Poderia começar esse texto falando sobre grandes conquistas, jogos inesquecíveis, estatísticas ou grandes jogadores. Diferente de outras tantas franquias, o torcedor do Padres vai além, vai nas coisas mais simples da vida. Logo, é exatamente isso que faz um maluco ou maluca, torcer para os Padres, o algo diferente. Nessas 5 temporadas que venho acompanhando a franquia, meus grandes momentos foram as amizades feitas no caminho e o prazer de assistir aos Padres na madrugada, acompanhado de um belo copo de café independente do resultado ou jogo. Assim como os fiéis que dedicam seu tempo gravando programas para uma franquia que nunca venceu uma world series, aos que se dão o trabalho de ouvir o podcast, de ler os textos produzidos nesta coluna, até mesmo aqueles mais tímidos que raramente dão um “oi” e interagem no grupo do whatsapp, mas sabemos que estão ali, o que quero dizer é que compartilhamos momentos tristes, dolorosos, divertidos e as algumas raras vezes a felicidade e isso é o que mais importa para nós, estarmos juntos, e olha que isso tudo é assistindo aos Padres somar mais derrotas que vitórias na temporada.

Esse meu relato não é desmerecendo as demais torcidas, também existe brilhantismo nelas. Faço esse texto como uma reflexão para os demais fiéis e até para aqueles que não torcem para o nosso amado time. O San Diego Padres sempre se destacou por ser o famoso “patinho feio” e as vezes, nós esquecemos de destacar essas coisas simples como comemorar um home run contra uma franquia mais forte, o primeiro no hitter, é comemorar como um louco e como se o dia não acabasse mais uma classificação aos playoffs, um walk off memorável, as ações sociais da franquia perante sua comunidade ou até mesmo, aquilo que durante muito tempo foi um oásis para a nossa torcida, o simples fato de ver um prospecto sendo promovido para a MLB.

Torcer para os Padres envolve um sentimento de amizade, fidelidade, empatia e uma paixão inexplicável, que beira a sandice, algo que vai além do esporte ou títulos, algo no subconsciente que qualquer ser humano busca, o chamado pertencimento e acolhimento, isso temos de sobra nessa franquia e nessa maravilhosa torcida. Escrevendo esse texto já se iniciou uma nova temporada, mais uma daquelas que não somos favoritos e como disse na abertura, isso não parece importar muito para os fiéis torcedores e isso meus amigos e amigas, é ser torcedor do San Diego Padres!

Autor: Lucas França @LucasFBolivia (twitter)

DEIXE UMA RESPOSTA