Um dos jogos mais emocionantes dos últimos anos, na segunda parte da batalha de Ohio um confronto muito mais complicado do que se imaginava, decidido nos momentos finais com um jogo muito importante do Baker Mayfield e alguns nomes que ainda não tinham se provado mas que serão muito falados para o futuro. Falaremos muito mais uma vez sobre a questão Mayfield e infelizmente sobre a questão Odell Beckham, o próprio rompeu o ligamento cruzado anterior e está fora da temporada e mesmo que não houvesse a lesão o falatório sobre o que é a história do Mayfield junto ao Odell seria discutida por nós.

O jogo se iniciou com um cenário caótico, e foi impactante demais, assistimos o Bengals marcar o touchdown na sua primeira campanha e logo em seguida se iniciar a campanha do Browns com uma jogada apenas que culminou algo muito ruim, a sensação era que o dia parecia ser mais difícil do que seria após o Mayfield tentar dar um passe profundo e ser interceptado, logo em seguida avistamos Odell caído após uma tentativa de tackle ao portador da bola e J.C Tretter caído também. Toda a empolgação de início do jogo já não existia mais e a preocupação estava pelos ares.

Após a interceptação era avistado um Baker estático e logo após isso no longo do primeiro período mais quatro passes errados, a gente na hora já lembrava do Baker em Pittsburgh onde se iniciou muito mal e não houve recuperação. Os fãs que mais gostam de polêmica e alguns da mídia já falavam do Keenum entrar logo logo mas Baker respondeu com produção, até o fim do jogo não errou nenhum passe, foram 21 passes completos seguidos sendo o recorde da franquia e só foi travado a sequência porque no último minuto precisou fazer um spike onde se conta como passe.

Mayfield terminou com 293 jardas e cinco touchdowns, ele cresceu ao longo do jogo, houve muitos check downs prudentes, utilizando Kareem Hunt muito para o jogo terrestre mas também com passes laterais e fazendo alguns lançamentos abertos fáceis, mas ele lançou um punhado dos melhores passes que teve durante toda a temporada ontem. Claro que os dois mais incríveis e importantes foram os dois finais, o primeiro para o Higgins em uma jenela muito fechada pela marcação mas com uma colocação grandiosa para uma recepção grandiosa, um passe que conseguiu deixar o Browns em posição de Field Goal para levar o jogo a prorrogação.

Mas Baker não queria apenas a prorrogação, Landry mesmo falou que antes da campanha ele conversou com seu quarterback que afirmou que o objetivo era ganhar no tempo normal. O grande passe faltando 16 segundos para o fim, o da vitória, após Peoples-Jones conseguir se separar um pouco da marcação e Baker acertou o lado externo da EndZone, Donovan conseguiu a recepção e ainda colocar os dois pés em campo para garantir uma virada histórica.

Baker distribuiu muito bem a bola por todo ataque, Harrison Bryant se mostra cada vez mais um ganho demais vindo do Draft mesmo na ausência do Hooper e o Peoples Jones certamente irá ganhar mais espaço nesse ataque. Mayfield mostrou tudo o que o tornou ele tão especial quando foi convocado e fez isso sem seu melhor recebedor, Odell Beckham que será assunto logo, ele fez junto a ausência do seu Tight End titular, sem seu Running Back titular e sem seu Right Guard titular. Ainda há melhorias que Mayfield precisa fazer, mas isso serve como um ponto de partida para voltar aos trilhos.

Recuperar a antiga glória nunca é fácil e isso tem sido parte do desafio para Mayfield. Para um quarterback que foi elogiado como um salvador da franquia como um novato, tendo sido chamado de gerente de jogo nas vitórias e um problema nas derrotas, foi a principal razão pela qual os Browns conseguiram uma vitória. Mayfield justificou a fé que sua equipe e a organização demonstraram nele quando ele estava jogando mal, entregando uma vitória quando precisavam contra o Cincinnati Bengals.

 

Antes do assunto Odell temos que falar sobre o lado defensivo, Myles Garrett teve mais um jogo com sack forçando um fumble, aliás Burrow teve problemas com ele e não foi o único sack ou hit conquistado, para a secundária Denzel Ward teve mais uma grande performance defensiva contra AJ Green, teve fator na interceptação que Burrow sofreu na EndZone. Os dois são insubstituíveis dentro dessa defesa que mais uma vez teve um jogo ruim no geral.

Após uma evolução contra o Steelers era esperado essa progressão, algo que não aconteceu, fora os turnovers a equipe nunca conseguiu estabilizar o ataque do Bengals, quando o Browns conseguiu virar o jogo e dependeu da defesa ela não esteve lá, sempre espaçada e com Terrence Mitchell em uma performance individual ruim principalmente após ter uma interceptação sozinho que certamente iria virar uma Pick Six que foi dropada de uma maneira bizonha. É por isso que falamos do heróico momento do ataque, a equipe novamente cedeu uma pontuação e o Browns recebeu apenas 1:06 sem TimeOut.

 

Os adversários do Browns e suas pontuações:

wk1: ravens 38

wk2: bengals 30

wk3: washington 20

wk4: cowboys 38

wk5: colts 23

wk6: steelers 38

wk7: bengals 34

A defesa consegue turnovers mas fora isso não consegue um jogo com poucos pontos cedidos, segue sendo muito preocupante.

Odell está fora da temporada e o assunto mesmo antes já seria discutido, Mayfield foi muito bem e automaticamente sem a presença de Odell e o questionamento começou, não apenas sobre o jogo contra o Bengals mas junto a temporada de calouro do Baker, o melhor dele onde não havia Odell no elenco.

Em 2019, Mayfield forçou absolutamente Beckham a resultados desastrosos. Apesar de várias pessoas sugerirem que os Browns precisavam mirar em Beckham de 10 a 15 vezes por jogo, ele não estava saudável e simplesmente não podia ser a estrela que os Browns pediam que ele fosse. Alguns motivos de um ano ruim eram discutidos como simplesmente a falta de química. O ano de 2020 veio mas o assunto de levar mais passes e alimentar o talento de Odell continuou a ser discutido, Kevin Stefanski veio com um propósito de equilibrar ainda mais essa situação e claro uma progressão de Mayfield traria lucros para todo o jogo aéreo.

Certamente é inteligente querer levar a bola aos melhores jogadores, é por isso que eles estão lá. Mas deve estar no fluxo do ataque geral, onde pode fluir naturalmente para eles, utilizando as forças do maior número possível de jogadores no ataque, um exemplo seria quando fossem para uma 3rd & 7, claro que o foco do quarterback será seu principal alvo mas não significa que o passe tem que ir para ele, depende da situação da jogada apenas. Mayfield sempre teve mais sucesso quando joga sem restrições e apenas joga para o homem aberto, o equilíbrio é ser capaz de fazer isso ao mesmo tempo em que leva a bola para Beckham, maximizando ambos e sendo natural sem essa pressão de precisar alimentar ele com passes.

A interceptação no início do jogo de ontem mostrou algo parecido com o que falamos, ao invés de ser simples e ativar Landry na lateral livre, Baker apenas olhou para Odell correndo para o campo externo e quis forçar o passe a ele. Muito do sucesso de Mayfield parece ser o resultado de fazer menos, deixar o jogo vir até ele e ficar mais agressivo conforme as situações se apresentavam. O exemplo de Landry mostra que a não responsabilidade de o lançar faz com que Mayfield fique leve e se analisarmos Landry consegue muito sucesso nesse ataque.

Beckham quer que o time vença, mas ele absolutamente quer ser uma razão para os Browns ganharem, acreditando que ele é sempre uma ameaça para marcar, o que pode ser uma ótima mentalidade e a sua carreira trás isso, o seu contrato trás isso consigo. Ele traz olhares defensivos, é um perigo do início ao fim, contra o Bengals no primeiro confronto ou contra o Cowboys, ele mostrou o quão bom pode ser. Obviamente, o objetivo é que ele tenha uma ótima aparência contra times como o Steelers e o Ravens, mas isso tem sido um problema de equipe em oposição a um problema de Beckham em 2020.

O que vale a pena investigar é o fato de que Mayfield parece jogar significativamente melhor quando Rashard Higgins está em campo em 2018 e 2020. Nos 18 jogos que Higgins jogou entre 2018 e 2020 com Mayfield, ele teve 50 recepções para 735 jardas e seis touchdowns em 65 alvos. Nesta temporada, em 12 alvos, Higgins tem 11 recepções para 163 jardas e um par de touchdowns. Compare isso com a temporada 2018 de Landry, que também foi a melhor temporada de Mayfield. Em 16 jogos, Landry foi alvejado 149 vezes. Ele pegou 81 passes para 976 jardas e quatro touchdowns. Apenas em jardas por alvo, são 11,3 jardas por alvo em comparação com 6,6.

 

É claro que os números totais com e sem Odell seriam mandados para mim em algum momento do dia e aqui está:

Estatísticas do Mayfield com Odell:

22 jogos

59.7%

4,922 jardas (223.7 YPG)

32 TDs

27 INTs

Estatísticas do Mayfield sem Odell:

15 jogos

65.6%

4,022 jardas (268.1 YPG)

32 TDs

15 INTS

Perdeu o principal recebedor da equipe é muito ruim, teve jogos que a química ainda era um problema mas houve também jogos que o fator Odell Beckham foi importante para a equipe. Infelizmente queríamos Odell em campo mas iremos ir em busca dos playoffs por ele, e as respostas sobre quem é Mayfield sem Odell chegaram ao longo dos jogos, simples. A defesa não terá uma preocupação tão individual agora e sim uma geral, Baker terá mais tranquilidade ao mesmo tempo perderá um homem que sempre era um perigo intenso no 1vs1, nos resta esperar por respostas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA