Primeiro pós jogo da temporada e bem difícil de fazer e conter respostas, ontem o Browns perderam em Baltimore para o Ravens por 38 a 6. Em mais um jogo de início de temporada o Browns aumentou sua seca em semana 1, agora o recorde de 0-15-1 nas últimas 16 jogos de estréia e 1-20-1 desde o retorno para a NFL. Tentaremos encontrar um caminho a seguir do jogo de ontem e também já pensando na quinta a noite onde voltaremos a campo contra o Bengals.

Precisamos ter calma e ter um equilíbrio entre não se exceder nas críticas e já focar como uma perda por toda a temporada, mas ao mesmo tempo encontrar os problemas e falar deles. Precisamos falar que o novo sistema foi implantado e esse é o primeiro jogo com ele, que estávamos enfrentando um candidato muito forte ao Super Bowl mas também podemos falar que foram profissionais perdendo por 32 pontos de diferença com certos problemas sérios no ataque e na defesa.

Esperava-se que as performances de 2019 de Baker Mayfield ficassem para trás. O Browns esperava ver o retorno de seu Quarterback confiante e preciso, o ataque foi criado para simplificar as coisas para Mayfield, permitindo que ele entrasse em um novo sistema, um sistema baseado em uma abordagem de alto volume com ação de jogo terrestre. Infelizmente o Browns ficaram para trás rapidamente no placar e o fardo recaiu novamente sobre Mayfield para trazer os Browns de volta com situações de passe previsíveis e campanhas de longa distância para percorrer após penalizações. A linha ofensiva trabalhou muito bem, teve um dos dez melhores números na rodada entre a liga em Pass Block, o problema é que o ataque precisa trabalhar equilibrado e o jogo corrido se estagnou ao longo do jogo e o aéreo teve sérios problemas.

Há uma dura verdade a ser contada aqui na análise: Mayfield está operando apenas na primeira leitura do campo de um determinado esquema, se essa opção for coberta ou a imagem não estiver clara para Mayfield, ele estará se hesitando, fugindo do pocket com os pés felizes ou passando rapidamente sem passar por progressões para obter respostas.

Os melhores Quarterbacks da liga têm a habilidade de trabalhar tanto antes como depois do snap para encontrar a fraqueza da defesa e a área a explorar. É um jogo de xadrez e um dos melhores da liga é capaz de decifrar na hora tudo que está o cercando. A velha guarda com Tom Brady e Drew Brees ainda está fazendo isso e Patrick Mahomes com uma idade bem mais jovem também. Mayfield nunca será do tipo que corre, então ele precisa encontrar essa vantagem no processamento e na antecipação e isso não está lá com ele.

Se existe uma interceptação que resume até bem os problemas que ele se encontra foi a do começo do jogo, a defesa do Ravens estava um passo à frente no jogo de xadrez mental. E o mental é algo que estamos em dúvida faz 3 anos, sim existiu uma 3rd & 10 onde o Ravens forçou o que mais forçava erro ao Mayfield, se colocou mais Linebackers e mandou a blitz para cima e assim conseguiu forçar o passe errado. A equipe leu rápido e começou a usar muito um esquema defensivo conhecido como zona de fogo, que é um esquema que normalmente envolve uma corrida de cinco homens pelas trincheiras as vezes adicionando mais jogadores e outros defensores levando a estar em cobertura por zona. O objetivo é forçar esse passe mais rápido, sem uma leitura tão precisa e estar exposto a ter defensores em todos os setores do campo.

Mayfield fez uma leitura rasa, defensores forçando o passe mais rápido e no campo externo da trincheiras todos em marcação em zona. E assim acontece a interceptação

Ao longo do jogo aconteceu alguma problemas de processamento lento, enfrentar defesas tão boas quanto a do Ravens é preciso ter a rapidez de dominar o que o jogo pede e isso era uma visão mais rápida, aqui Mayfield não consegue sentir a pressão que os Ravens trazem, desocupando o meio do campo, e sua oportunidade de deixar a bola para Njoku ali no meio não é confiada por ele, a partir daí toda a jogada é destruída e o pior acontece.

Ele também deu continuidade a uma tendência de má colocação da bola, que esperávamos que fosse coisa do passado. Mayfield continua a lutar para colocar a bola nos locais certos e isso o colocou em apuros no domingo, a falta de precisão é algo que precisa evoluir logo durante o ano.

Mayfield encontra OBJ com uma boa abertura e espaço mas o passe chega atrás dele, vindo com uma espiral bastante inconsistente, isso da a oportunidade da bola estar mais para o defensor que para o próprio Odell.

Não queremos passar todo o pós jogo falando exclusivamente dele, existe coisas boas, Mayfield se manteve e progrediu algumas vezes dentro do pocket mesmo com a pressão nas paredes do bolso se destruindo, teve bons lances onde precisou de play action e fugir para fora do pocket, algo bastante visto ano passado com Kirk Cousins mas ao mesmo tempo se sentiu desconfortável em seu footwork inclusive em algumas idas para fora do pocket. Precisamos ter a paciência e quinta será mais um objeto de analise do que Mayfield e o novo esquema está trazendo para o time.

Tivemos outros pontos a se considerar a analisar ofensivamente como o uso dos três Tight Ends mas ainda sim com Bryant sendo mais ativado do que o próprio Njoku mesmo com isso fazendo uma boa performance e que deve ganhar mais snaps a partir de agora. Landry foi a melhor química com Mayfield e Hodge com mais snaps e iniciando a temporada como o WR3 a frente de Higgins. Já na linha ofensiva todos menos Wills estiveram em 100% dos snaps mas ainda sim o calouro esteve em quase 3/4 do jogo.

Sempre temos uma bizarrice em um jogo do Browns e ontem foi essa nada normal campanha

Odell recebeu dez passes ontem mesmo assim teve apenas 22 jardas, foi a segunda menor marca em sua carreira apenas perdendo para a temporada passada que em um jogo contra o Ravens também teve apenas 20 jardas. Outros entre aos alvos tiveram mais sucesso, Landry de 6 passes recebeu 5 para 61 jardas e Njoku de três passes recebeu todos para 50 jardas e um touchdown. Também tivemos Hunt e Chubb dividindo praticamente 50% dos snaps cada, esses foram os números do primeiro tempo:

– Nick Chubb, 62% snaps, 6 corridas, 1 passes

– Kareem Hunt, 41% snaps, 6 corridas, 2 passes

Os dois tiveram média de 5,7 jardas por corrida em todo o jogo, algo positivo se pensar que se uma defesa como o Ravens não conseguiu parar os dois, eles podem fazer um inferno contra defesas inferiores.

Defensivamente tivemos problemas grandes, a linha defensiva foi o ponto mais fora da curva, se algo era tentar equilibrar o efeito no jogo corrido do Ravens isso aconteceu, pass rush funcionou e foi estável mas o problema seria o jogo aéreo. Lamar teve um grande jogo, evolução nas questões técnicas visíveis demais junto a uma péssima performance da secundária. Encontramos muita displicência e falta de organização. Um exemplo claro foi o touchdown de Mark Andrews, a defesa cai na armadilha completamente e avançam todos para o lado oposto do TE, isso junto a uma falta de cobertura de Karl Joseph faz a recepção acontecer.

Também existiu um Lamar acertando com precisão janelas bem difíceis junto a um Mark Andrews que se prova cada vez mais o principal alvo, lances assim mostram que a química está pegando fogo naquele dia e péssima notícia pro Browns

A secundária dos Browns não será mais talentosa do que a maioria de seus oponentes nesta temporada e isso não significa que eles devem fazer as coisas “simples” de um jeito tão mal como ontem. Permitir muitos alvos livres entre os recebedores de slots e Tight Ends geralmente se resume a uma falta de esforço e disposição. Os Linebackers e Safeties pareciam desinteressados ​​em combinar com a fisicalidade de Baltimore. O resultado foi uma grande perda e a quatro dias da estreia em casa, Woods e a secundária têm muito o que trabalhar.

Por mais que venha um jogo em poucos dias Stefanski deve ter um plano, poucos dias mas deveriam ser de assistir as fitas do jogo, e uma grande característica de um time é como os jogadores em pouco tempo conseguem absorver os problemas do jogo passado e transformar isso em concerto.

DEIXE UMA RESPOSTA