A temporada da Major League Baseball terá mais uma grande mudança para 2020. Isso porque, Liga e Atletas concordaram em a MLB ter playoffs expandidos para este ano, devido aos impactos causados pelo COVID-19. Desta forma, a pós-temporada do beisebol passará a ter 16 times, ao invés dos 10 classificados nos últimos anos.

Tudo começa no dia 29 de setembro, após a maratona de 60 jogos em 66 dias que cada uma das equipes já está enfrentando desde o dia 23 de julho. 16 das 30 equipes da Liga terão então a oportunidade de levantar a taça da World Series e receber o título de campeão da temporada 2020 (independente de asteriscos por ser mais curta ou coisa do tipo). Mas e aí, o que muda? Alguém leva vantagem? 

A estrutura dos playoffs expandidos

Importante lembrar que, por conta das mudanças para este ano, em linhas gerais, temos o calendário de jogos alterado para evitar os deslocamentos. Os times estão enfrentando os rivais das divisões de costume e também os times da mesma divisão, mas na liga oposta. Por exemplo, times da Liga Americana Leste se enfrentam e enfrentam times da Liga Nacional Leste.

Mas, para efeito de classificação, a diferenciação entre as Ligas Nacional e Americana permanecem, assim como a distribuição das divisões regionais. Sendo assim, teremos um chaveamento (seeds, como é conhecido nos EUA), com oito times de cada Liga classificando para jogar na pós-temporada de 2020. Os playoffs expandidos terão, de forma resumida, estes três grupos (um para cada liga):

  • Times 1-3:

Os campeões de cada divisão, conforme o recorde de vitórias-derrotas.

  • Times 4-6:

Os segundos colocados de cada divisão, conforme o recorde de vitórias-derrotas.

  • Times 7-8:

Os dois melhores recordes de vitória-derrota que sobrarem em cada liga, independente da divisão.

Além disso, os playoffs expandidos seguirão tendo quatro rodadas, mas este ano não vamos ter apenas uma partida ‘mata-mata’ entre os classificados por repescagem. Os seis melhores times (dois primeiros de cada divisão) avançam automaticamente para a pós-temporada, e os dois melhores do restante (independente de divisões) pegam a vaga de repescagem, chamada wild card. O chaveamento e a quantidade de jogos, então, fica desta forma:

Washington Nationals, de Anthony Rendon, classificou para a pós-temporada em 2019 por meio da repescagem – Foto: Mitchell Layton/Getty Images

– Wild Card (repescagem):

Série de três jogos (melhor-de-três, avança quem vencer duas partidas) com os jogos sendo na casa do time com melhor recorde.

O seed #1 enfrenta o #8, o #2 enfrenta o #7, #3 contra #6 e #4 contra #5.

– Division Series:

Série de cinco jogos (melhor-de-cinco, avança quem vencer três partidas) com três jogos na casa do time de melhor recorde e dois jogos na casa do time com pior recorde.

Vencedor de #1 v.s. #8 contra vencedor de #4 v.s #5; vencedor de #2 v.s. #7 contra vencedor de #3 v.s #6.

– League Championship Series (a final da Liga):

Série de sete jogos (melhor-de-sete, avança quem vencer quatro partidas) com quatro jogos na casa do time de melhor recorde, e três jogos na casa do time com pior recorde. Vencedor de um dos jogos da chave anterior enfrenta o vencedor do outro jogo da chave anterior.

– World Series (a grande final do esporte nos EUA):

Série de sete jogos (melhor-de-sete, avança quem vencer quatro partidas) com quatro jogos na casa do time de melhor recorde, e três jogos na casa do time com pior recorde. Vencedor de uma liga contra o vencedor da outra liga.

Há uma certa justiça com a mudança

Com a nova configuração dos playoffs expandidos em 2020, há no ar uma certa impressão de ‘justiça’. Conforme os times classificados se enfrentarem, quem jogar melhor e vencer as séries seguirá avançando. A vantagem, neste sentido, é para quem se classificar com recordes melhores e, teoricamente, enfrentar um time mais fraco.

De certa forma, o modelo evita que um time tenha ‘sorte’ em um único jogo e engrene para enfrentar a sequência de finais de divisão, liga e World Series, eventualmente. Também iguala os times na quantidade de descanso. Normalmente, os times que asseguram a vaga com antecedência aguardam até que o jogo de repescagem encerre para saber quem é o último classificado para os playoffs. Em 2020, com os playoffs expandidos, todos começam juntos e precisam subir degrau por degrau.

Um outro dado interessante, neste contexto, é que nos últimos 10 anos, a única temporada com oito times em cada uma das ligas terminando acima de .500 (isso é, vencendo metade das partidas jogadas) foi 2012. Os dados estão de acordo com uma pesquisa da ESPN Stats & Information. A mudança é, até o momento, restrita para a temporada de 2020, e foi definida após acordo entre as partes envolvidas.

Quem se beneficia na Liga Americana?

Cleveland Indians do interbases Francisco Lindor é um dos times que deve aproveitar a expansão dos playoffs – Foto: Charlie Riedel/AP

Obviamente, aumentando quatro vagas em cada uma das ligas, os times ‘medianos’ têm muito a comemorar. Na Liga Americana, por exemplo, vamos considerar os cinco melhores times de 2019. Houston Astros, New York Yankees, Minnesota Twins, Oakland Athletics e Tampa Bay Rays foram campeões das divisões e os dois times da repescagem. Em 2020, automaticamente, Cleveland Indians passaria a ser um time com melhores chances, considerando o recorde de vitórias e derrotas em 2019. 

Entre os nove times restantes, temos Boston Red Sox, Chicago White Sox, Los Angeles Angels, Texas Rangers e Toronto Blue Jays. Há uma tendência para Red Sox e Blue Jays terem confrontos mais tranquilos – enfrentarão times menos expressivos em 2020, como Baltimore Orioles e Miami Marlins. Mas, White Sox terá pelo menos 20 partidas contra os rivais de divisão, Kansas City Royals e Detroit Tigers, que estão em reconstrução.

E na Liga Nacional?

No outro lado, a briga deve ser mais acirrada. Atlanta Braves, Los Angeles Dodgers e St. Louis Cardinals devem brigar para vencer as divisões novamente. Retirando Miami Marlins e Pittsburgh Pirates, os outros times têm chances relativamente próximas considerando as campanhas de 2019 e mudanças nas equipes para 2020.

Madison Bumgarner, recém-contratado pelo Arizona Diamondbacks, pode se beneficiar com mais vagas na pós-temporada – Foto: Matt York/AP

O Washington Nationals, por exemplo, sofreu baixas desde que recebeu o título da World Series no ano passado. Para uma vaga nos playoffs expandidos, vai precisar ter um começo intenso para conseguir competir – e enfrentará adversários fortes da Divisão Leste da Liga Americana, como New York Yankees e Tampa Bay Rays. Outro exemplo é o Arizona Diamondbacks: o título da Divisão Oeste da Liga Nacional é quase que garantido para o Los Angeles Dodgers, mas com mais vagas, as chances do DBacks passam a ser mais reais.

DEIXE UMA RESPOSTA