A janela de trocas da NFL fechou há alguns dias, finalizando também, qualquer possibilidade de melhora na maior parte dos concorrentes em 2020. Mas quem “ganhou”? E quem “vendeu”? Quais são as conclusões que podemos assumir a partir das trocas que de fato ocorreram na Trade Deadline?

Desmond King para Tennessee

Foto: Michael Reaves/Getty Images

Sem dúvidas, o melhor nome trocado na janela foi Desmond King. Além de sua habilidade como um dos melhores cornerbacks da liga jogando no slot (first team All-Pro em 2018), King também frequentemente retornava punts em Los Angeles (second team All-Pro em 2018). Como um dos cornerbacks mais versáteis da NFL, não há dúvidas de que King fará uma diferença em Tennessee.

Em troca, os Chargers receberam uma escolha de sexta rodada (King foi escolhido na quinta rodada em 2017). Desmond continua como um dos melhores jovens cornerbacks da liga, mas vinha perdendo espaço em LA nessa temporada. Agora, portanto, ele busca completar a defesa de Tennessee em busca do Superbowl.

Jets em constante reconstrução

foto: Adam Hunger/Associated Press

Nos últimos dois meses, os Jets foram o time que mais trocaram jogadores, com o total de três. Tendo em consideração que o time ainda se encontra sem vitórias, não surpreende o descaso com seus jogadores. Chega a ser preocupante o progresso da equipe desde que Darnold entrou na NFL. Por isso, com mais algumas escolhas no bolso, talvez esse seja um ano decisivo para New York

O time de Adam Gase se mostra cada vez mais como uma equipe incapaz de melhoras. Com um acumulo de escolhas no Draft pelos próximos três anos e com um espaço no cap suficiente para contratar alguns jogadores de elite nos próximos anos, a única coisa que pode parar os Jets é, indiscutivelmente, Adam Gase.

Projetos, projetos e mais projetos

Foto: David Berding – AP

Outra coisa que surpreende ao olhar a lista de trocas no último mês é a quantidade de defensores de linha competentes sendo mandados a outros times por preços muito baixos.

  • Carlos Dunlap sendo mandado para Seattle em troca de uma escolha de sétima rodada mais um jogador para os Bengals.
  • Everson Griffen saindo dos Cowboys e indo para Detroit por uma escolha condicional de sexta rodada.
  • Até mesmo Yannick Ngakoue sendo trocado para os Ravens por uma escola de terceira rodada (e uma escolha condicional em 2022) após passar menos de três meses em Minnesota.

Todas essas trocas têm algo em comum, três jogadores com temporadas de elite saindo de três times que já desistiram de suas chances em 2020 indo para times que se acham competentes o suficiente para chegarem aos playoffs (descontando uma desilusão dos Lions, claro).

No final do dia, nada muito grandioso aconteceu antes do fechamento da janela, coisa que já devia ser esperada levando em consideração os inúmeros protocolos que tornam qualquer possível troca mais complicada.

Em suma, não é possível afirmar que algum time, que não seja o Tennessee Titans, tenha ganho algo concreto. Em maioria, as trocas representaram possibilidades, sendo de escolhas em Drafts futuros, ou em jogadores que podem um dia retornar ao topo.

DEIXE UMA RESPOSTA