estar em situação de Wild Card, indo para uma bye week e podendo jogar novamente contra o Ravens em casa valendo liderança de divisão na semana seguinte. Uma vitória pode ser o remédio a curar todo esse clima entorno do time.

Além disso, qual é o potencial de Mayfield de se curar pelo menos das lesões no joelho e calcanhar? Talvez uma semana não tivesse mudado nada mas será que três semanas em um mundo onde Keenum jogasse contra os Ravens permitiriam que Mayfield estaria muito melhor fisicamente para enfrentá-los na revanche em Cleveland? Parece que o Browns e sua temporada depende muito da recuperação física de certos jogado, além de Mayfiield temos homens como Jack Conklin e Kareem Hunt que estão prestes a retornar a jogo.

 

O problema é que existe um contexto que dá medo, se as lesões do Mayfield não melhorarem milagrosamente até domingo a impressão que temos é que colocar ele pra jogar contra o Ravens no SNF é praticamente uma sentença de morte. O cenário de impacto vai para os jogadores que vivem um 2021 de ferimentos também, o cotovelo deslocado de Jack Conklin foi um grande golpe para a equipe, porque quanto mais Blake Hance jogou, mais as equipes estão levando vantagem nos matchup contra ele. Os adversários descobriram esse ponto fraco da linha ofensiva do Browns e exploram isso de forma consistente, o que é limitado ao que os Browns podem fazer no jogo de passes. Já Kareem Hunt ja pode ser adicionado novamente ao plantel para o jogo de domingo e por mais que D’Ernest Johnson fez um grande papel nessas últimas semanas Hunt é especial e tira muito da responsabilidade do Chubb das partidas, antes do jogo contra o Cardinals o da sua lesão ele vinha de 4 jogos seguidos para pelo menos um touchdown e sempre na casa de 60-70 jardas por jogo.

Donovan Peoples-Jones considerado melhor recebedor da temporada do Browns poderá estar de volta também, sua lesão na virilha já o fez perder três jogos na temporada e sua falta é só bem vista quando falamos para relembrar quem foi ele para o jogo contra o Bengals por exemplo. O Browns jogou esse domingo sem ele e Schwartz precisando colocar Felton e Bradley recém promovido do Practice Squad a estarem recebendo muitos snaps. O que era pra ser um dos pontos mais fortes da franquia acabamos nos deparando em se livrar de Odell, viver com um Landry pela primeira vez sofrendo com uma lesão, Jones fora por alguns jogos e tendo que confiar em recebedores jovens.

O Browns era um time 5-5 contra um Lions 0-8-1 e mesmo assim os dois pareciam ser times incompetentes. Tim Boyle fazendo sua estréia na NFL teve duas interceptações e apenas três terceira descidas convertidas mas mesmo assim sofreu pouca pressão e nenhum sack sofrido. DeAndre Swift encontrou sucesso ao longo do caminhar da partida tendo até um touchdown de 56 jardas, o Lions encontrou novamente algo parecido com o que o Patriots fez, ganhando vantagem no interior da linha e levando bloqueios duplos para o segundo nível do campo rumo aos linebackers.

AFC completamente uma loucura decidida semana por semana. Vencer um jogo é sobreviver, perder um jogo é saber que vai se separar deles

Nick Chubb recém liberado de um diagnóstico de COVID-19 que o manteve fora do jogo anterior, não parecia sentir o desgaste depois de uma semana fora, acumulando 130 jardas correndo em 22 corridas e que poderia ser mais onde penalidades de bloqueios tiraram grandes avanços dele. Denzel Ward teve mais uma interceptação e um jogo bastante seguro por mais que o jogo aéreo do Lions não seria um grande perigo e no ataque também Hooper teve seu jogo mais seguro da tempo certamente.

Uma cirurgia adiantada do ombro para o Mayfield poderia ajudar a progressão futura mas o Browns não vai adotar isso e nem o próprio jogador, o Browns ainda é um time lutando por playoffs. A equipe precisa evoluir a jogos como o de ontem porque render dessa forma no domingo a noite assim o jogo e suas chances poderá ser terminado ainda no intervalo. Existe o cenário que o Browns pode vencer e curar muita coisa do falatório ou perder ir para um 6-6 mas ainda abraçar a bye week e o tempo para terminar a recuperação de alguns jogadores para tentar utilizar a “última faísca” do ano.

O problema é que tentamos analisar o agora e o futuro mas a verdade é que o Browns e o caminhar até a última semana dá temporada regular é um completo dilema, com diversos caminhos que podem acontecer por diversos fatores.

DEIXE UMA RESPOSTA