San Diego Padres e New York Mets iniciaram a série melhor de três jogos, respectivamente na quinta e na segunda colocação entre as trinta equipes da Major League Baseball. Era briga de gente grande, com a ESPN colocando dois duelos em sua grade de programação. E certamente não se arrependeu. Ao final das batalhas quem saiu vitorioso (não só na questão campo), mas principalmente na psicológica, foram os Café e Ouro. Foi uma série de afirmação, contra um forte adversário, que deve cruzar o nosso caminho na pós-temporada.

Verdade seja dita, o primeiro jogo da série assustou com a derrota por 11 a 5. Com um Blake Snell e todos os arremessadores pouco inspirados ao montinho, conciliado a uma defesa que errou muito e um ataque que só apareceu na reta final do jogo, os Padres foram presas fáceis. Entre os arremessadores, Wilson foi o único que se salvou no naufrágio, atuando por três entradas e cedendo apenas uma corrida. No ataque Profar foi o ponto alto, com um desempenho de 3 em 4 no bastão, uma corrida anotada e um impulsionamento.

 

 

Dizem que cachorro mordido por cobra tem medo de linguiça. Então, no segundo jogo da série os Padres entraram em campo dispostos a apagar a má impressão deixada diante de sua elétrica torcida. E deram show. Darvish, com seu vasto arsenal de arremessos, atuou de terno no montinho. Foram sete entradas completas, apenas duas rebatidas cedidas e seis eliminações por strikeout. Morejon, de volta a equipe após um longo inverno, completou o serviço na defesa com duas boas entradas. No ataque, Profar brilhou novamente. O ambidestro camisa 10 obteve um home run, três walks, um impulsionamento e foi responsável por duas corridas nos 7 a 0 sobre o Mets.

 

 

Embalado, os Padres fecharam a série com talvez a sua maior apresentação até aqui na temporada. Nem tanto pelo placar de 13 a 2, mas por não terem tirado o pé do acelerador em nenhum momento. Corridas foram anotadas em cinco, das oito entradas disputadas. Foram 15 rebatidas contra apenas cinco do forte lineup dos Mets. Na defesa, Manaea jogou por sete entradas, com uma baixa contagem de arremessos. Só saiu da partida porque teve uma queda brusca de rendimento e cedeu o primeiro ponto aos nova-iorquinos. Cronenworth e Profar foram as estrelas do ataque. Profar vai justificando a confiança de Bob Melvin ao colocá-lo como primeiro rebatedor. Foi 2 em 4, com uma rebatida dupla, três corridas impulsionadas e três corridas anotadas. Cronen performou 3 em 4, com um home run, uma rebatida dupla, cinco corridas impulsionadas e três corridas anotadas. Faltou muito pouco para anotar um novo ciclo, para o delírio dos mais de 40 mil torcedores que compareceram ao Petco Park.

 

 

Passada a euforia, voltamos à realidade. Depois de um dia de folga, os Padres voltam à campo nesta sexta-feira (10), para uma série melhor de quatro jogos contra o Colorado Rockies. Série que tem uma particularidade, uma rodada dupla no sábado, a famosa doble cartelera. Lembrando que na temporada passada a equipe de San Diego performou muito bem contra os times acima de 50%, mas vacilou nos abaixo. E contra um adversário com 25 vitórias e 32 derrotas saberemos se podemos nos empolgar ou se é melhor esperar um pouco mais. Afinal, de fé cega e pé atrás nós entendemos bem.

Autor: Henrique Porto

DEIXE UMA RESPOSTA