Faltando menos de 20 dias para o primeiro arremesso oficial, a Major League Baseball finalmente divulgou o calendário da temporada 2020. Primeiramente marcado pelas alterações causadas pela pandemia do Covid-19, o schedule deste ano terá 60 partidas para cada equipe, correspondendo a 37% dos 162 jogos de um ano normal. E está recheado de partidas interliga.

A definição do calendário da MLB estava, antes de tudo, sendo aguardada com muita ansiedade por toda a comunidade ligada ao esporte. Ainda mais porque era o grande detalhe que faltava sobre a volta do beisebol, já que as outras mudanças já haviam sido publicadas. Além disso, o calendário foi definido em acordo com todas as 30 equipes da MLB. A princípio, tudo começa no dia 23 de julho e termina em 27 de setembro, com o último respiro para os times brigarem por uma vaga nos playoffs.

Destaques do calendário

Em primeiro lugar, um Opening Day pra fã nenhum botar defeito. Duas partidas simultaneamente abrem a temporada no dia 23 de Julho. O Washington Nationals recebe o New York Yankees; jogo que marca o início da defesa do título pelo Nats. É também o aguardado duelo entre Gerrit Cole, mais nova aquisição do Yankees, e Max Scherzer, três vezes vencedor do prêmio de melhor arremessador. Além deles, o San Francisco Giants, desce até Los Angeles para enfrentar o Dodgers. Essa é considerada uma das principais e maiores rivalidades do esporte.

Logo depois, no dia seguinte (24), teremos 14 partidas, tendo como grande marco a inauguração do Globe Life Field – novo estádio do Texas Rangers. O dia 25 terá todos os times em ação ao mesmo tempo. Isso deve se repetir algumas vezes durante 2020, para que o calendário de 66 dias comporte 60 partidas.

Como a pandemia afetou a programação

Além de encurtar a temporada para 60 partidas, o calendário da Major League Baseball em 2020 vai ter vários confrontos entre times das duas ligas – Americana e Nacional. Estes detalhes foram estabelecidos em um acordo feito em março, que inclusive gerou os impasses que tanto queimaram a imagem da MLB e da Associação de Jogadores.

As duas partes passaram quatro meses discutindo por dinheiro. Inclusive, ainda há uma possibilidade considerável de os atletas formalizarem uma queixa contra a Liga e os proprietários dos times. O motivo é que, supostamente, eles não se esforçaram em ter o número máximo de jogos possível.

Antes de tudo, com a ‘mescla’ entre as ligas, a MLB em 2020 não terá a divisão entre Liga Americana e Liga Nacional, e sim uma grande liga com três divisões regionais. Com isso, os times terão menos deslocamento entre cidades. Este é um dos principais pontos para evitar contaminações dos atletas.

Em outras palavras, cada clube jogará 40 jogos contra os quatro rivais da divisão de costume e mais 20 partidas divididas entre os cinco times da divisão correspondente na outra liga. Em comparação com uma temporada normal, os times costumam jogar 47% das partidas contra times da liga oposta, e em 2020, este percentual será de 67%.

Tomando como exemplo o Washington Nationals, atual campeão: neste sentido, serão dez partidas contra cada um dos times da Liga Nacional Leste – Atlanta Braves, Miami Marlins, New York Mets e Philadelphia Phillies – e mais quatro contra cada adversário da Liga Americana Leste – Baltimore Orioles, Boston Red Sox, New York Yankees, Tampa Bay Rays e Toronto Blue Jays. 

Apesar disso, em alguns casos não haverá ‘equilíbrio’ entre a quantidade de jogos em casa/fora de casa, como o Red Sox e Yankees (considerada por muitos a maior rivalidade do esporte). Os Meias Vermelhas e Yankees jogarão sete das dez partidas em Nova Iorque, e apenas três em Boston. Porém, em uma temporada que fãs não poderão ir aos estádios por conta das restrições impostas pelo Covid-19, talvez não faça tanta diferença no psicológico dos atletas.

Confrontos mais aguardados

Além dos tradicionais duelos interliga, como a Subway Series (Yankees vs. Mets), a Windy City Showdown (Chicago Cubs vs. Chicago White Sox) e a Freeway Series (Los Angeles Dodgers vs. Los Angeles Angels), da mesma forma, a mistura das ligas também vai presentear os fãs com duelos menos comuns de acontecer na temporada normal. Por exemplo, o Houston Astros, punido nas investigações sobre roubo de sinais no título de 2017, enfrentará quatro vezes o Los Angeles Dodgers, maior prejudicado com o roubo.

No dia 13 de agosto, acontece a partida entre White Sox e St. Louis Cardinals, no Campo dos Sonhos, partida especial, que será jogada em um campo construído ao lado do espaço onde foi gravado o filme “Field of Dreams”, de 1989. O Jackie Robinson Day, celebração em homenagem ao primeiro atleta a jogar nas Ligas Maiores, acontecerá, porém, no dia 28 de Agosto, ao invés do tradicional 15 de Abril.

Ficou melhor ou pior para alguém?

É difícil dizer se o calendário da Major League Baseball em 2020 beneficia ou prejudica algum time da forma como está definido. Ainda mais em uma temporada já bastante afetada pelas restrições impostas pelo coronavírus. Por outro lado, há uma análise interessante do ponto de vista de ‘desgaste’ dos times: a distância percorrida para dar conta de todas as partidas. As contas foram feitas por Daren Willman, diretor de pesquisa e desenvolvimento da MLB, e publicadas via Twitter.

Em síntese, pelo cálculo, alguns times vão viajar pouco em 2020, como as equipes da divisão Central. Por exemplo, Milwauke Brewers (pouco mais de 6.370km) e Chicago Cubs (cerca de 6.550km) estão próximos entre si. Entretanto, times da divisão Oeste, como Houston Astros (pouco mais de 22.450km) e Texas Rangers (23.667km) terão que percorrer uma distância bem maior para cumprir com a programação.

Como resultado, pelo mapa feito por Willman, dá para ter uma noção das rotas traçadas por cada equipe. As do lado direito correspondem aos times da Divisão Leste; os times da Divisão Central no meio e os da Divisão Oeste à esquerda, com maiores deslocamentos. A tabela feita por Daren Willman com as distâncias totais percorridas por cada equipe pode ser conferida por aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA