A nova temporada da NBA já começou e está com tudo. Apesar do incomum pouco tempo de pré-temporada devido a situação da pandemia no ano passado, a maioria dos principais contenders ao título começaram bem. Mas, além desses, alguns times dos quais não se esperavam muito, ou quase nada, estão mostrando um certo potencial de ameaça. Um deles é o Cleveland Cavaliers.

Após ter feito uma das piores campanhas na última temporada, a expectativa já seria baixa. Veio a offseason e pouco foi mudado no elenco, resultando em mais desconfiança. Mas, para um time que taxado como um possível saco de pancadas, o Cavaliers mostrou nesses seis jogos bons motivos para esperar dias melhores.

A equipe começou a temporada com um surpreendente 3-0 e agora está com 4-2, no quarto lugar da Conferência Oeste. As duas derrotas do time vieram em jogos desfalcados por Kevin Love e Isaac Okoro, peças importantes na rotação J.B. Bickerstaff.

Perigos

Aliás, essa contusão de Love deve servir de alerta, visto que há tempos ele tem sofrido para se manter saudável. Bickerstaff sabe disso, assim sendo, é bom não contar tanto com o veterano e ter opções nas rotações. Além disso, outro perigo é o time acabar perdendo a confiança ou saindo do bom caminho que parece ter encontrado só por causa dos tropeços. No penúltimo jogo, um colapso no 3° quarto tirou qualquer chance de vitória, coisa que acontecia muito ano passado. Mais um ponto em que treinador precisa trabalhar com afinco para minimizar.

Contudo, no momento há mais motivos para se animar do que para se preocupar:

Isaac Okoro

Fora dos últimos quatro jogos devido a um entorse no tornozelo, ele parece ter sido um tiro certeiro dos Cavs. Okoro não vai ser um dos maiores pontuadores do time, essa não é sua característica. Mas, com um atleticismo absurdo e enorme inteligência de marcação, o jovem de 19 anos deve agregar muito na defesa do time de Ohio, que foi terrível na última temporada, sofrendo 114,8 pontos por jogo em média. Isaac Okoro é competente tanto na marcação de perímetro como na ajuda a proteção do garrafão, além de ser ótimo reboteiro por seu bom posicionamento e agressividade na disputa pela bola.

A propósito, a defesa já mostrou evolução neste começo de temporada, com 108 pontos sofridos em média. Claro que Bickerstaff sabia que este era um ponto importante a se trabalhar e ver que seu trabalho já está aparecendo é animador.

Garrafão

A chegada de Andre Drummond surpreendeu a todos e agora Cleveland, com ajuda, pode ter um ótimo garrafão, tanto no ataque quanto na defesa. Drummond tem quase 18 pontos e 15 rebotes de média nesses seis jogos, um jogador que domina o espaço. Para auxilia-lo, o time recebeu JaVale Mcgee, dos Lakers, que tem médias de 9.8 pontos e 7.4 rebotes. Apesar de forçar alguns arremessos, é um atleta muito útil nas rotações e que traz experiência ao elenco.

Além dos pivôs, o jogo de garrafão tem o auxilio de Love (9.5 pts e 6 reb), o calouro Okoro e Larry Nance Jr. (9.2 pts e 7 reb). Este último, aliás, tem feito um começo de temporada muito interessante.

SexLand

Entretanto, sem sombra de duvidas, o principal motivo de alegria e esperança da torcida é a dupla Collin Sexton e Darius Garland, ou SexLand para os mais íntimos. Todos já sabiam da capacidade de Sexton em pontuar e criar arremessos, tanto de média quanto longa distância. Agora, o que nem todos acreditavam, era na capacidade de Garland e se ele poderia ser o playmaker que os Cavs precisavam. Pode ser cedo para afirmar, mas parece que sim, ele tem 7.2 assistências por jogo, além de ótimos 19 pontos.

Mas o que mais impressiona é a boa comunicação e inteligência ao ajudar nas criações de jogadas ofensivas da equipe. Além, claro, da sintonia fina com Sexton e da divisão de responsabilidade, gerando o apelido “SexLand”.

Essas são as principais armas do Cavaliers, que ainda contam com uma ajuda decente vindo do banco por Dante Exum e Cedi Osman. Ainda há o jovem Kevin Porter Jr., que mostrou bastante potencial no fim do ano passado, mas que parece estar com problemas fora das quadras e ainda não retornou ao time para a temporada.

Claro que é cedo para afirmar qualquer coisa, mas a torcida de Cleveland tem sim motivos para sonhar tanto agora como no futuro da franquia.

DEIXE UMA RESPOSTA