A NFL é uma liga imprevisível, e na última semana a situação de Deshaun Watson virou ao avesso, nos próximos meses podendo perder o controle.

Watson não pretende mais jogar pelos Texans, isso já é claro, com um pedido de troca vindo algumas semanas atrás e sendo oficializado recentemente. A falta de participação na contratação do GM Nick Caseiro e do técnico Dave Culley foram as últimas gotas d’água. Apesar de ambos manterem seu comprometimento ao jogador, Houston não tem muita perspectiva com ou sem Deshaun para os próximos 3 ou 4 anos.

Com a troca de Matthew Stafford por duas escolhas de primeira rodada, o preço para quarterbacks inflou, e uma troca se torna cada vez mais difícil. Watson também tem de aceitar a troca, coisa estabelecida pelo seu contrato milionário, e agora Houston tem decisões difíceis a tomar.

É possível que Watson seja recuperável, mas o time é composto apenas por ele e J.J. Watt (que aparentemente também está de saída). Por outro lado, a outra possibilidade, que já está sendo posta em jogo, é arrastar a troca o máximo possível e ver se ainda existem chances nos próximos meses. 

Se Deshaun estiver comprometido em sair de Houston, os Texans têm até o dia do Draft para conseguir o melhor preço possível. Depois disso, o time corre mais risco, podendo recorrer a multar Watson e o afastar ainda mais do time.

O futuro de Deshaun Watson

Foto: Eric Christian Smith/AP

Tecnicamente, existem quatro cenários “ideais” para Houston nessa troca. Ou melhor, quatro times que podem dar mais que três escolhas de primeira rodada, e nessa altura do campeonato, até quatro seria um preço baixo.

Começando pelo menos provável, Jacksonville pode desistir de Trevor Lawrence por um jogador já “provado” profissionalmente. Com isso, o time se desfaz de quatro escolhas de primeira rodada e absorveria o contrato de Watson. Com o cap dos Jaguars é possível, mas a aposta em Lawrence mais as três escolhas nos próximos anos para construir um time é decididamente melhor.

Os Lions, que caíram em uma mina de ouro com a troca de Stafford, também tem o suficiente para trocar por Watson. Mas com o time entrando em fase de reconstrução, sobra para que Jared Goff tome conta de Detroit enquanto o time decide se espera sua hora de reagir.

Os Jets

Foto: Nhat V. Meyer/Bay Area News Group

Existem outros dois times com casos mais realistas para Deshaun, e o primeiro deles é o New York Jets. Com cinco escolhas de primeira rodada nos próximos três anos, o time tem a melhor situação possível para trocar pelo quarterback e não destruir seu futuro.

O time ainda tem mais de 60 milhões em cap para 2021 e uma base sólida na defesa, junto com espaço suficiente para acomodar algum free agent mais caro no ataque para fazer dupla com Watson e montar um elenco competitivo para a próxima temporada.

Além disso, o time conta com Robert Saleh no comando, uma das escolhas preferidas do quarterback para técnico.

Os Dolphins

Foto: Adam Glanzman/Getty Images

O outro cenário ideal seria em Miami junto a Brian Flores. O time passou 2020 na beira dos playoffs com um problema na posição de quarterback. Nela, com Tua e Fitzpatrick, o time passava por seus altos e baixos (os baixos normalmente vindos de Tagovailoa).

Os Dolphins têm quatro escolhas de primeira rodada trocáveis, possivelmente podendo até mandar Tagovailoa, que ainda tem quatro anos de contrato, para abaixar o valor da troca.

Idealmente, esse é o time que mais tem a ganhar e menos a perder com Watson. Com um espaço no cap um pouco menor que os Jets para 2021, o time teria que se virar com o talento que já tem no elenco e contar com poucas adições, esperando um bom draft. O lado bom é que esse talento quase foi aos playoffs em 2020, mas seria ele suficiente para chegar a um Super Bowl?

Qual o destino então?

Foto: Aaron Doster-USA TODAY Sports

Uma coisa é verdade, o destino de Deshaun Watson permanece incerto pelo momento, e isso pode ser breve, ou se estender até ano que vem.

O preço é caro, e uma troca antes de abril não é provável. Mas passando o draft, se não houver movimento, vai sobrar para que Watson deixe bem claro seu desgosto com a franquia forçando uma troca. Caso isso também não aconteça, 2021 será um ano imprevisível para os Texans, com seu quarterback no elenco contra a própria vontade.

A realidade é difícil e a situação chegou a esse ponto por vários erros em Houston. Mas falar que os Texans têm chances no estado atual da franquia, ou nos próximos anos, é negar o buraco onde o time se meteu por causa de Bill O’Brien, Jack Easterby e Cal Mcnair. O melhor destino para Deshaun Watson é ir embora, e um Super Bowl não tem preço. 

DEIXE UMA RESPOSTA