Faaaala Colts Nation! Nesta temporada abordaremos os artigos de pós-jogo de forma diferente: mais curtos e objetivos destacando os principais pontos de discussão dos jogos. As análises mais aprofundadas serão guardadas para o nosso podcast semanal. Vamos ao que interessa!

Os Colts saíram derrotados na Semana 1 fora de casa e precisavam dar uma resposta em campo. O jogo corrido fraco após a lesão de Mack e a defesa muito abaixo do esperado eram os principais pontos para críticas. Pelas entrevistas da semana já poderíamos dizer que Taylor seria bastante usado, e foi exatamente o que aconteceu na vitórias por 28-11 contra os Vikings. A surpresa? Mo Alie-Cox fazendo o jogo da carreira.

O BOM

O time dos Colts parecia outro em campo contra os Vikings. A defesa, completamente dominada pelo ataque dos Jaguars e Gardner Minshew na semana anterior, teve um desempenho muito melhor no último domingo. A linha defensiva passou muito mais segurança para o time e até para o espectador, pressionando Kirk Cousins constantemente. Estatisticamente destacamos: três sacks, três tackles para perda de jardas e mais sete QB hits. Enfim DeForest Buckner mostrou os motivos dos Colts gastarem uma escolha de primeira rodada em sua aquisição. Em seu segundo jogo pelo time de Indianapolis conseguiu 1.5 sacks, e um tackle para perda de jardas e foi responsável por mais quatro hits. O novo defensive lineman dos Colts ainda foi essencial num safety que deu dois pontos ao time. Deixamos aqui o vídeo de uma das jogadas mais marcantes de DeFo no jogo de ontem.

https://twitter.com/thecheckdown/status/1307813771956502528?s=19

Vale lembrar ainda o ótimo jogo de Xavier Rhodes contra seu ex-time, sendo importantíssimo em uma jogada onde desviou um passe de Cousins para Adam Thielen. A estreia de Julian Blackmon foi provavelmente uma das melhores que já tivemos por um calouro dos Colts nos últimos anos. Essencial ao desviar um passe para interceptação de Khari Willis e extremamente confortável em campo. Além desta, foram mais duas interceptações da defesa em cima do QB adversário, uma do T.J. Carrie e outra do Kenny Moore II. Os números brutos são bons em termos de jardas cedidas, de um jogo para outro o desempenho melhorou consideravelmente, porém ainda é cedo para confiar nessa montanha-russa. Nem tão ao céu, nem tão ao inferno com os primeiros jogos.

No ataque, o jogo corrido fluiu e Jonathan Taylor teve seu primeiro jogo de mais de 100 jardas pelos Colts. Michael Pittman Jr. pode não ter computado muitas jardas aéreas (37), mas se mostrou uma opção segura para Rivers em alguns momentos cruciais do jogo. Destaque também para o kicker Rodrigo Blankenship, que acertou quatro field goals (o mais longo de 44 jardas) e um extra point.

O RUIM

Lesões, lesões e mais lesões… Não bastava a lesão no tendão de Aquiles de Marlon Mack no primeiro jogo da temporada. Malik Hooker também sofreu uma ruptura no mesmo tendão e está fora do restante temporada. Ainda que Blackmon tenha feito boa estreia a profundidade do elenco dos Colts e a rotação ficam muito prejudicadas. Péssima noticia para quem está em ano de contrato e precisava se provar em campo após um 2019 ruim. Matthew Adams, capitão dos special teams e jogador de confiança do técnico Bubba Ventrone, teve um problema no tornozelo. Porém, é provável que a lesão mais lamentada pela torcida seja a de Parris Campbell. Destaque positivo do primeiro jogo, inclusive aqui na coluna, o recebedor saiu de campo com um problema no joelho. Ainda no domingo a possibilidade de rompimento do ligamento cruzado anterior foi descartada. Aparentemente o jogador sofreu uma lesão no ligamento cruzado posterior do joelho.

Mo Alie-Cox: TE 1?

Você ouviu aqui no podcast Colts Brasil que em 2019 o TE poderia ter um “breakout year” e isso não aconteceu. Mas com as lesões de Jack Doyle durante a semana e Trey Burton antes mesmo do início da temporada, Mo precisou mostrar serviço em campo. E foi isso que vimos contra os Vikings na Semana 2. É verdade que Mo Alie-Cox teve um drop ainda no primeiro tempo de jogo que resultou em uma interceptação. Porém, Rivers manteve a confiança no alvo de 1,98m de altura e soltou a bola inúmeras vezes para o TE. Mo teve seu melhor jogo pelos Colts e conseguiu 111 jardas recebidas, atormentando a secundária dos Vikings. Ainda foi forte atuando no auxílio ao jogo corrido.

 


Fiquem ligados nas notícias sobre o Colts no @HorseshoeBr@potrosbr  e @fumblenanet, além dos pitacos da @CarolVago12, do @pj1992 e do @William_Borella!

Assine o Colts Brasil no Spotify!

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio do podcast ou texto! https://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

Fotos: disponíveis no site oficial dos Colts.

DEIXE UMA RESPOSTA