Sempre comentávamos em vários episódios no Padres Cast que o desenvolvimento de arremessadores demora mais tempo, pois então, com o Gore não seria diferente, e a estreia dele na Major aconteceu sexta-feira passada com um misto de alívio e satisfação. Inicialmente, o Gore foi direto na sua bola de segurança, começou com três bolas rápidas nos três primeiros arremessos, algo comum para um jovem querendo se firmar na liga. Nesses dois anos de lapidação nas ligas menores, percebeu-se a diferença na mecânica, somando-se com a agressividade, visto que, em seus três primeiros arremessos debutando na liga, a velocidade atingiu 94.5, 96.7 e 98.5 milhas por hora, aproximadamente 158 quilômetros por hora.

Como exposto no último Padres Cast, nosso catcher Austin Nola comentou em entrevista após o jogo, que alguns pitchers arremessam a bola rápida (fastball) mais rápida e sem efeito (spin), outros com menos velocidade mas com mais spin, e se for possível juntar essas duas características, vira um animal completamente diferente, e isso que pode tornar o Gore um pitcher da elite, se ele conseguir localizar bem sua bola rápida.

O técnico dos arremessadores, Ruben Niebla, trabalhou especificamente com o Gore durante os meses de outubro e novembro, antes do início da greve (lockout), e percebeu-se uma mudança clara na mecânica de arremessos, que segue em constante evolução, com mais consistência e mais regularidade na obtenção dos strikes.

Voltando ao jogo, do total de 73 arremessos, 44 foram strikes e 77% foram bolas rápidas, um total de 53, onde a velocidade se manteve entre 93 e 98.5 milhas por hora, ficando com uma média de 95.6 mph, aproximadamente 154 quilômetros por hora. O segundo arremesso que ele mais utilizou no jogo foi a curve ball por 9 vezes, as estatísticas finais foram: 5.1 entradas; 3 rebatidas sofridas; 2 corridas cedidas; 2 walks cedidos e conseguiu 3 strikeouts. Seu arsenal de quatro tipos de arremessos e um “leg kick” ousado, sua marca, podem fazer com que o arremessador, após dois anos sofrendo com sua própria inconsistência, possa estar virando a página para se tornar um dos principais arremessadores do San Diego Padres, e por que não da liga.

 

 

No Spring Training, ele já havia demonstrado todas as suas mudanças, e no seu primeiro jogo confirmou tudo isso, e hoje, vai para o seu segundo jogo, onde o Padres enfrenta o Cincinnati Reds, podendo completar uma varrida, e a meta é sempre evoluir, visto que também pode ser o seu último jogo antes de voltar para as ligas menores. O objetivo é manter o corpo mais ativo e com ritmo de jogo, pois Blake Snell já fica elegível para sua volta, após ser colocado na lista de lesionados de 10 dias, e Mike Clevinger fez o seu último jogo de recuperação ontem, terça-feira, pelo El Paso Chihuahuas, e seu retorno à rotação é algo iminente. Os candidatos a serem rebaixados ao bullpen seriam Gore e Nick Martinez, mas Martinez ainda pode servir como long reliever, fazendo uma espécie de dobradinha com Clevinger ou Snell, visto que ambos devem ser limitados em entradas neste início, e Gore precisa continuar desenvolvendo seu jogo nas ligas menores.

Autor: Felipe Bruce – (twitter instagram) além do @SDLoyalBR.

DEIXE UMA RESPOSTA