Durante o período de Free Agency, vimos que muitos times movimentaram a liga, seja com trocas de jogadores importantes ou oferecendo contratos de quebrar a banca. O Saints, apesar de ter se mostrado agressivo na busca pelo Deshaun Watson, foi no geral, mais conservador, muito em função de sua situação salarial. Nosso cenário de cap estava sufocante e com isso, não pudemos ser tão competitivos no mercado e deixamos dois titulares importantes saírem, Marcus Williams e Terron Armstead. Além disso, outro safety, Malcom Jenkins anunciou sua aposentadoria. Entre as chegadas e renovações, as mais relevantes foram a contratação do versátil safety ex Jets, Marcus Maye e os retornos de Jameis Winston e PJ Williams, todos com contratos “descontados” em minha opinião.

Se a FA foi cautelosa, o draft que nem começou, já tem no Saints a equipe mais agressiva, isso porque a equipe de New Orleans estruturou uma troca com Philadelphia que proporcionou uma escolha adicional para o ano de 2022. Particularmente ainda não tenho opinião formada sobre isso porque não consigo imaginar o que o front office quis fazer com essa troca, se for uma estratégia para subir por um jogador não sei se faz tanto sentido, se for para conseguir mais jogadores de impacto para esse ano, concordo, porque vejo a NFC com poucos times realmente fortes (talvez Green Bay, Tampa e Rams) e pode ser que estejamos a duas, três peças de competir na conferência. Atualmente vejo a equipe titular com 3 lacunas bem óbvias: Wide Receiver (ano passado se mostrou um desastre sem Michael Thomas e é urgente trazer mais um jogador para a posição), Left Tackle (não sabemos se Hurst é a resposta) e Safety. Vou tentar fazer 3 mocks até o draft e neste meu primeiro, vou utilizar a plataforma da PFF.

1ª Rodada (Escolha 16) – Jameson Williams (WR), Alabama

A passividade do Saints na Free Agency para reforçar o corpo de wide receivers faz com que a urgência para selecionar alguém nas duas primeiras rodadas do draft fique ainda maior. Por sorte, a classe de prospectos atual é excelente e são ótimas as opções que deverão estar disponíveis na primeira rodada. Meu favorito é o Drake London, de USC, mas pensando em melhor fit para o ataque do Saints gosto mais do Wilson de OSU e Williams de Alabama.

Falando da seleção agora, Wilson já havia sido selecionado e seria minha primeira opção, mas Jameson Williams é outro grande prospecto e, sem dúvidas, a maior ameaça vertical da classe. O recebedor de Alabama é bom em rotas, e excelente na separação e nas jardas após a recepção, mesmo tendo alguns problemas com corners mais físicos e tendo a questão da lesão na última partida da temporada, o que coloca um ponto de interrogação sobre quando o atleta estará disponível. No geral, porém, selecionar Williams seria munir o ataque com velocidade e muita explosão, algo que o time sofre há alguns anos.

 

1ª Rodada (Escolha 19) – Trevor Penning (OT), Northern Iowa

Depois de anos contando com um dos melhores Left Tackles da liga, temos que começar a imaginar a vida pós Armstead. Não sabemos se James Hurst é a solução, mas de qualquer maneira depth em linha ofensiva é sempre importante.

Pensando nisso, selecionei Trevor Penning, Left Tackle de Northern Iowa. A classe de 2022 tem ótimos nomes para a posição com o top 3 bem definido (Neal, Ekwonu e Cross) e algumas variações para o OT4. Para mim, o cenário ideal na primeira rodada seria selecionar Charles Cross com a primeira escolha, mas nesse mock ele saiu na nona posição. Com isso escolhi Penning, que olhando mais a fundo, é a cara da escolha do Saints, teve uma ótima performance no Senior Bowl, o que o consolidou a prospecto de primeira rodada e, além disso, é um jogador extremamente atlético, o que ficou comprovado no combine (4.89s no 40 yd dash) e em seu RAS de 9.96. Minha maior preocupação é em relação a sua experiência contra times de mais alto nível e, talvez por isso, o melhor cenário seja com Penning não assumindo a titularidade de imediato e tendo seu potencial desenvolvido no início da temporada.

 

2ª Rodada (Escolha 49) – Kenneth Walker III (RB), Michigan State

Essa é mais uma escolha para dizer a Winston que a equipe está confiando nele e fornecendo toda a ajuda possível para a temporada. Running back é uma necessidade primária? Talvez seja mais do que as pessoas imaginam. Isso porque não sabemos da situação legal de Kamara, e mesmo que esteja ok, não sabemos da condição física de Ingram, que já tem 32 anos. A classe de running backs deste ano não tem nenhum prospecto garantido na primeira rodada, mas tem bons valores para o segundo dia.

Walker III é o melhor prospecto para mim e estar disponível na escolha 49 é um ótimo valor. Ele foi o principal destaque do ataque de Michigan ST e seria um complemento perfeito a Kamara, jogador veloz, que corre com muita força e, poderia executar as funções antes feitas por Ingram e Latavius Murray, por exemplo.

 

3ª Rodada (Escolha 98) – Bryan Cook (S), Cincinatti

Após a saída de Marcus Williams e Malcom Jenkins, temos apenas Marcus Maye, CJ Gardner-Johnson e PJ Williams como opções confiáveis. Em minha opinião os safeties da classe são subestimados e tem dois jogadores que sairão muito mais tarde do que deveriam.

Bryan Cook, que formou uma secundária muito forte na surpreendente campanha dos Bearcats em 2021, é um deles. O atleta se mostrou um verdadeiro líder na universidade, é atlético, bastante inteligente e seria mais uma adição versátil à secundária do Saints. Mesmo com experiência como Free e Strong Safety, vejo ele sucedendo melhor na liga como strong, ocupando o lugar que Malcom Jenkins deixou ao se aposentar.

 

4ª Rodada (Escolha 120) – Jelani Woods (TE), Virginia Tech

A posição de Tight End é outra lacuna subestimada no elenco, Adam Trautman teve um ano bem ruim depois de momentos promissores como calouro e, a essa altura não me passa nenhuma confiança.

Confesso que não conhecia Woods até ver seus números no combine e sua nota (10!) no RAS. Após me chamar atenção, fui ver alguns jogos dele e me surpreendi, não é um grande bloqueador, mas seu tamanho e atleticismo poderão fornecer uma ameaça perigosa na redzone a Winston, algo que Trautman não fez.

 

5ª Rodada (Escolha 161) – Noah Ellis (DT) Idaho

Atualmente, temos bom depth na posição de edge rusher na equipe, mas acho que poderíamos trazer mais gente para a posição de DL. Curiosidade irrelevante: Noah Ellis é irmão do Linebacker da equipe Kaden Ellis. Além disso, o jogador mostrou muita força e um bom tamanho na universidade, porém não é um atleta muito refinado tecnicamente. Nielsen porém, já mostrou todo o seu potencial em desenvolver jovens atletas de linha defensiva e Ellis seria uma boa aposta para ele.

 

6ª Rodada (Escolha 194) – Slade Bolden (WR), Alabama

A liga tem recentes exemplos de jogadores como Bolden, recebedores de slot não muito atléticos porém com mãos e rotas confiáveis (Renfrow, Welker e Edelman por exemplo). Não estou comparando Bolden a eles, até porque para cada Renfrow tem um Austin Carr, mas acho que é um perfil que hoje não temos no elenco, e na sexta rodada vale a aposta.

 

DEIXE UMA RESPOSTA