Pós Jogo: No fim, deu tudo certo

“Ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos”. Nunca uma torcida desejou tanto que essa m√°xima, que perdurou na NFL at√© pouco tempo atr√°s, seja verdadeira quanto a do Baltimore Ravens. Sem uma quantidade de boas pe√ßas no elenco de recebedores e chamadas que parecem uma ofensa pessoal de t√£o question√°veis, o jogo de hoje foi a prova de que o que vem mantendo Baltimore competitivo na disputa √© o setor defensivo.

Esse passe é realmente necessário?

Demarcus Robinson quebrou o jejum e anotou um TD a√©reo na partida. O √ļnico TD do Ravens, diga-se de passagem. Sammy Watkins conseguiu descolar uma recep√ß√£o que rendeu 40 jardas de avan√ßo para o time. Nunca mais vimos uma recep√ß√£o de ambos ou de qualquer outro que se atreveu a recepcionar uma bola na partida, a n√£o ser Mark Andrews, que contou com 3 no jogo, para um total de 45 jardas, e ainda perdeu a oportunidade de anotar um TD quando estava totalmente aberto na endzone. Uma pena que Tyler Huntley demorou demais para perceber e n√£o quis arriscar depois.

Fato √© que o Ravens passou pouco, e na maioria das vezes que arriscou, passou mal. Ali√°s, quem passou mal tamb√©m foi o torcedor na pen√ļltima campanha do time que poderia fechar o jogo e ampliar a vantagem. Poderia, n√£o fosse a insist√™ncia do Greg Roman em querer mandar a bola pelos ares quando n√£o conv√©m.

O resultado dessa graça foi a devolução da bola para o adversário que começou quase no meio de campo com a chance de empatar o jogo, caso anotasse um touchdown com uma conversão de dois pontos. Ainda bem que a defesa, que teve poucos pontos negativos a se destacar na partida, conteve Atlanta nos momentos chave, limitando o adversário a apenas 3 field goals.

Corra, Baltimore! Corra!

Ao menos, ainda restou um pouco de ju√≠zo para entender que a t√īnica da partida seria correr com a bola. Encarando uma das piores defesas contra o jogo terrestre, Gus Edwards anotou 99 jardas em 11 tentativas de corrida, incluindo a√≠ uma corrida de 37 jardas no terceiro quarto que colocou Baltimore na linha de 10 jardas do campo advers√°rio – e, infelizmente, se limitou a apenas um Field Goal, como se tornou costumeiro.

J.K Dobbins, que nas duas ultimas partidas anotou mais de 100 jardas, fez apenas 59. Nesse caso, o uso do jogador foi reduzido e no segundo tempo, quase esqueceram que ele existe. No ultimo quarto, utiliza-lo mais teria sido muito √ļtil para evitar sustos e, quem sabe, posicionar o time na zona de pontua√ß√£o mais uma vez para alargar a vantagem.

A defesa precisa ficar mais esperta

Não nos enganemos: o ataque de Atlanta não é de se jogar fora. Era a terceira melhor antes da rodada começar, de acordo com o PFF e possui boas peças em Cordarrelle Patterson, Drake London e Tyler Allgeier, que foi o principal corredor do time neste domingo. E ainda assim, nossa defesa limitou os Falcons a apenas 9 pontos.

A preocupação fica pelo fato de que boa parte da produção do ataque adversário se deu no segundo tempo, quando Arthur Smith lançou mão de passes mais curtos na linha de scrimmage e bootlegs do calouro Desmond Ridder, que terminou a partida com QBR de 91,2.

Houve um momento na partida em que nos pergunt√°vamos se o setor defensivo n√£o teria mais resposta para tal situa√ß√£o. Isso, somado ao problema quase cr√īnico de perda de tackles dos nossos jogadores, permitiu que Atlanta progredisse com mais facilidade em campo na segunda metade da partida, ofuscando a √≥tima atua√ß√£o do time na primeira metade do jogo.

Para a pós temporada

O time volta a campo já classificado para os playoffs ano que vem contra o Pittsburgh Steelers e, talvez, conte com o retorno de Lamar Jackson para tentar arrancar de Cincinnati a liderança da divisão.

O que preocupa no momento é o que Baltimore pode apresentar quando chegar lá. Se a temporada regular terminasse hoje, estaríamos viajando até Jacksonville enfrentar os Jaguars, que nos deram um sufoco e arrancaram uma vitória que, até então, parecia improvável, mesmo Jacksonville sendo um time bem arrumado.

Há tempos, John Harbaugh promete que os problemas dos Ravens serão arrumados e, obviamente, esses consertos não vieram. Ninguém espera que Baltimore faça muita coisa na pós temporada, mas sabendo explorar o jogo corrido como deve e usando o ataque aéreo na medida em que deve ser usado, dada a falta de talento do corpo de WR, pode ser que o time apronte umas graças em Janeiro.

Ou seja, PARA DE APRONTAR GREG ROMAN!

Todos os conte√ļdos publicados neste site s√£o de responsabilidade de seus autores e n√£o necessariamente refletem as opini√Ķes e posicionamentos da FN Network.

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOT√ćCIAS RELACIONADAS

1845753733.0
10 PITACOS sobre Ravens vs Rams
01hgfp89wwvvp2r743zt
O Impacto de Mike Macdonald em Baltimore
7b1f9139-84cb-4078-b06f-b8eb2502a5b0-AP22296726540271
10 PITACOS sobre Ravens vs Browns
Três jogadores de roxo do Baltimore Ravens cercando o quarterback do Cleveland Browns de branco
Pós Jogo: Venceu quem errou menos
Lamar
10 PITACOS sobre Ravens vs Seahawks
defense
Pós Jogo: Só precisa cuidar da bola
20231030_072258
10 PITACOS sobre Ravens at Cardinals
Geno
Pós Jogo: nunca foi tão fácil
c6e995993963b2f3a7164fe4aab39dda
10 PITACOS sobre o London Game