Há algumas semanas, se debatia quem sobre estava na frente na corrida pelo MVP da NFL entre Russell Wilson e Aaron Rodgers. Na ocasião em questão, o fato de Aaron Rodgers ter sofrido duas interceptações contra Tampa Bay foi argumento para afirmar que ele estaria atrás na briga. Entretanto, algumas semanas depois, a situação parece ter mudado.

Após dez semanas de temporada regular, o número de interceptações de Aaron Rodgers é de apenas três. Além disso, o quarterback não sofreu nenhum fumble até agora. Por outro lado, Russell Wilson não foi interceptado em apenas três dos nove jogos que disputou até o momento e já contabiliza 10 interceptações cedidas. Além disso, ele também já sofreu quatro fumbles.

Nesse sentido, a ideia de que para ser MVP não se pode cometer tantos turnovers no mesmo jogo colocaria Russel Wilson em encrenca. Afinal, ele foi interceptado duas ou mais vezes em três jogos nessa temporada (ARI, BUF, LAR). Inclusive, contra Buffalo, além das duas interceptações ele sofreu dois fumbles, ou seja, quarto turnovers num único jogo. Se dois turnovers era ruins, imaginem quatro?

Nesse viés, a quantidade alta de perdas de bola colabora para que o quarterback rating (QBR) do camisa 12 não seja nem top-5 da liga. Atualmente, o QBR de Wilson é apenas o oitavo (sétimo, se retirarmos Dak Prescott).

Por enquanto, ainda está na briga

Mas, para a sorte do QB de Seattle, a NFL não observa apenas as estatísticas para dar o prêmio de MVP a algum jogador. Sua importância no seu time é, com certeza, uma das maiores entre todos os outros da liga e isso, com certeza, será levado em consideração dependendo do desempenho da sua equipe ao final da temporada regular.

Por isso, se o Seahawks conseguir se reencontra e ir para a pós-temporada como um dos melhores times, ainda é possível enxergar Russell Wilson nessa briga. Entretanto, se as inconsistências persistirem, será mais uma temporada em que o QB não chegará perto do prêmio.

Foto de capa: Getty Images

DEIXE UMA RESPOSTA