Esse título representa uma grande dúvida no mundo da NFL. Afinal, Sam Darnold foi mal lapidado por Adam Gase e isso pode afetar o restante de sua carreira na NFL. Hoje iremos entender se Sam Darnold ainda pode alcançar seu potencial visto no College, e se realmente pode tornar-se um Franchise Quarterback na NFL.

Histórico na NFL

foto: Danielle Parhizkaran/NorthJersey.com

Darnold chegou ao Draft da NFL como uma possível primeira escolha geral, pois sua carreira em USC, foi uma das melhores nos últimos anos. Com 57 touchdowns e 22 interceptações, ele liderou os Trojans a dois Bowls (Rose Bowl 2017 e Cotton Bowl 2017).

Após os Browns selecionarem Baker Mayfield na primeira escolha geral do Draft de 2018 e os Giants o RB Saquon Barkley na segunda, Sam Darnold literalmente caiu no colo do New York Jets na terceira escolha geral. No seu primeiro ano com os Jets, conquistou apenas 3 vitórias, entrou somente no 4° jogo da temporada, assumindo assim a titularidade.

Após a temporada 2018, os Jets demitiram o então HC Todd Bowles e assinaram com o ex Miami Dolphins Adam Gase. A notícia da contratação de Gase não caiu bem nos tabloides, criando um consenso de que Gase terminaria de destruir o que Bowles havia começado. Mas, diferentemente desse consenso que foi criado, Sam Darnold se mostrou feliz e confiante que Gase o ajudaria a se desenvolver como Quarterback.

Em 2019, Darnold teve um ano bem consistente, perdendo apenas 3 jogos e somando um recorde de 7-6. Até então, o Quarterback era visto com bons olhos apesar de Adam Gase, mas tudo mudou depois de uma acachapante derrota para o New England Patriots por 33-0 em pleno Monday Night Football, no qual Darnold disse a seguinte frase durante o decorrer da partida: “Eu estou vendo fantasmas”.

Dali em diante, o até então promissor QB vindo de USC começou a ser visto como uma causa perdida. Ou seja, um talento que foi destruído por um treinador que claramente está perdido e que recentemente assumiu que falhou em desenvolver Sam Darnold da forma correta.

Existe salvação para um talento parcialmente perdido?

A temporada de 2020 dos Jets vem confirmando que o consenso criado durante a contratação de Adam Gase está, cada vez mais, correto. Hoje, o New York Jets é uma franquia totalmente disfuncional, onde grandes estrelas preferem passar longe mesmo estando em um dos maiores centros midiáticos do mundo.

Com uma provável 2° escolha geral no Draft de 2021, os Jets provavelmente irão despedir Adam Gase, draftar um novo Quarterback e recomeçar do zero. À partir disso, Darnold deve seguir outros rumos para a temporada que virá. Com esses pontos em evidência, se os Jets realmente tentarem trocar Darnold, talvez não conseguiriam grandes coisas, mas é possível uma mudança de cenário.

No último domingo (20/12) os Jets conseguiram sua primeira vitória na temporada após bater o Los Angeles Rams por 23×20. Contando com uma boa atuação de Darnold, (que pode ser vista como uma mudança de chave na confiança do mesmo, visto que ele venceu uma das melhores defesas da liga), os Jets agora sim podem tentar capitalizar em escolhas de draft se assim preferirem.

Darnold por pouco não é uma causa perdida, o talento está ali, mas precisa praticamente começar do zero. E dessa vez contar com um treinador capacitado que possa lhe ajudar a ser um Franchise Quarterback.

Avatar
Torcedor dos 49ers, apaixonou-se pelo time após o passe de Alex Smith para Vernon Davis no Wild Card de 2011 contra o New Orleans Saints, também é dono do perfil @Column49ersBR no Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA