São apenas 3 jogos mas o clima é completamente diferente, fazia quase seis anos que o Browns não chegava a estar com uma campanha positiva de mais vitórias do que derrotas, a última vez foi em 2014 ainda em tempos de Brian Hoyer e demorou muito até chegar o último jogo e a vitória que nos trouxe essa sensação de volta. O jogo também foi palco para quebra de bastante estatísticas, Baker Mayfield após 8 jogos seguidos lançando uma interceptação pelo menos saiu do jogo sem nenhuma. Baker também quebrou recordes e virou o recordista de mais passes completos (680) e passes para touchdown (54) nas 3 primeiras temporadas na história do Browns. Em jardagem de passe ele com 8,116yds aéreas só perde para Bernie Kosar com 8,465. Pela primeira vez desde 2004 o Browns não ficava 2-0 nos jogos em casa. Outro ponto importante foi o de pela primeira vez desde 2010 marcar pelo menos 30 pontos em jogos em seguida, era a maior marca da liga. Nick Chubb foi outro que individualmente quebrou uma estatística, ele foi o primeiro RB do Browns a ter mais de 100 jardas corridas e 2 touchdowns em jogos consecutivos desde 1967.

Produzir tanto, produzir duas vitórias em três semanas, isso depois de muito tempo causa algo dentro da franquia psicologicamente e nos números e precisam falar sobre o que absorvemos desse domingo.

Baker Mayfield apresentou crescimento, Washington foi capaz de causar estragos com sua linha defensiva e conseguiu parar Nick Chubb no início do jogo e isso acarretou o não muito surpreendente plano de jogo que era de colocar Baker Mayfield em situações óbvias de passes. A defesa se preocupou bastante com o campo externo, deletando Mayfield de ter opções para grandes passes e fez com que o plano aéreo fosse de passes curtos e rápidos. Mayfield foi muito eficaz, ele foi paciente em aceitar de boa vontade o que a defesa estava dando a ele na maior parte. Suas leituras foram excelentes, embora ele tenha falhado em alguns lances, um bem típico onde o arriscar em algo muito improvável quase causou uma interceptação que foi salva pelo Odell.

Quando o jogo corrido não encaixa ou demora para encaixar Mayfield ainda precisa ser capaz de mover o ataque. Certamente houve momentos em que estagnou, incluindo todo o terceiro quarto, mas ele foi capaz de fazer boas leituras e executar o plano de Stefanski para gerar jardas e colocar os Browns em posição de marcar pontos.

Os Browns estavam atrás em dois pontos diferentes neste jogo, mas os turnovers adversários foram muito importante, um motivo pelo qual eles permaneceram sempre acima no cenário do jogo. Três interceptações e dois fumbles, incluindo um no final do primeiro tempo sem tempo sobrando e tirando esse o Browns conseguiu acumular todos esses momentos em pontuação. O Browns marcaram 24 pontos em três interceptações e uma recuperação de fumble enquanto o Washington marcou apenas 20 pontos no jogo. Os Browns não cometeram erros, mas capitalizaram quando Washington o fez e isso permitiu que assumissem o controle do jogo no quarto período, capitalizar erros adversários é um passo muito grande para ganhar um jogo.

Dois jogadores que precisamos falar e muito são Nick Chubb e Wyatt Teller. Parecia que cada grande corrida dos Browns era para a esquerda, atrás de grandes bloqueios de Teller. Nick Chubb teve várias grandes corridas e pelo menos um de seus touchdowns foram desta grande armadilha. Ele também fez um ótimo trabalho liderando pela direita e conforme o jogo avançava, o jogo de corrida dos Browns assumiu o controle. Sem dúvida, quando Washington perdeu Chase Young e Matt Ioaniddis, isso mudou o cenário do jogo, mas Teller tem sido impressionante até agora nesta temporada.

E sobre Nick Chubb? Ontem foi um exemplo muito de que existe em Hunt um grande complemento mas que Chubb está no patamar mais alto de sua posição, uma das grandes estrelas do futebol americano hoje. Se o jogo estiver em um cenário complicado o Browns sabe muito bem a quem deve ativar com bastante perspectiva de sucesso a mudar um jogo, Ala versatilidade de Hunt pode ser extremamente valiosa e permitiu aos Browns marcarem seu primeiro touchdown, mas a visão de Chubb é excelente e seu talento físico é incomparável. Hoje coloco Chubb como o melhor Running Back correndo, não diria no contexto geral da posição porque Chubb não ainda é tão ativo no jogo de passes.

Defensivamente já falamos sobre os turnovers que a defesa conseguiu junto a um Haskins telegrafando muito passes e a linha defensiva foi mais uma vez um pesadelo para o adversário. Claro que a produção deveria ser maior, Garrett e Richardson ainda vivem com problemas até que básicos de ângulos mas ainda sim são fatores ao longo do jogo, Garrett pelo segundo jogo seguido conseguiu sack que forçasse fumble, ele junto com Joey Nossa dividem a vice liderança em pressões ao QB adversário apenas perdendo para Aaron Donald por uma pressão.

Problemas de angulação estão em outras posições, por mais das interceptações toda a área de linebackers e safeties tiveram ainda sim problemas com espaçamento e ainda não teve um grande desempenho contra passe, e isso ainda preocupa demais por pensar que se foi enfrentado adversários de níveis que se esperavam um bom desempenho e por vim adiante adversários com bons desempenhos de passe. Na secundário, ou existem falhas de comunicação massivas ou os jogadores simplesmente não confiam uns nos outros para executar. Haskins teve um par de passes para touchdown e ambos foram abertos dentro da EndZone. Mas existe evolução e Karl Joseph minimizou os erros dos últimos jogos e teve um grande desempenho inclusive com uma interceptação.

DEIXE UMA RESPOSTA