Esperávamos um milagre natalino, parecia ser, estamos em dezembro e estava sol na tarde de Green Bay isso já é um completo milagre meteorológico e tudo parecia se caminhar para o sonho quando na primeira campanha do Browns já acontecia uma boa produção ofensiva terminando com um touchdown de Nick Chubb. A partir daí terminamos a dois pontos do Packers fora de casa em um jogo onde o Browns acabou com mais de 200 jardas terrestres com Chubb correndo para 184 jardas em 20 corridas. No dia em que Baker Mayfield terminou com 222 jardas aéreas e dois touchdowns não foi suficiente porque ao mesmo tempo suas quatro interceptações, arremessos imprecisos e sacks em segunda e terceira descidas pareciam ser o combo de negar a Cleveland sair com a vitória importantíssima.

Algumas questões da tarde de natal ainda são importantes de final de temporada. Primeiramente o quanto foi culpa do Stefanski na utilização de Nick Chubb no jogo de sábado. O Browns enfrentava novamente um time que tinha problemas para conter jogo corrido mas o Browns usou seu RB1 apenas 5 vezes na primeira meia hora de partida. Mas a impressão é a de que o próprio Chubb se afastou do jogo por questão física, Stefanski se colocou a ter um plano de jogo com Chubb no momento final do jogo ainda mais após a grande produção dele a partir da volta do intervalo, e o planejamento colocou a bola nas mãos dele em quatro das cinco primeiras jogadas do drive final: Chubb para um ganho de 4 jardas, Chubb para um ganho de 10 jardas, Chubb para um ganho de 4 jardas, um lançamento bem a frente do Njoku e logo em seguida passe para Chubb para 7 jardas.

Chubb teve COVID-19 um mês atrás e existe um impacto como há até hoje com Myles Garrett por exemplo, além disso existe diferentes tipos físicos de RBs como já citamos que Chubb não aguentaria por exemplo a quantidade de corridas de um Derrick Henry, e parece que o Browns esta precisando administrar muito a questão de quantidade de carregadas dele.

Do lado defensivo foi a partida a concluir que a defesa tá longe de ser um problema r que aliás Joe Woods se mostrou numa evolução tão grande durante a temporada que ele se garantiu para a próxima temporada e estabilizou sucesso em todos os setores dessa área do time. A defesa teve que se lidar com 3 turnovers do ataque no primeiro tempo e não teve sucesso contra nenhuma campanha após essas interceptações mas no segundo tempo a defesa cedeu apenas um Field Goal contra um dos melhores ataques da liga e com o hoje MVP da temporada, a defesa por muitas vezes entregou a oportunidade pro ataque poder virar jogos ou concluir jogos. A defesa de Joe Woods fez isso sem seis jogadores defensivos importantes, estavam sem Greg Newsome, Troy Hill, Jadeveon Clowney, Malik McDowell, John Johnson III e Ronnie Harrison. Ainda assim, jogadores como Sheldon Day, Porter Gustin e Richard LeCounte tiveram uma tarde bastante estáveis e seguras.

Joe Woods merece cada vez mais respeito pelo seu trabalho com essa defesa

Houve problemas claro, como estavam marcando o Devante Adams no primeiro tempo foi algo bem inseguro ou o sacrifício de mandar uma blitz forte contra o Rodgers tão perto da EndZone mas faz parte de se administrar a questão de enfrentar Aaron Rodgers durante o jogo. No entanto, o esquema de Woods está executando em alto nível, já que a defesa manteve seus últimos cinco oponentes a apenas 17 pontos por jogo e ele é o futuro do setor defensivo.

A grata surpresa do jogo de sábado foi Nick Harris, com JC Tretter na lista da COVID-19, Harris em seu segundo ano na liga foi convidado a ocupar o seu lugar. Depois de começar um jogo como Guard Direito há um ano e ter uma apresentação terrível e inconsistente durante toda a partida, havia muitos motivos para preocupação quanto ao nível que ele chegou do college, no entanto, Harris fez mais do que apenas uma partida segura nesse natal. Todas as características principalmente a de Pass Blocking evoluíram nitidamente, seu tempo em banco de reservas o ajudou demais e já não existe mais aquela insegurança que se transmite a todo momento de um OL que acabou de sair do college.

Visando que Tretter está se caminhando para seu último ano de contrato, o futuro pode ser já na próxima temporada e a questão financeira também começa a aparecer na reflexão, comm a escolha do Harris, os Browns considerariam “comer” $1,6 milhões para economizar $8,25 milhões ao se separar de seu antigo center? A conversa ficou um pouco mais interessante, com certeza após esse sábado. Harris é um movimentador tão fluido, tornando-o uma ótima opção para este amplo sistema de zonas que a linha ofensiva do Browns gosta de jogar e embora ele possa ser muito pequeno para ancorar como Guard, não houve evidências iniciais que ele sentiu esse impacto mas jogando como Center. Com ele ganhando mais oportunidades nessa reta final poderemos ter uma idéia com mais exemplos para a pós temporada.

O jogo deveria ser um resultado final do quanto o Browns mereceu ou não, a derrota poderia ser com um roteiro de apenas culpa própria do Baker e do seu time mas quando a arbitragem ainda comete um impacto tão grande no jogo a sensação fica ainda pior. Tivemos uma face mask clara no Mayfield, um false start dos mais bizarros que já assisti de tão claríssimo que foi do lado do Packers e claro a Pass Interference da mais visível no Peoples-Jones que resultou na quarta interceptação do Mayfield e o fim do jogo para o Browns onde já chegava perto de se colocar para o Field Goal da vitória logo. Sobre a arbitragem da NFL não gosto de me estender aqui, todo mundo sabe o quanto ela é ruim para todos os lados mas um pouco mais contra nós, não existir um sistema de reavaliar a chamada como essa PI em um momento tão crucial do jogo me deixa triste demais.

 

 

 

Agora é o assunto que mais gostamos e vai ser um que vai se estender por toda a pós temporada, as vezes não sei nem como gerir um caminho para essa discussão, Baker Mayfield foi o grande responsável por nossa derrota, com 4 interceptações e 3 delas sendo bastante culpa dele, foram lançamentos imprecisos, duas delas por causa de luta contra o quadril estando completamente torto fazendo o passe contra o movimento do corpo e outra que o footwork no estágio final do passe estava completamente errado onde saiu um passe muito forte e alto, a primeira interceptação foi uma decisão das mais equivocadas e nada haver quanto a tempo perdido de treinamento ou lesões, um passe longo sem ter lido a marcação dupla e a separação inexistente do DPJ. Por causa das interceptações o Browns entregou 3 posses a mais para Green Bay em duas pelo menos em boas posições já onde resultou em 3 touchdowns, isso já impactou demais o jogo, na segunda interceptação o Browns estava já dentro da RedZone para pontuar e o passe impreciso já daria o Browns uma 1st&Goal na linha de 9 jardas pelo menos.

Baker é o nosso futuro ou não e o quanto precisamos ligar o alerta para ele, tem um ponto que gostaria de trazer aqui, muitas pessoas precisam de equilíbrio quanto se sentirem culpadas ou não para a avaliação. Parece que criamos uma barreira quanto a críticas severas, o espírito de gratidão tá instalado em Cleveland, eu fui alguém que o defendi desde o primeiro dia, sempre citei que ele nunca teve uma vida com paz nessa cidade depois de várias mudanças nas posições de Head Coach e Coordenador Ofensivo, ele teve Freddie Kitchens e Hue Jackson por exemplo em seu comando e claro que sua progressão e evolução seriam atingidos. Sempre também olhamos para o cenário que ele está, são várias lesões, uma no ombro esquerdo onde parece ser séria a ponto de se pensar em uma cirurgia na pós temporada, ele esteve sem treinar por uma semana e meia e viajou em um jatinho particular para Green Bay só para ajudar a equipe e entendemos e absorvemos que ele é um dos caras que mais querem chegar os playoffs, vencer jogos e entregar um Super Bowl para essa cidade.

 

 

 

 

 

 

 

Mayfield conseguiu sim carregar a bagagem de ser mais um quarterback dos tantos que tentaram concertar a que pode ser a franquia mais azarada e desorganizado de todos os esportes, ele conseguiu nos levar paramos playoffs e vencer um jogo lá algo que não acontecia desde o século passado, ele ainda tem números impactantes. Nos 47 jogos anteriores do Mayfield antes dele machucar o ombro contra o Houston Texans onde foi o momento em que um declínio começou, ele completou quase 63% de seus passes, uma relação touchdown de quase 2:1 para interceptação e arremessou para quase 12.000 jardas. Sua média de jardas por tentativa durante esse tempo seria o top 15 na liga e ele ainda está entre os 10 primeiros em termos de jardas por tentativa neste ano. E muitos desses jogos incluíam Hue Jackson ou Freddie Kitchens como o comando das jogadas. Isso representa mais touchdowns e jardas do que Russell Wilson no mesmo período por exemplo com um QB Rating ligeiramente mais baixo.

Existe valor e é isso que quero dizer mas não se culpe por criticar também duas ações ruins dentro de campo, se pode ainda ter esperanças nele, ter gratidão e ainda ligar o alerta para os acontecimentos, várias interceptações são de ruins decisões algo que tá muito por fora de qualquer lesão ou tempo de treino na semana, seu footwork piorou algo que era bastante elogiado na última temporada quando sua progressão dentro do pocket e suas campanhas de final de jogo por mais que houve culpas coletivas ainda é algo que está inserido no seu currículo. Portanto, é difícil racionalizar a crítica e estamos criticando Mayfield, o jogador que todos esperávamos que fosse, baseado em uma excelente carreira universitária em um ataque de Lincoln Riley que produziu três quarterbacks titulares da NFL, o jogador cuja identidade como a entendemos é uma criação de mídia baseada em alguns momentos de ousadia e raros vislumbres de comportamento bem “agressivos”. Não estamos criticando o Mayfield, que tem sido muito bom como Quarterback do Browns em relação a todos os outros do século, a pessoa que jogou machucado por muito tempo, lidou com algumas histórias enlouquecedoras de intriga dentro dos bastidores de Cleveland e ganhou um jogo de pós temporada ano passado.

Ele precisa melhorar urgentemente, a torcida já está começando a pular do barco ou começando a pensar em fazer isso, na NFL a insegurança quanto a atualidade é assim. Dependendo dos resultados do domingo o Browns entra para os seus dois últimos jogos a depender apenas de vencer eles para ir incrivelmente ainda para os playoffs e para se jogar em casa na semana de Wild Card, esses dois jogos podem ser o que faria tudo isso se acalmar, Baker mostrar seu valor pra torcida mas para uma organização que confia nele mas que certamente começa a se refletir em tudo que tá acontecendo ultimamente.

DEIXE UMA RESPOSTA