Salve, salve fãs de beisebol. Está chegando a hora da seletiva para o futuro de seu time na principal liga de beisebol do planeta. Pela primeira vez, o draft acontecerá em julho e dará início às atividades festivas do All-Star Game, que acontecerá no Coors Field, em Colorado.

Serão 29 escolhas na rodada principal, descontando a rodada de balanceamento – o Houston Astros perdeu a sua escolha como punição pelo escândalo no roubo de sinais – e cada equipe com seu orçamento pré-estabelecido para montar a sua estratégia visando os prospectos vindos do college/high school. Outra novidade está na redução do evento como um todo: serão 20 rodadas em 2021 (reduzindo pela metade o formato como conhecíamos até 2019).

Sem mais delongas, o primeiro rascunho. Haverão outros mocks até o dia oficial do draft.

Jordan Lawlar
Jordan Lawlar, shortstop de Jesuit Prep. Foto: JesuitRangers.org

1. Pittsburgh Pirates: Jordan Lawlar (SS – Jesuit Prep, TX)
A dúvida aqui é saber quem sairá na escolha principal (e nem as casas de apostas cravam quem vem imediatamente à cabeça na #1). Lawlar é tido como o melhor prospecto vindo do high school, com ferramentas semelhantes à Bobby Witt Jr, principal promessa em KC.

2. Texas Rangers: Jack Leiter (RHP – Vanderbilt)
Dominou por grande parte da temporada o college baseball em 2021 e se mostrou um pitcher completo. Vanderbilt chegou a diminuir sua carga de jogos para focar na fase derradeira da NCAA. O melhor prospecto do college caindo no colo texano.

3. Detroit Tigers: Marcelo Mayer (SS – Eastlake, CA)
Outro prospecto a ser lapidado indo para Motor City – ou a famosa sobra – que pode ser considerado um steal. Projetado para ser um SS a longo prazo nas grandes ligas, Mayer cresceu nos últimos meses e pinta como uma das principais escolhas em julho próximo.

4. Boston Red Sox: Kumar Rocker (RHP – Vanderbilt)
Consenso que seria #1 ao final de 2020, foi ofuscado pelo seu colega de time/rotação e cai em um time onde fatalmente será o principal prospecto. A não ser que tenha algo crônico sobre ele que não é divulgado, Rocker não deve passar dessa escolha.

5. Baltimore Orioles: Jackson Jobe (RHP – Heritage Hall, OK)
Um fenômeno em uma crescente nos últimos boards e mocks por aí afora. Chega até a ser comparado com ninguém menos que Jacob deGrom (é para tanto?). No mais, o histórico recente da franquia escolhendo pitchers do high school é favorável.

6. Arizona Diamondbacks: Henry Davis (C – Louisville)
Outro time que busca rechear sua farm top 10 na MLB. Cotado até como #1 do draft, Davis é o melhor rebatedor do college em uma classe que não está favorecendo para esse lado.

7. Kansas City Royals: Ty Madden (RHP – Texas)
Seguindo a linha que a franquia adotou na última década e juntando com o fato de Madden ganhar força após outros prospectos melhores cotados jogarem abaixo e optarem pela Tommy John no meio da temporada do college. O Royals agradece.

8. Colorado Rockies: Brady House (SS – Winder-Barrow, GA)
Para uma franquia que não tem uma farm bem rankeada, a aposta no ‘Joey Gallo versão mais atlética’ é muito bem-vinda. Cotado para sair no top 5, não seria uma escolha ruim aqui diante do cenário atual.

9. Los Angeles Angels: Matt McLain (SS – UCLA)
Escolha de primeira rodada em 2018, volta bem melhor cotado para essa seletiva. O Halos, mantendo a linha de buscar jogadores para passar rápido nas ligas menores, pode encontrar esse perfil no shortstop.

10. New York Mets: Andrew Painter (RHP – Calvary Christian, FL)
Um time que não precisa de peças a curto prazo devido ao investimento pesado de sua nova cúpula. Painter se destaca por ser um pitcher de 1,98m e ter um arsenal bom que, se muito bem lapidado, vai dar muitas alegrias no Queens.

Sam Bachman, pitcher de Miami (OH). Foto: Universidade de Miami (Ohio)

11. Washington Nationals: Sam Bachman (RHP – Miami, Ohio)
Outra franquia que não dispensa um arremessador na sua principal escolha. Uma das melhores fastballs da classe e com slider também acima da média.

12. Seattle Mariners: Colton Cowser (OF – Sam Houston)
De uma universidade desconhecida que pode se tornar o prospecto a ser escolhido mais ‘alto’ na história da faculdade. É um dos melhores rebatedores da classe, com passagens até pela seleção juvenil dos EUA.

13. Philadelphia Phillies: Jordan Wicks (LHP – Kansas State)
Com o novo regime e com a mentalidade de ‘win-now’, outro pitcher do college que deve sair e com o propósito de passagem relâmpago nas minors. Ou Dave Dombrowski tem outra carta na manga que ninguém saiba.

14. San Francisco Giants: Sal Frelick (OF – Boston College)
Outra sobra que SF não deve deixar passar aqui. Frelick vem de ótima temporada na NCAA em 2021 e é um outfielder com qualidades boas para rebater e correr. Olho nele.

15. Milwaukee Brewers: Harry Ford (C – North Cobb, GA)
Se pensar que toda a seletiva dos Cervejeiros em 2020 foi corrida + defesa, Ford mantém essa linha. Sai do high school com um bom cartão de visitas e que encaixa com essa filosofia.

16. Miami Marlins: Adrian Del Castillo (C – Miami)
Não vai precisar pegar avião para conhecer a franquia. O catcher tem seus questionamentos devido a defesa, mas no bastão manda muito bem. Era cotado entre os cinco melhores prospectos no primeiro levantamento da MLB Pipeline.

17. Cincinnati Reds: Jud Fabian (OF – Florida)
Mais um que estava bem cotado mas caiu após temporada abaixo do que prometia no universitário. Com maior foco na força bruta, é um dos melhores nesse quesito.

18. St. Louis Cardinals: Gunnar Hoglund (RHP – Mississippi)
Fechando a trinca da ‘queda no board’. Hoglund optou pela Tommy John no finalzinho da temporada no college e seu valor, na teoria, caiu. Na prática, pode ser um steal pelo que vinha apresentando se manter após a cirurgia.

19. Toronto Blue Jays: Michael McGreevy (RHP – UC Santa Barbara)
Da mesma universidade que revelou Shane Bieber para o beisebol. McGreevy tem como ponto forte o controle nos arremessos, além de um arsenal bem equilibrado.

20. New York Yankees: Bubba Chandler (RHP/SS – North Oconee, GA)
Um fenômeno que não vai deixar passar? Três anos atrás, a franquia fez isso. Por que não apostar em outro? Chandler é o ‘two-way player’ mais bem classificado da classe e conta a seu favor o braço e o fato de ser um switch-hitter. Hype train nas alturas.

Benny Montgomery, pitcher de Miami (OH). Foto: Dan Gleiter, PennLive.com

21. Chicago Cubs: Benny Montgomery (OF – Red Land, PA)
Gestão nova, farm a longo prazo? Pode ser um sinal por aqui caso North Side opte pela reconstrução. Montgomery seria o melhor disponível pela MLB em seu ranking e tem ótimas avaliações para defesa e correria.

22. Chicago White Sox: Ryan Cusick (RHP – Wake Forest)
Um filme que pode se repetir. Cusick e a escolha de primeira rodada do ano em South Side tem algo em comum: bola rápida aprimorada. Um bom talento escondido e que Chicago pode garimpar e lapidar a curto prazo.

23. Cleveland Indians: Chase Petty (RHP – Mainland, NJ)
Mais um que pode ser lapidado e se mostrar um pitcher além de uma fastball que pode causar estragos. Cleveland é mais um que vem de uma sequência escolhendo talentos do high school na primeira rodada e aqui essa linha pode ser mantida sem nenhum problema.

24. Atlanta Braves: Gavin Williams (RHP – East Carolina)
Com mentalidade de querer ganhar o mais cedo possível, Atlanta vai num dos jogadores mais ‘experientes’ do board para manter seu padrão de 2020. Williams passou os quatro anos na NCAA e se precisar entregar a curto prazo em uma rotação que não se firmou, cai como uma luva.

25. Oakland Athletics: Will Bednar (RHP – Mississippi State)
Estilo Billy Beane e selecionando um pitcher na primeira rodada depois de cinco anos. Irmão de David Bednar, reliever do Pirates, e o mais jovem do trio de rotação de sua universidade nesse board. Bola rápida e slider acima da média.

26. Minnesota Twins: Joe Mack (C – Williamsville East, NY)
Um hiato de 20 anos sem selecionar um catcher na primeira rodada. Com um histórico de selecionar mais jogadores do high school que universitários, Mack seria uma adição até surpreendente pelo fato de cair muito para um prospecto top 20.

27. San Diego Padres: James Wood (OF – IMG Academy)
Do jeito que A.J. Preller vem levando os últimos drafts, agora sem a necessidade grande de soluções imediatas e recheado de prospectos saindo do high school nessa altura do draft. Wood é cara para maturar por um bom tempo.

28. Tampa Bay Rays: Anthony Solometo (LHP – Bishop Eustace, NJ)
Uma mistura de Madison Bumgarner e MacKenzie Gore, segundo o MLB Pipeline. Arremessador bem sólido a nível de high school. Numa farm e desenvolvimento que o Rays tem, pode alçar voos maiores.

29. Los Angeles Dodgers: Jaden Hill (RHP – LSU)
Fechando com outro talento a nível top 5 que caiu devido a uma temporada terrível na NCAA e ir para a TJ. É apontado com um teto de evolução até maior que a dupla de Vanderbilt. Como LA não tem pressa, pode deixá-lo desenvolver sem crise alguma.

Esse foi o primeiro mock draft. Concordam? Discordam? Deixe suas opiniões e lembre-se: isso é apenas uma simulação. Esse ano estão muito incertos os cenários até o fechamento deste texto, pelo menos. Nos próximos, o caminho pode ficar mais claro.

DEIXE UMA RESPOSTA