Patrick Mahomes será o atleta com o contrato mais valioso da história dos esportes. Em um acordo de 10 anos com o Chiefs, válidos a partir de 2022, Mahomes receberá pelo menos 450 milhões de dólares, além de incentivos.

O talento e a capacidade do quarterback do Chiefs é indiscutível, ele é único. Pat Mahomes ainda é jovem e deve alcançar um patamar nunca visto antes na NFL, dificilmente veremos outro como ele por décadas. Considerando os termos do contrato, o QB fez um grande negocio e merece essas cifras.

Para a equipe de Kansas é a garantia de ter um dos mais proficientes quarterbacks de todos os tempos, por pelo menos mais 12 anos. Se tudo correr bem será um casamento perfeito. Mas, principalmente, o Chiefs assume certos riscos com o acordo. Alguns desses poderiam trazer sérias consequências para o futuro da franquia.

Contusão Grave

Evidente que ninguém deseja isso, ver Pat jogar é um prazer, contudo, o Futebol Americano pode ser um esporte cruel. Basta olhar para o caso recente de Andrew Luck, um dos melhores QBs saídos do draft, pronto para NFL e com um começo mais do que promissor, porém, sua carreira foi muito prejudicada e encurtada por lesões.

Uma contusão que tirasse Mahomes de cena seria devastador para os planos do Chiefs, visto que, além do prejuízo técnico, haveria um comprometimento de aproximadamente 141 milhões de dólares que são garantidos ao jogador mesmo se ele não entrar em campo. Ficaria difícil para a equipe seguir competitiva sem o astro e ainda com esse rombo financeiro.

Juntos até o fim

No momento ninguém consegue imaginar o astro jogando em qualquer outro lugar. Mas já vimos outras “histórias de amor” entre jogadores e times acabarem de forma trágica, não apenas na NFL. No novo contrato existe uma cláusula que não permite que o atleta seja trocado, ou seja, as partes serão obrigadas a pelo menos se suportarem nos próximos 12 anos.

Não que fosse simples alguém absorver um contrato desta magnitude que, por exemplo, garante ao menos 39 milhões por ano de 2023 em diante. Entretanto, o fato é que se por qualquer motivo futuro Kansas não quiser mais o QB, arcaria com valores astronômicos, inviabilizando montar um time forte.

Teto Salarial

No entanto, o maior e mais palpável risco que o time corre é na montagem do elenco para os próximos anos. A NFL trabalha com um teto salarial que é calculado de acordo com base nas receitas totais da liga. Desde que foi estabelecido em 1994, este salay cap sempre aumentou, ano após ano. Mas já há especulação de que, devido a pandemia mundial e a possibilidade de jogos sem publico, esse teto seja reduzido.

Isso dificultaria muito a equipe a montar um elenco competitivo, já que grandes nomes esperam grandes salários. Para se ter ideia do tamanho do problema para o Chiefs, vamos considerar apenas os salários de Mahomes e Chris Jones, que renovou seu contrato na última terça-feira (14).

Já em 2022, seus salários somados podem alcançar 51 milhões, mais de um quarto do teto atual. Em 2023, podem ser quase 63 milhões, praticamente um terço do que o time teria disponível hoje para montar o elenco.

Vale a Pena?

Claro! Um talento como de Patrick Mahomes vale qualquer risco, mas isso não quer dizer que devemos fingir que eles não existem. Kansas vai precisar de ótimos trabalhos no draft e manter um olhar apurado ao mercado atrás de barganhas, caso contrário, será um tremendo desafio conseguir montar um time realmente competitivo e dar as armas para seu super astro buscar mais anéis de Super Bowl.

DEIXE UMA RESPOSTA