Após mais uma derrota neste domingo, o Atlanta Falcons demitiu o técnico Dan Quinn e o General Manager Thomas Dimitroff. Entretanto, qual será o destino dos Falcons nos próximos meses?

O elenco atual

Foto: Todd Kirkland/Getty Images

Atlanta ainda conta com um elenco ofensivo que tende a ser espetacular. Mas com Julio Jones passando maior parte da temporada, até agora, machucado e Calvin Ridley tendo que carregar o time nas costas, a equipe realmente apresenta um modelo insustentável. O resto do elenco ofensivo não chega a ser de elite, mas mesmo apresentando performances medianas, o time continua mais completo do que grande parte do resto da NFL.

Defensivamente a história chega a ser outra, uma decepção absurda, no mínimo, e um desastre completo na maior parte do tempo. Grady Jarret tem carregado maior parte do esforço defensivo, mas não é como se um tackle defensivo conseguisse fazer tamanho estrago para ganhar um jogo.

Novos técnicos, novas possibilidades

Foto: Kevin C. Cox/Getty Images

Ainda não temos noção de quais serão os nomes considerados para os novos cargos que irão abrir até o final da temporada. Mas, de todas as possibilidades, os Falcon definitivamente são um dos times mais atrativos.

Com um técnico novo, pode chegar uma era nova. Além disso, com um General Manager que saiba como consertar a defesa, junto a um coordenador defensivo mais competente, os Falcons voltam a ser um time com muito potencial. Ainda tem muito talento a ser redescoberto também, como Deion Jones que, depois de uma lesão alguns anos atrás, nunca foi o mesmo linebacker de elite de antes.

Um novo General Manager, também chega com novos objetivos, novas expectativas, e alguns questionamentos. Quanto tempo demoraria para consertar a defesa? Alguns anos investindo no Draft e na free agency ou o buraco é mais embaixo? Tem como essa estrutura continuar competitiva sem muitas mudanças ofensivas ou o regresso é esperado? E a pergunta mais importante…

Matt Ryan: o MVP ainda funciona?

Foto: Kevin C. Cox/Getty Images

Ryan entra no seu décimo segundo ano de carreira como, até agora, uma decepção enorme em suas performances, tendo seu pior ano desde quando ainda era um calouro na liga. Com suas performances apenas piorando desde 2016, será que o Falcons está pronto para se separar de Matty Ice?

O melhor cenário para Atlanta, obviamente, seria uma troca, mas caso o valor de Ryan não seja bom o suficiente para levar algum time desesperado ao seu resgate, nada impede os Falcons de entrarem no Draft com expectativas.

No ritmo atual, o time compete pela primeira escolha geral, ou seja, Trevor Lawrence, seleção que provavelmente levaria Matt Ryan ao banco em 2021. Por outro lado, caso Atlanta pegue alguma seleção entre as dez primeiras, ou esteja disposto a trocar uma possível primeira seleção para poder montar melhor sua defesa, aí o time cai na possibilidade de que em alguns anos Ryan seja seu elo fraco. Ou seja, com um time mais competente as chances de poder selecionar um Trevor Lawrence ou Justin Fields se tornam cada vez menores.

Tudo isso depende, é claro, do que acontecer em Atlanta até o final da temporada, o time pode terminar melhor do que começou e ficar fora até mesmo do top 10 do draft. Ou então, Ryan pode jogar como jogou em 2016 e silenciar seus críticos. No entanto, com uma nova era em Atlanta, o destino é incerto e as possibilidades são infinitas.

DEIXE UMA RESPOSTA