O curioso caso do QB room do Atlanta Falcons

O curioso caso da QB room do Atlanta Falcons

Imagine um cenário onde uma franquia, no caso o Atlanta Falcons, traz um quarterback por cem milhões de dólares garantidos, cento e oitenta milhões no total. O que se espera é que o time faça de tudo para melhorar o time em curto prazo, certo? Ao menos é o que diz o que a maioria dos fãs de futebol americano consideraria como bom-senso.

Pois bem, agora imagine que apenas um mês depois, essa mesma franquia seleciona um quarterback na oitava escolha geral no draft. Difícil de se acreditar né? Pois bem, nem mesmo eu e os meus colegas do Falcons Play Action BR conseguimos acreditar no momento, como evidenciado em nossa reação assistindo essa escolha ao vivo (se você ainda não assistiu, recomendo… entretenimento puro!).

Terry Fontenot, General Manager do Atlanta Falcons, fez exatamente isso. Ao trazer Kirk Cousins com o contrato descrito no primeiro parágrafo, utilizou a oitava escolha geral no draft para selecionar Michael Penix Jr, da Universidade de Washington. Uma escolha um tanto quanto curiosa. Nada contra Penix, que eu particularmente considerava com o melhor prospecto depois do “Big 3”: Caleb Williams, Jayden Daniels e Drake Maye. Mesmo assim, é preciso de muita boa vontade para se imaginar um cenário onde essa sequência de acontecimentos faça sentido.

O novo Head Coach, Raheem Morris, disse que tinha conseguido o emprego porque seu antecessor não teve a capacidade de resolver a situação da posição mais importante do esporte. Talvez por isso ele tenha pensado: “Melhor já garantir que eu tenho dois quarterbacks no elenco, né?”. Kirk Cousins começará a temporada com 36 anos de idade, informação que sei pelo mero fato que fazemos aniversário no mesmo dia. Porém, Cousins está se recuperando de uma cirurgia para reconstrução de um tendão de Aquiles rompido. Talvez seja esse um dos motivos para ter selecionado Penix?

De acordo com a coletiva de imprensa de Fontenot e Morris, a justificativa foi de que o time não estaria nessa posição para selecionar um quarterback durante a duração do contrato de Cousins. Certas fontes na mídia americana também dizem que a comissão técnica e a gerência ficaram surpresos por Penix ainda estar disponível na oitava escolha.

O processo, no entanto, fica mais bizarro quando o agente de Cousins declara que o atleta havia sido avisado da possibilidade de o time selecionar um quarterback no draft, mas não esperavam que fosse logo numa escolha top 10. Obviamente essa decisão deixou Kirk desconfortável, para dizer o mínimo. Afinal, o melhor método para gerir uma franquia é deixar seu suposto quarterback titular insatisfeito com a organização antes mesmo do training camp.

Se Cousins está insatisfeito, ele tem todo o direito. Ao ser contratado pelas cifras do começo do texto, a expectativa é de que ele fosse considerado o Franchise Quarterback do time e que a comissão técnica e a gerência fariam o máximo para melhorar o time ao seu redor. O que ocorreu foi o exato contrário: o time trouxe, na primeira oportunidade, o seu futuro substituto, tratando-o como um “quarterback ponte”. Seria Kirk Cousins então o primeiro caso de um “Franchise Quarterback Ponte”? Ao menos podemos chamar Fontenot de “inovador”.

Fora isso tudo, ainda existe a investigação de tampering sobre o processo de contratação de Kirk Cousins, onde os Falcons supostamente negociaram com ele fora do período legal, o que pode custar futuras escolhas de draft aos Falcons. A meu ver, a escolha de Penix demonstra que a franquia espera que seja realmente punida e provavelmente com a perda de uma escolha de primeira rodada.

O pior de tudo é a situação de Penix, que com a existência de Cousins no elenco terá menos repetições disponíveis no training camp para o seu desenvolvimento. Sem contar que Kirk não tem a obrigação de desenvolve-lo – seu principal trabalho é levar os Falcons à melhor campanha possível durante o tempo que estiver contratado. Porém, o próprio calouro disse que já entrou em contato com Kirk e que a conversa foi muito boa e que o veterano foi extremamente respeitoso.

Como fãs, nos resta apenas torcer pelo melhor. Embora no momento seja difícil enxergar o que exatamente é o melhor nessa complicada situação.

Por Guilherme Miranda

Todos os conteúdos publicados neste site são de responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem as opiniões e posicionamentos da FN Network.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Logo do Chargers, número 32 do ranking de torcidas da NFL
Ranking de Torcidas NFL: #32 Los Angeles Chargers
Capa Podcast (1)
Falcons Play Action #165 – Análise da Classe do Draft de 2024!
Capa Podcast
Falcons Play Action #164 – Salvando a Offseason do Atlanta Falcons!
Capa Podcast
Falcons Play Action #163 – Noticías da Offseason!
Capa Podcast (2)
Falcons Play Action #162 – Review do Draft de 2024!
Capa Podcast (1)
Falcons Play Action #161 – Mock Draft 3.0!
b5dc0042-db37-4f3c-99ba-aef04cd6e028
Matt Ryan anuncia aposentadoria
como-assistir-futebol-americano
Como assistir futebol americano no Brasil
Capa Podcast
Falcons Play Action #160 – Mock Draft 2.0 e Draft dos Creators!