Eu sempre digo que pós jogo é dois extremos, temos o falar de derrotas que é algo sempre muito difícil de se lidar e sempre tentamos absorver o lado ruim e não se enganar mas também tirar coisas boas de um resultado negativo e temos o falar de vitórias na sensação ótima de segunda pós sucesso mas que não tem tudo de perfeito. Acho que a única pós vitória que não traremos nenhum ponto negativo será a vitória pós Super Bowl e mesmo assim imagino pontos de crítica durante o jogo.

O lado ofensivo de Cleveland funcionou com fluidez novamente, Baker teve que entrar novamente em um cenário que a gente não esperava, Landry na primeira campanha já foi visto entrando no vestiário após uma pancada no joelho. Os rumores estavam certos e Landry sofreu um MCL uma torção no ligamento colateral medial do joelho. Não é uma lesão grave, e é a mesma que o Chubb teve ano passando, quando ele perde 4-5 semanas por ser uma MCL de grau 2. A situação quando a gravidade da MCL não foi divulgada e o Stefanski falou apenas que será examinado o seu retorno de semana a semana.

Que gráfico bonito

O Browns pode ser que tenha o retorno de Odell já nesse próximo domingo mas ainda sem a atividade normal em jogo esperando estar em quase todo momento, com isso o Browns já nesse domingo cansou de utilizar seus Tight Ends. Primeiro tempo todos participaram ganhando passes, 31% dos snaps tiveram 2 ou até os 3 TEs dentro de campo uma evolução para os 24% da semana 1. O Browns perde Landry e tem a situação de Odell administrada e precisará de mais ajuda desse setor.

Baker teve o episódio que preocupou a todos. Após a interceptação um hit sofrido fez o quarterback ir para o vestiário com problema de ombro, em seu retorno uma grande administração de Stefanski fazendo uma campanha como base o jogo corrido enquanto Baker tentava se mostrar apto novamente e mesmo assim o QB ajudou com bloqueios e teve bastante luta. Na sua interceptação após o sangue quente vimos que Anthony Schwartz travou em sua rota e com isso o passe que seria bem lançado para a sua rota vertical rumo a atravessar o meio campo foi apenas em direção ao jogador do Texans e um Schwartz travado. Após a interceptação Baker caminhou para 10/10 para 103 jardas e um touchdown, se recuperou mentalmente do lance e da subluxação no ombro.

Schwartz nessa imagem travada claramente se mostra que não acreditou na rota e ocasionou a interceptação

Mayfield após as 2 semanas:
Maior porcentagem de passes completos da liga(81.6%)
Segundo em média de yds por passe(10.9)
A melhor média de jardas por partida na carreira(267)
Melhor Passer Rating da carreira(101.9)
Décimo terceiro em jardas passadas(534)

Sem Odell
E agora sem o Landry

Temos um Baker preciso, escolhendo muito o que arriscar, fazendo o ataque fluir, vendendo bem a ideia de play action e sabendo lidar com adversidades nesse início da temporada.

Higgins ganhou muitos snaps algo que a gente esperava depois de quase não ser colocado na primeira semana, Demetric Felton em duas jogadas já mostrou ser um playmaker em potencial, bastante qualidade de liberar em tackles, para retornar ou ser utilizado como recebedor, a quem não viu o lance de seu touchdown pesquisem e saibam que é um jogador que conseguimos na sexta rodada do Draft!

O lado defensivo segue um problema gigantesco e cada vez mais se inclina como um problema de comando, das ideias que o coordenador defensivo Joe Woods, lances perto da EndZone com alinhamento longe dos recebedores ou a falta de blitz até mesmo com o Mills após a lesão do Tyrod Taylor, a defesa não conseguiu emplacar paz e controle no jogo.

John Johnson, Denzel Ward e Troy Hill tiveram notas bem baixas e visualmente Ward sofreu desde o começo, os três primeiros passes do Taylor foram em direção a matchup que tinha ele como marcador, a falta de blitz junto ao Browns muito mal em zona de cobertura fez o Texans muito bem treinado mesmo com o potencial não tão bem visto em torno da liga ter esperança de render.

Ninguém nunca disse que a NFL era fácil. Grant Delpit teve que sentar a frente da televisão e assistir em 2020, seu ano de estreia, quando ele definitivamente teria ajudado um time de playoffs dos Browns em necessidade, enquanto outros seguranças de sua classe de draft, como Jeremy Chinn e Antoine Winfield Jr. prosperaram. Domingo foi a tão esperada estreia do Delpit e o produto LSU não decepcionou.

Os Browns escolheram o Delpit na segunda rodada (Pick 44) e antes mesmo de chegar de LSU o coordenador defensivo Joe Woods teve um papel importante estabelecido para o Delpit em seu sistema em 2020, mas essas ideias se dissiparam em 24 de agosto do ano passado, quando Delpit desajeitadamente no Training Camp em um lance sem contato rompeu seu tendão de Aquiles. No desespero Browns tiveram que contratar e ir por toda a temporada com jogadores tipo..é ele mesmo o Sandejo.

 

Mas sua estreia mesmo com snaps limitados mostrou flashes do jogador de LSU e o quanto ele iria impactar desde o ano passado, bastante confortável, flutuando por todo campo, ainda se acostumando com a marcação em zona dentro da NFL e dentro dessa defesa que ainda não estabeleceu isso de uma uma boa forma mas mesmo assim mostrou impacto perto da linha de scrimmage contra corrida e até se arriscando em blitz

Grant Delpit contra o Texans terminou:
• 5 Tackles
• 1 Sack
• 1 TFL
• 1 QB hit
• 1 Fumble Forçado.

O que será esse ataque com Ode retornando mas sem Landry? Baker se caminhando a estar no topo das estatísticas na posição e uma defesa que se mostrou boa contra o Chiefs e não teve controle contra o Texans, até quando vai não dar mais prejuízos essas ideia impostas pelo Joe Woods

Novamente é sempre bom um pós jogo de vitória!

DEIXE UMA RESPOSTA