Poderia facilmente iniciar este texto enaltecendo a varrida do San Diego Padres sobre o Cincinnati Reds, mas a grande verdade é que os café e ouro não fizeram mais do que a obrigação. Jogando contra uma equipe com aproveitamento abaixo de 50%, se impuseram jogando em casa e não deram qualquer sopa para o azar. Depois de uma série instável contra o atual campeão da Série Mundial, Atlanta Braves, os comandados de Bob Melvin seguiram a risca sua cartilha, com um jogo de ocupação de bases e impulsionamento. Assim, em momento algum da série, os Reds chegaram a preocupar, apesar dos talentos individuais existentes no plantel como Votto, Naquin, Moustakas e até mesmo Pham, que de volta ao Petco Park, deseja causar azia ao Padres. Foi até bem nos jogos, mas não o suficiente…

Game 1: San Diego Padres 4, Cincinnati Reds 1

Embalado pela recuperação na série contra o Atlanta Braves, o San Diego Padres começou em alta velocidade o primeiro jogo da série contra o Cincinnati Reds. Marcou duas corridas logo de início e depois administrou a contagem até o final. No montinho pelo café e ouro, Sean Manaea. Pelos lados dos Reds, Nick Lodolo. O Aquaman sentiu logo de cara a ira do ex-Padres Pham, que anotou um home run na primeira entrada. Mas foi só. Com o controle dos nervos retomado, foram seis entradas e 26 adversários eliminados, sendo seis por strike out. Na sexta entrada, Manaea contou com uma linda defesa deslizante de Myers para manter seus números. No geral, cedeu seis rebatidas, uma corrida e dois walks. Depois, Wilson, Johnson e Rogers concluíram o serviço. Aliás Rogers teve trabalho, mas fechou o jogo em 24 arremessos.

No ataque, Manny rebateu três de quatro, uma delas um home run de duas corridas. Segue afiado o garoto Machado. Nola rebateu duas em quatro e Kim, todo sem jeito, rebateu para impulsionar Profar na quarta entrada. Por fim, Voit impulsionou Machado na sétima entrada para fechar a contagem. Bob Melvin levou a campo Voit (1B), Cronenworth (2B), Kim (SS), Machado (3B), Myers (RF), Grisham (CF), Profar (depois Azocar, LF), Alfaro (C), tendo Nola como rebatedor designado. O umpire Mark Carlson teve 95% de acerto nas chamadas de bola e baixíssimos 84% de acuidade nas chamadas de strike. Apesar de seu desempenho ruim, não comprometeu o resultado da partida.

Game 2: San Diego Padres 6, Cincinnati Reds 2

Com uma primeira entrada forte, tendo três corridas capitalizadas, o San Diego Padres colocou frente no segundo jogo da série contra o Cincinnati Reds. Depois, foi só administrar a vantagem nas demais entradas, em mais uma atuação segura do arremessador inicial sandieguense Joe Musgrove. E o Big Joe foi a locomotiva de sempre, começando devagar, passando a ganhar intensidade com o decorrer da partida. Logo na primeira entrada cedeu um home run para Pham (de novo ele). Depois, só na sexta entrada os Reds voltaram a pontuar. Musgrove atuou por 6.1 entradas e eliminou 24 adversários, sendo sete deles por strike out. Cedeu apenas quatro rebatidas neste período, duas corridas e um walk. Depois, Suarez e Hill completaram o serviço.

No quesito ofensivo, Machado abriu os trabalhos com um home run de duas corridas. Myers quase fez o seu home run na quarta entrada. A bola bateu no muro e voltou, mas foi o suficiente para impulsionar Hosmer de volta para casa. Depois foi a vez do calouro venezuelano José Azócar devolver a gentileza e trazer o campista externo ao home plate. Machado e Hosmer, com duas rebatidas cada, comandaram o ataque. Já Luke Voit passou zerado novamente e talvez seja a hora de trocar uma ideia, se afiar com o Machado. Jake Cronenworth segue com um desempenho abaixo no bastão, porém continua compensando e chegando em base por walk. Destaque para o umpire Erich Baccus, com incríveis 100% de acuidade nas chamadas de strike e excelentes 94% nas chamadas de bola. Alinharam pelo café e ouro nesta partida Hosmer (1B), Cronenworth (2B), Kim (SS), Machado (3B), Myers (RF), Azocar (depois Grisham, CF), Profar (LF), Nola (C) e Voit (DH).

Game 3: San Diego Padres 6, Cincinnati Reds 0 

No terceiro encontro da série, os Padres alinharam com Hosmer (1B), Cronenworth (2B), CJ Abrams (SS), Kim (3B), Myers (RF), Grisham (CF), Profar (LF) e Machado (DH). A bateria contou com Alfaro como apanhador de Gore que foi o arremessador inicial. Machado atuou como rebatedor designado. Foi o jogo da paciência. Começou equilibrado e até a terceira entrada o Padres não havia pontuado. Pontuou na quarta (duas vezes), quinta, sétima e oitava entradas (duas vezes). Machado, Cronenworth, Profar (duas vezes), Alfaro e Kim completaram o diamante e movimentaram o placar.

No ataque, o campista externo Profar estava quente, com duas rebatidas – uma delas um home run de duas corridas – e dois impulsionamentos em suas quatro passagens ao bastão. Isso sem falar no belíssimo roubo de base. Além dele, Grisham, Hosmer, CJ Abrams e Kim colocaram a beisebolinha em jogo. Já Machado, jogando como rebatedor designado, passou zerado pela caixa de rebatida. Na defesa, duelo de MacKenzie Gore contra Vladimir Gutierrez. Mais entrosado, Gore foi bem mais uma vez, atuando por cinco entradas completas e cedendo apenas quatro rebatidas, dois walks e um wild pitch (arremesso que passa pelo apanhador). Em contrapartida, foram sete eliminações por strikeouts frente a vinte rebatedores, em mais uma grande atuação do garoto. Wilson, Johnson, Garcia e Lamet, este como fechador de apenas nove arremessos, também entraram na partida. Profar também se destacou na defesa. Na parte baixa da quarta entrada defendeu uma rebatida de Moran no campo externo e soltou o braço para, com a ajuda de Alfaro, queimar Votto quase alcançando o home plate.

Seguimos caminhando forte para quebrar as projeções da temporada. E que venham os cachorrões da cidade dos anjos.

Autor: Henrique Porto

DEIXE UMA RESPOSTA