Sim, o elenco do Vikings é  o bastante para chegar aos playoffs. Mas, antes de chegar em uma conclusão geral, vamos ver a situação da franquia para a próxima temporada:

Defensive Line

Hunter Pops The Ball Loose, Odenigbo Rumbles 56 Yards For Scoop ...
vikings.com

Primeiramente, vamos falar da Defensive Line, que perdeu os titulares Linval Joseph e Everson Griffen. Obviamente, são duas perdas sentidas, já que Joseph era o principal Run Stopper do time e Griffen contribuía com oito sacks e 24 QB Hits. Além do fato de que os dois eram capitães da defesa e lideres muito presentes.

Agora, com a finalidade de querer manter o nível da DL, tudo indica que Ifeadi Odenigbo, que contribuiu com sete sacks e 13 QB Hits na temporada passada com snaps limitados, irá assumir a titularidade no lugar do Griffen, tendo uma possível breakout season. 

Entretanto, a vaga de Joseph ainda é uma incógnita. O único reforço de peso que o Vikings buscou nessa free agency foi o Michael Pierce, exatamente para cobrir a vaga de DT. Porém, a pouco tempo ele anunciou que não irá jogar essa temporada devido a pandemia da COVID-19. Vale ressaltar que ele sofre com asma e preferiu preservar a própria saúde, uma vez que ele é grupo de risco. Além disso, o Vikings buscou PJ Hall, do Raiders, mas ele não passou no teste físico e a troca não foi efetuada.

Sendo assim, tudo indica que se o Vikings não buscar um nome de peso para essa temporada, terá que fazer um rodízio com os jogadores que tem no elenco: Shamar Stephen, Jaleel Johnson, Armon Watts, James Lynch (R) e Hercules Mata’afa.

Linebackers

Vikings players slam NFL's George Floyd statement
Getty Images

Do mesmo modo de que das quatro últimas temporadas, temos como pilar da defesa do Vikings, os dois crias de UCLA: Eric Kendricks e Anthony Barr. Os dois se mostram a cada temporada estarem mais entrosados e capazes de serem jogadores de elite na maior liga de futebol americano do mundo. Embora o Kendricks tenha dado um salto absurdo de qualidade, sendo nomeado All-Pro na última temporada (principalmente pela habilidade de defender contra o passe), ele com certeza é um dos LB’s mais completos que eu já vi jogar.

Tenho que ponderar também a eficaz entrada de Eric Wilson nesse corpo de linebackers. Eric é um cara agressivo, que dificilmente erra tackles, e tendo Kendricks ao seu lado, tanto ele quanto o Barr melhoraram no quesito pass coverage. 

Os Vikings ainda selecionaram o LB Troy Dye, de Oregon, um cara que era a “menina dos olhos” dos scouters no 3º dia de draft. Não vem pra impactar imediatamente, mas é para se olhar para as próximas temporadas.

Secundária

PFF: Vikings Anthony Harris and Harrison Smith are the best safety duo
Robert Hanashiro-USA TODAY Sport

Antes de tudo vamos aplaudir a melhor dupla de safety da NFL, Harrison Smith e Anthony Harris, por ter carregado esses animais em 2019.

(aplausos)

Eles simplesmente fizeram que Xavier Rhodes e Trae Waynes; a pior dupla de CB da NFL em porcentagem de passes completos; a maior em penalidades; e o maior QB Rating (128.4) em passes lançados contra eles, participassem da 3ª melhor defesa contra o passe da NFL. Absurdo né?

Para os fãs da dupla, ficar ligado na conta da PFF no twitter é uma massagem de ego diária. Tudo relacionado a defesa contra o passe em comparação com outros, meros mortais, safeties, eles estão em 1º e 2º. Temos que agradecer aos deuses do futebol americano por poder vê-los novamente na temporada de 2020, já que o Vikings acionou a Franchise Tag para manter o Harris mais um ano em Minnesota.

Por consequência do péssimo ano do corpo de conerback’s no geral, com a saída de Rhodes, Alexander, Waynes e Kearse, o Vikings foi com tudo nesse draft e selecionou Jeff Gladney, de TCU, e Cameron Danzler, de Mississippi State, nomes que com certeza vão ser muito utilizados no primeiro ano.

É possível ver com clareza a empolgação deles, da coach staff e da torcida para vê-los em campo. Os dois chegam para juntar com Holton Hill e Mike Hughes nesse corpo de CB’s jovens. Além disso, chegaram a ter especulações de que Mike Zimmer tenha pedido um veterano para ajudar nessa posição, nomes como Logan Ryan e Dre Kirkpatrick foram ventilados, mas nada concreto.

Kirk Cousins

Vikings' Kirk Cousins quiets critics with the right kind of loud ...
Getty Images

Finalmente, podemos falar agora do nosso Capitão Kirk, o QB tão criticado pelos fãs da NFL nos últimos anos, tendo a fama de “pipoqueiro” sendo exposta e renegada após o passe longo para Thielen, e o passe para TD para Rudolph nos playoffs da temporada passada.

Acabando, também, com qualquer pensamento que alguém pode ter sobre ele no quesito liderar uma equipe com pretensões altas, já que ele teve o 4º melhor QB Rating da NFL; 2º melhor rating em passes sendo pressionado; uma das melhores porcentagens de passes completos em jogadas pra +25 jardas.

Enfim, posso falar aqui o dia todo o quanto a narrativa geral é errada sobre o Cousins. Mas se quiser mais, siga o perfil @DustBaker, lá tem estatísticas todos os dias sobre o quão incrível é Kirk Cousins e o fato dele ser tão overhated pelos fãs de NFL e pela própria torcida.

Ofensive Line

2019 Vikings Position Recap: Offensive Line
vikings.com

Embora a OL tenha sido bastante criticada em 2018, em 2019, com a chegada de Bradbury e Kline, ela deixou de ser um peso para o ataque e ajudou bastante o esquema abrindo espaço para corridas e dando o máximo de tempo pro QB lançar. Ainda não é o ideal, mas tem tudo pra melhorar.

O novo OC Gary Kubiak, alguns dias atrás, em entrevista disse que o rookie selecionado no 2º round, Ezra Cleveland, que originalmente joga de tackle, foi posto pra jogar de guard e está tendo resultados bons nos treinamentos. Além de elogiar o segundo anista Dru Samia, que também é guard.

Neste setor, tudo indica que os titulares no primeiro momento serão Reiff, Eflein, Bradbury, Cleveland/Samia e O’Neil. Nada tão diferente do ano passado, mas talvez com mais um ano juntos podem melhorar o desempenho, tendo em vista que o esquema continua o mesmo.

Recebedores

Andy Kenutis on Twitter: "View my exclusive photos from ...
Andy Kenutis

Certamente, a saída de Stefon Diggs era eminente, esteve insatisfeito por bastante tempo em questão de target’s e por achar que ele mesmo poderia participar mais do ataque. Com isso, o Vikings o trocou para o Bills, e vida que segue.

O diferente da equipe para essa temporada é certamente a saída do Diggs e a chegada muito esperada do WR de LSU Justin Jefferson, que promete chegar tendo um impacto gigantesco no ataque. Além de ter consigo Tajaé Sharpe na free agency, que é um ótimo nome para brigar com Bisi Johnson e outros pela vaga de WR3. Sendo assim, Adam Thielen tem agora a responsabilidade de ser o WR1 unânime e liderar esses jovens recebedores para a melhor forma nessa temporada.

Ainda sobre os chamados “recebedores”, os tight end’s da franquia de Minnesota continuam os mesmos, sem nenhuma mudança grande. Mas, é bom ficar de olho no segundo anista Irv Smith, que se mostrou um cara muito presente recebendo bolas no meio campo e até podendo se alinhar no slot. Esse é um cara que eu apostaria numa breakout season sendo bastante utilizado esse ano.

Running Backs

Dalvin Cook, Alexander Mattison sat out practice Thursday ...
Getty Images

Por último, mas não menos importantes (talvez sejam sim), os running backs. Dalvin Cook correndo pra 1.135 jardas, 13 TD’s e 4.5 AVG na última temporada foi o pilar para esse ataque funcionar. Conseguindo jardas após o contato, 1ªs descidas importantes e ajudando no ataque aéreo, ele foi essencial para o Vikings chegar aonde chegou. Ao mesmo tempo, Alexander Mattison, com bem menos corridas que o Cook, conseguiu ter um AVG superior, com 4.6, 462 jardas totais e 1 TD.

Eventualmente, vimos na offseason uma espécie de briga entre o Cook e o Vikings sobre valores de um próximo contrato, já que o contrato de calouro acaba no final dessa temporada. Os representantes do RB alegam que ele merece ganhar parecido com os contratos de McCaffrey e Elliott, já os dirigentes da franquia batem na tecla do histórico de lesões do jogador, que é bem complicado, e que segundo eles, diferentemente dos jogadores citados, ele perde muitos jogos por conta disso. Ou seja, ainda sem nenhum acordo entre ambas as partes.

Dalvin Cook já está participando dos Training Camps e ainda é uma incógnita o que ele irá fazer – se vai jogar o resto do contrato para provar que merece um novo, ou se há a possibilidade de alguma greve. O corpo de RB’s está formado por ele, Mattison, Abdullah, Mike Boone e o full back CJ Ham, que se mostra eficaz em corridas curtas e, principalmente, em bloqueios gerando espaço para as corridas acontecerem.

Minnesota Vikings pode sim ser um contender

Philadelphia Eagles v Minnesota Vikings
Stephen Maturen/Getty Images

Embora o fato de que nomes importantes (ou que já foram importantes) saíram, a base do time continua a mesma. A adição de jogadores jovens e talentosos pode melhorar muito a equipe em questão de teto salarial e longevidade, mantendo um time bom por vários anos.

Além do mais, mesmo com a saída de Kevin Stefanski para ser coach do Browns e a adição do campeão do Super Bowl pelo Broncos Gary Kubiak, o esquema não deve mudar, e ainda vão correr muito com a bola mantendo o QB o mais confortável possível.

O Vikings de Mike Zimmer vem de cinco temporadas consecutivas sem campanhas negativas, e com a notícia de sua extensão contratual junto com a do GM Rick Spielman, não há nenhum indício de queda por agora.

Nessa temporada eu aposto um 10-6 ou 11-5, mas sem clubismo rs.

DEIXE UMA RESPOSTA