Em um dos melhores jogos da temporada 2020, o Indianapolis Colts venceu o Green Bay Packers de maneira épica com field goal de Rodrigo Blankenship na prorrogação. O placar de 34-31 no Lucas Oil Stadium mostrou a força dos Colts após estarem perdendo por 14 pontos no intervalo, com destaque mais uma vez para o setor defensivo, que carregou o time a 7-3 na temporada.

O BOM

17 turnovers! ELITE!

Difícil falar de apenas uma coisa após uma vitória como essa. Podemos começar pelo segundo tempo praticamente perfeito da defesa. Em mais uma demonstração de força e resiliência, a unidade comandada por Matt Eberflus engoliu Aaron Rodgers e companhia após o intervalo. Foram apenas 147 jardas, sendo 86 no último drive que levou à prorrogação, e três pontos cedidos. Justin Houston conseguiu o único sack para os Colts, Darius Leonard e Kenny Moore II contribuíram com 10 tackles cada e Rock Ya-Sin, além de um passe desviado, conseguiu uma bela interceptação no primeiro tempo.

Podemos falar também dos turnovers forçados. Além da interceptação do Ya-Sin, foram dois fumbles forçados, um pelo DE Cassius Marsh Sr. num retorno de kickoff e outro pelo S Julian Blackmon na prorrogação, que nos deu a oportunidade da vitória. O outro fumble aconteceu em um snap onde Aaron Rodgers não segurou a bola e Darius Leonard recuperou a posse. Já podemos colocar o Julian Blackmon como candidato a Defensive Rookie of the Year? Temporada fantástica do #32, chegou ao terceiro turnover forçado na temporada (maior marca de um calouro), sendo dois para ganhar o jogo.

No lado ofensivo, Philip Rivers teve uma excelente partida. Com 288 jardas, 24/36 passes completos, três TDs e uma interceptação (sem culpa do QB), Rivers distribuiu muito bem os passes entre 11 recebedores diferentes. Mais uma vez Michael Pittman Jr. se destacou. Com três recepções, 66 jardas e o primeiro TD na carreira, o calouro vem se mostrando cada vez mais importante e um alvo confiável para o QB. Os WRs Zach Pascal e T.Y. Hilton contribuíram com 54 e 36 jardas respectivamente. Os TEs Trey Burton e Jack Doyle, com um TD cada, foram importantes peças no jogo aéreo. Pelo chão, o RB Jonathan Taylor teve sua melhor atuação na temporada. Com boas leituras dos bloqueios o novato chegou a 90 jardas em 22 corridas, além de outras 24 pelo ar.

Com a vitória os Colts se consolidam como pedra no sapato de Aaron Rodgers. No possível último confronto entre ambos, Indianapolis leva a vantagem com 3-1. Destaque ainda que duas dessas vitórias foram com os Colts perdendo por mais de 14 pontos no intervalo. Rodgers possui um recorde de 95-2 neste mesmo recorte contra o resto da NFL, enquanto contra Indianapolis: 1-2.

O RUIM

Mesmo com quatro turnovers forçados, os Colts não aproveitaram bem as retomadas de posse. Foram apenas seis pontos feitos pelo ataque provenientes dos erros dos adversários. Enquanto isso, Green Bay capitalizou os erros dos Colts (interceptação do Rivers e fumble do Mo Alie-Cox) com 14 pontos, justamente a vantagem do intervalo. Sem falar que mais uma vez a eficiência em terceiras descidas foi baixa. Apenas seis conversões em 16 tentativas durante o jogo.

O excesso de faltas quase prejudicou o final de jogo. No último drive dos Colts no tempo normal vimos cinco faltas. Não iremos opinar se elas deveriam ser marcadas ou não, mas vimos uma situação em que o time precisa ser mais inteligente para matar o jogo. Em uma das oportunidades, Jonathan Taylor conseguiu uma excelente corrida para touchdown. A falta de Pascal por segurada foi essencial para que o calouro conseguisse chegar à endzone adversária, e de fato deveria ser marcada. Porém um WR conhecido por bloquear bem deveria fazer um melhor trabalho em campo.

RODRIGO BLANKENSHIP

O kicker calouro teve papel importantíssimo na vitória. Foram 4/5 FGs convertidos e 2/2 XPs. O único FG errado foi um chute curto que acertou a parte de baixo da trave para 50 jardas. Blankenship não se deixou abater com o erro e acertou de 39 jardas no overtime para dar a vitória aos Colts. Rodrigo lidera a NFL em pontos, com 94, e se tornou o segundo calouro na temporada a marcar 14 ou mais pontos num único jogo.

PRÓXIMA CONFRONTO: Tennessee Titans

No próximo domingo, às 15h, o Indianapolis Colts recebe o rival Tennessee Titans no jogo que pode definir os rumos da AFC South. Com transmissão da ESPN para o Brasil, os Colts terão a oportunidade de varrer o rival e abrir pelo menos dois jogos de vantagem em relação aos Titans. Devemos novamente tomar cuidado com o perigoso ataque adversário, carregado pelo RB Derrick Henry. Vindo de vitória importante contra os Ravens, Tennessee virá “mordido” por conta da derrota há duas semanas no TNF. Os Colts precisam ter cuidado redobrado pois qualquer erro pode ser fatal.

Em boa fase, Rivers tem condição de carregar nosso ataque a mais uma vitória e nossa defesa, mesmo cedendo 100 jardas a Henry em jogos consecutivos, tem sido uma pedra no sapato dos Titans. Com quatro vitórias nos últimos cinco jogos contra o rival, os Colts tem a oportunidade de colocar uma das mãos no título da AFC South caso vença. Estar 2-0 contra um rival que briga pela divisão é essencial a esta altura da temporada.


Fiquem ligados nas notícias sobre os Colts no @HorseshoeBr@potrosbr  e @fumblenanet, além dos pitacos da @CarolVago12, do @pj1992 e do @William_Borella!

Assine o Colts Brasil no Spotify!

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio do podcast ou texto! https://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

Fotos: disponíveis no site oficial dos Colts.

DEIXE UMA RESPOSTA