Todas as equipes de esportes americanos precisam trabalhar com incertezas e com apostas na noite do draft. Diversos jogadores escolhidos em posições altas do draft acabam não dando certo na NBA por não conseguirem se adaptar ao nível da competição. Todo ano o draft tem busts e sleepers, mas quem foram os maiores busts dos últimos anos? 

Evan Turner 

Evan Turner é um dos maiores busts dos últimos ano na NBA, mesmo que ainda consiga ter um impacto como role player, ele nunca conseguiu entregar o que era esperado. Ele teve uma das temporadas mais memoráveis da história da BIG 10, liderando a liga em pontos e rebotes e ficando em segundo em assistências e roubos de bola.

Turner era tido como um jogador que faria tudo na NBA e era considerado o segundo melhor jogador da classe de 2010, atrás apenas de John Wall. Assim como era esperado, ele foi a segunda escolha do draft daquele ano, o problema é que seu potencial máximo nunca foi atingido. 

Jogando os quatro primeiros anos pelo 76ers, ele foi totalmente ineficaz e só conseguiu ter uma temporada de 15 pontos de média. Ele tinha médias de 19 pontos em sua última temporada com os 76ers, mas acabou sendo trocado para os Pacers. Depois de uma breve passagem por Indiana, Turner passou por: Boston, Portland e hoje está no Minnesota Timberwolves. O maior problema da carreira dele acabou sendo as bolas de 3, na qual o jogador tem aproveitamento inferior a 30%. 

Evan Turner tinha um potencial gigantesco, mas nunca conseguiu mostrar esse potencial na NBA. Ele ainda conseguiu se estabelecer como um role player, coisa que poucos dos busts conseguem, mas ficou longe daquele jogador da faculdade.

Thomas Robinson

Thomas Robinson foi um jogador da faculdade de Kansas e assim como a maioria dos jogadores vindos dessa faculdade, nunca teve destaque na liga. Robinson fez uma temporada espetacular em 2011-2012, sendo eleito o jogador do ano do país pela ESPN e finalista do prêmio Naismith, o MVP do College. Com médias de 17.7 pontos e 12 rebotes, era esperado que ele fosse ter uma presença de garrafão dominante.

Robinson foi a quinta escolha do draft de 2012, sendo selecionado pelo Sacramento Kings. Durante sua temporada de novato, ele foi trocado para os Rockets e foi apenas o quinto jogador da história a ser selecionado no top-5 e ser trocado no mesmo ano.

Depois da passagem pelos Rockets, ele começou a rodar por diversas equipes da liga, tendo passagens por: Nets, 76ers, Trail Blazers e Lakers. Com apenas 12 jogos como titular na sua carreira, o jogador não chegou nem perto de atingir as expectativas.

Já que Robinson foi a quinta escolha geral do draft, se esperava muito mais dele como jogador. Ele ainda tentou dar sequência na sua carreira, mas não teve sucesso, mesmo jogando na Europa. Ainda que o Sacramento Kings tenha tido diversos problemas com jogadores vindos do draft, essa foi uma das melhores apostas da equipe, que assim como todas as outras, não deu certo no final.

Jahil Okafor

O companheiro de garrafão de Joel Embid, Jahil Okafor tinha potencial para ser um dos melhores jogadores de garrafão da NBA. Talvez o jogador mais dominante da NCAA em 2015, Okafor tinha um futuro brilhante pela frente e já começou sendo campeão do College pela faculdade de Duke. Mostrando uma dominância de garrafão, ele era um monstro bloqueando arremessos, pegando rebotes e jogando embaixo da cesta.

Suas incríveis estatísticas jogando por Duke renderam a ele a terceira escolha geral do draft de 2015, sendo selecionado pelo Philadelphia 76ers. Okafor teve uma tremenda temporada de novato, tendo médias de 17.5 pontos e sete rebotes por jogo, além de ficar em quinto na corrida de novato do ano.

No entanto, o maior problema para ele foi não se adaptar ao novo estilo de jogo da NBA e acabar ficando refém disso. Ele tem as características de um pivô clássico, mas não tem a velocidade e o arremesso de 3 necessário para a liga moderna.

Okafor tem sido um role player ok em New Orleans. Mas a falta da maioria das características principais da NBA atual fez com que ele se tornasse um grande bust. A função clássica de pivô tem sofrido cada vez mais no basquete de alto nível e a tendência é de a função ser praticamente extinta nos próximos anos.

Anthony Bennett

Anthony Bennett é o maior bust da NBA da última década e um dos maiores busts da história da liga. Além de ser um grande bust, Bennett também foi uma aposta arriscada do Cavaliers. Isso porque, tinha apenas 16 pontos de média e jogava na Mountain West Conference, que não é muito famosa e nem muito forte nos Estados Unidos.

Com LeBron James em Miami, Cleveland buscava um salvador para a franquia ou alguém que pudesse convencer LeBron a voltar para casa. Mas, o draftado foi de salvador da franquia para uma das maiores decepções da história.

Tendo apenas quatro pontos de média e nenhum jogo como titular, Bennett ficou apenas um ano em Cleveland e foi trocado para Minnesota. Após mais uma temporada decepcionante, teve curtas passagens por Brooklyn e Toronto, mas o máximo de média que ele teve foi de 5.2 pontos.

Ele foi um dos poucos jogadores da história a ser um bust tão grande, que mesmo sendo a primeira escolha do draft não consiga sair da G-League. Ainda que ele tenha tido boas passagens na liga de desenvolvimento, nenhuma equipe quis arriscar contratá-lo e não parecem querer mudar isso.

DEIXE UMA RESPOSTA