Ravens passam sufoco e quase permitem virada dos Eagles

O Baltimore Ravens volta do Lincoln Financial Field com uma vitória e agora está 5-1 na temporada, atrás apenas do Pittsburgh Steelers na divisão, que tem um jogo a menos. Mas vendo a atuação do time no jogo de hoje, não há nada o que comemorar. Se no ano passado esse recorde era motivo de comemoração, esse ano se tornou motivo de desconfiança. E diante do apresentado hoje, muita gente se pergunta se esse time realmente é capaz de ir longe na temporada
pela forma que está jogando.

Secundária foi bem, mas a defesa cochilou no segundo tempo.

Verdade seja dita, o ataque dos Eagles não é nenhuma maravilha. Ainda mais com o departamento médico lotado. Isso não significa que não há méritos a serem destacados a começar pela dupla de CB’s Jimmy Smith e Marlon Humprey. Ambos fizeram boas coberturas dos recebedores adversários em campo. Humprey em particular foi o líder da defesa nas estatísticas, acumulando oito tackles totais, um sack e um fumble forçado ao seu já tradicional estilo soco na bola.

Calais Campbell também foi outro que estava praticamente solto em campo e não deu descanso para Carson Wentz. Hoje, o camisa 93 liderou o time em sacks, com três, além de um ótimo volume de pressões. Assim, Campbell mostra porque foi uma das melhores adições do Baltimore Ravens na free agency, ainda mais pelo preço que pagaram nele.

No geral, a defesa começou a partida muito bem. O problema é que o time do início parece ter ficado no vestiário, permitindo aos Eagles ainda terem a chance de acreditar em uma vitória possível. Todos os vinte e seis pontos anotados pelo adversário foram no segundo tempo, sendo vinte e dois deles no segundo quarto.

Talvez a culpa disso passe um pouco pelo que já foi alertado várias vezes: as blitz deixam o time vulnerável no campo, e nas vezes que teve a oportunidade, Wentz soube explorar essa vulnerabilidade para conquistar grandes avanços.

Faltas para todos os lados.

Um problema que não víamos faz um tempo é o grande volume de faltas cometidas, principalmente pelo ataque. Nesse jogo, foram doze faltas que cederam um campo inteiro e um pouco mais para os Eagles (132 jardas). First downs foram três cedidos por conta das faltas, algumas que ressuscitaram campanhas praticamente mortas. Inclusive, o ultimo TD de Philadelphia veio de uma campanha que poderia ter se encerrado bem antes, não fosse um pass interference do CB Marcus Peters. A jogada cedeu um campo inteiro, visto que se tratava de um passe em profundidade.

Créditos: Kenneth K. Lam / Baltimore Sun

Greg Roman Questionado

O time chega à temporada de 2020 sem apresentar qualquer novidade no ataque e hoje o que se viu foi um repeteco dos problemas já vistos principalmente contra o Cincinnati Bengals: o time ainda não sabe bem o que fazer com J.K. Dobbins e as chamadas são sempre as mesmas. Algumas campanhas parecem ter sido chamadas por Brian Schottenheimer: RUN, RUN, PASS, PUNT.

Lamar Jackson já confessou que tem problemas com passe em profundidade, mas o time em nenhum momento consegue deixa-lo em uma situação confortável. A maioria das chamadas em primeira descida foram com corridas pelo interior da linha. Quase sempre as campanhas terminaram em uma descida longa, colocando o QB na situação mais desconfortável possível, ainda mais atrás de uma linha ofensiva que não mostrou a que veio nessa temporada. Aliás, a OL foi de longe o setor que mais cometeu faltas nesse jogo, colocando o ataque de Baltimore cada vez mais para trás em campo.

O ataque dos Ravens carece de criatividade, e isso vem se refletindo na percepção que o torcedor tem da atuação de seu quarterback nessa temporada. Os números de Lamar Jackson não são ruins. Ainda mais se olharmos quando ele finalmente pode passar em primeiras descidas. Lamar teve média de 6,9 jardas por passe (16/27 para 186 jardas totais), rating de 92,5. A falta de chamadas mais criativas e a insistência em corridas desnecessárias fazem com que o ataque não consiga progredir direito e a impressão que se dá é que Lamar está pior esse ano, quando na verdade há uma série de fatores envolvidos.

Semana que vem…

Semana que vem, o time estará de bye week e é bom preparar um repertório diferente, pois a semana seguinte já é um duelo de divisão pelo topo da AFC north: o time enfrenta o Pittsburgh Steelers em casa, às 14h pelo horário de Brasília.

 

DEIXE UMA RESPOSTA