“Se vocês soubessem o que aconteceu nessa World Series, ficariam enojados” afirmou ‘Shoeless’ Joe Jackson após a derrota do Chicago White Sox para o Cincinnati Reds por 10-5 no jogo 8 da World Series de 1919. Ok, isso não aconteceu de verdade, mas eu prefiro imaginar que foi assim.

Até hoje há muito folclore em cima dessa série, que é uma das mais marcantes da história do esporte, muito já foi documentado, por outro lado, pouco realmente sabemos dela. Então, pegue o seu cachorro-quente que a gente vai te deixar bem a par de tudo o que aconteceu nessa série e o babado do escândalo.

Cincinnati Reds de 1919

Pra começar vamos falar um pouco sobre como cada equipe estava quando chegou na série, e nada mais justo do que começar com o vencedor, Cincinnati Reds. Os vermelhos de Ohio fizeram uma campanha de 96-44, terminando a temporada nove jogos na frente do vice-campeão da liga nacional, New York Giants. O time teve uma grande temporada de cinderela, pois sua última temporada de destaque foi em 1900, quando terminou em 3° lugar e no ano anterior ficou com um recorde de 68-60. Ninguém esperava esse time, era de fato o grande azarão da série.

Comandados por Pat Moran, o time tinha uma grande estrela na figura de Edd Roush (top 5 em todas as estatísticas ofensivas da liga nacional) e bons complementos ao redor, como o terceira-base Heinie Groh e o primeira-base Jake Daubert. O resto do time era mediano para menos, mas contava com uma rotação de arremessadores sólida. Hod Eller teve uma temporada muito boa, com 2.39 de ERA em 248.1 entradas, 137 strikeouts em 38 jogos, Dutch Ruether teve 1,82 ERA em 33 jogos e Slim Sallee liderou o time em vitórias com 21-7 de recorde, 2.06 ERA e 22 jogos completos em 29 disputados.

Pos Player G AB H Avg. HR RBI
OF Edd Roush 133 504 162 .321 4 71
1B Jake Daubert 140 537 148 .276 2 44
2B Morrie Rath 138 537 142 .264 1 29
3B Heinie Groh 122 448 139 .310 5 63
SS Larry Kopf 135 503 136 .270 0 58
OF Greasy Neale 139 500 121 .242 1 54
C Ivey Wingo 76 245 67 .273 0 27
OF Rube Bressler 61 165 34 .206 2 17

 

Player G IP W L ERA SO
Hod Eller 38 248.1 19 9 2.39 137
Dutch Ruether 33 242.2 19 6 1.82 78
Slim Sallee 29 227.2 21 7 2.06 24
Ray Fisher 26 174.1 14 5 2.17 41

 

 

O time era de fato bom, não era um catadão de pessoas aleatórias com um uniforme como muitos pintam, afinal, 0,685% de aproveitamento em vitórias não é para qualquer um. O problema era quem estava do outro lado, um time que era praticamente um Dream Team.

Chicago White Sox de 1919

O time das meias brancas teve um excelente ano após o retorno da sua estrela “Shoeless” Joe Jackson, terminando a temporada 88-52 e como melhor ataque do país. O time tinha grandes estrelas além de JJ, contava com os lendários infielders Eddie Collins e Buck Weaver, além de outras duas lendas no montinho, Eddie Cicotte e Red Faber. Eddie inclusive terminou com números impressionantes, 1.82 ERA em 306.2 entradas, 110 K, 29-7 de recorde (se isso não é número pra MVP eu sou um ganso). Além de outros ótimos nomes como Lefty Williams e Dickey Kerr.

Esse time era uma verdadeira máquina (não uma grande máquina, mas uma máquina), que esmagaria qualquer um que estivesse no seu caminho. Não apenas eu digo isso, as bolsas de apostas da época também pensavam assim, dando as chances dos Sox vencerem em 4 de 5, ou -125 nos valores modernos. Era esperado um domínio completo, mas as bolsas estavam meio desinformadas, digamos assim…

Pos Player G AB H Avg. HR RBI
LF Joe Jackson 139 516 181 .351 7 96
2B Eddie Collins 140 518 165 .319 4 80
RF Nemo Leibold 122 434 131 .302 0 26
3B Buck Weaver 140 571 169 .296 3 75
1B Chick Gandil 115 441 128 .290 1 60
C Ray Schalk 131 394 111 .282 0 34
CF Happy Felsch 135 502 138 .275 7 86
SS Swede Risberg 119 414 106 .256 2 38
Player G IP W L ERA SO
Eddie Cicotte 40 306.2 29 7 1.82 110
Lefty Williams 41 297 23 11 2.64 125
Dickey Kerr 39 212.1 13 7 2.88 79
Red Faber 25 162.1 11 9 3.83 45
Win Noyes 1 6 0 0 7.50 4
Charlie Robertson 1 2 0 1 9.00 1

 

Ingresso para um dos jogos da série

A Série mundial

Jogo 1, festa no Cincinnati’s RedLand Field, 30.511 espectadores pagaram a bagatela de $50 (muito dinheiro na conversão para o real) numa tarde ensolarada de outono, todos esperavam um grande jogo de bola ali. Eddie Cicotte caminha em direção ao montinho, Morrie Rath se prepara, o umpire anuncia: Play ball! Vem o arremesso… bola rápida no meio da zona, strike 1. Murmúrios no banco dos Sox. Lá vai Eddie de novo, e… damn! Hit by pitch, bem nas costas dele, suspiros de alívio são ouvidos entre os jogadores das meias brancas, por quê? Logo eu explico. A partir dali o jogo prosseguiu do jeito que nem o mais otimista redleg sonharia, 9-1 com 5 corridas na quarta entrada, mas calma, você ainda não viu nada.

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Chicago 0 1 0 0 0 0 0 0 0 1 6 1
Cincinnati 1 0 0 5 0 0 2 1 X 9 14 1
WP: Walter “Dutch” Ruether (1–0)   LP: Eddie Cicotte (0–1)

 

Jogo 2. “O que aconteceu ontem? Foi um pesadelo? Não sei, mas foi bem estranho. Vamos ver o que vai acontecer hoje, Lefty Williams no montinho, não acho que aquilo vá acontecer de novo, foi muita sorte deles. Que horas é o jogo mesmo querida? 3 horas? Ótimo, já temos planos para essa tarde.”

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Chicago 0 0 0 0 0 0 2 0 0 2 10 1
Cincinnati 0 0 0 3 0 1 0 0 X 4 4 3
WP: Harry “Slim” Sallee (1–0)   LP: Lefty Williams (0–1)

“O quê? Uma até vai, mas duas partidas não. Te digo Mônica, tem coisa aí, nesse mato tem coelho. Nunca vi eles rebatendo tão mal assim.”

Jogo 3. Depois de 9h dentro do trem os jogadores chegaram no Comiskey Park, em Chicago. Descansar? Não, jogar bola, vamos, hoje às 14h. (Que mané descansar, o time nessa situação e o cara quer descansar)

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Cincinnati 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 3 1
Chicago 0 2 0 1 0 0 0 0 X 3 7 0
WP: Dickie Kerr (1–0)   LP: Ray Fisher (0–1)

Vitória do time das meias brancas, ou encardias, já que o dono do time era muquirana e não lavava os uniformes dos jogadores. 3 a 0 e desempenho “fora do comum” do arremessador calouro Dickie Kerr. As coisas começam a dar um ar de normalidade.

Jogo 4. Agora vai deve ter pensado os torcedores do White Sox (na verdade, todo mundo que tinha senso de realidade deve ter pensado assim), jogo 4, era hora de mostrar que os resultados ruins foram apenas acaso.

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Cincinnati 0 0 0 0 2 0 0 0 0 2 5 2
Chicago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 3 2
WP: Jimmy Ring (1–0)   LP: Eddie Cicotte (0–2)

“Cicotte foi pro montinho de novo, agora jogou num nível mais “normal”. Cedeu só duas corridas, mas meio que ajudou elas, muito estranho ainda, será que foi nervosismo?” “Mônica, eu não sei, mas isso tá muito estranho, ele não faz isso, esse não é o White Sox que eu conheço.”

Jogo 5. Todo mundo estava desconfiado desse time das meias brancas, muitos erros inexplicáveis, que acontecem, mas não de maneira tão seguida. Nesse jogo então, não foram um nem dois, foram três erros cruciais de defesa, algo inexplicável. Todo mundo já tinha percebido, mas ninguém queria ser o primeiro a acusar golpe.

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Cincinnati 0 0 0 0 0 4 0 0 1 5 4 0
Chicago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 3 3
WP: Hod Eller (1–0)   LP: Lefty Williams (0–2)

A dita série que seria Sox in 5 estava agora 4-1 pros reds, quem poderia apostar numa casualidade dessas?

Jogo 6. Faixas e palavras de ordem são ouvidas nos arredores da pousada onde o White Sox se instalou: “Acobou a paz!”; “Ou joga por amor ou por terror”; “Se Lefty Williams é arremessador eu sou uma carroça”; “Mercenários”. O time resolveu então jogar bola a partir dali, chegaram no campo com sangue nos olhos e boné pra trás.

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 R H E
Chicago 0 0 0 0 1 3 0 0 0 1 5 10 3
Cincinnati 0 0 2 2 0 0 0 0 0 0 4 11 0
WP: Dickie Kerr (2–0)   LP: Jimmy Ring (1–1)

“4-2, será que dá pra virar? Dickie Kerr foi muito bem, de novo.” “Tudo nas mão do Cicotte, eu não apostaria nisso.”

Jogo 7. Perguntado se colocaria Eddie Cicotte no jogo mais importante da temporada até ali, o manager Kid Gleason, de maneira muito emocionada disse: “That’s my Quarterback Pitcher”! O jogador ouviu isso e não desapontou seu mentor. Vitória do White Sox, mas naquelas…

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Chicago 1 0 1 0 2 0 0 0 0 4 10 1
Cincinnati 0 0 0 0 0 1 0 0 0 1 7 4
WP: Eddie Cicotte (1–2)   LP: Harry “Slim” Sallee (1–1)

A série que estava tão encaminhada para os reds de repente estava próxima, o que ilustra muito bem a dominância e superioridade do time de Chicago, mas algumas pessoas não gostaram muito disso, e eu não estou falando dos torcedores do Cincinnati Reds.

Jogo 8. Durante a viagem de volta para Chicago, um grande fã da equipe chamado Harry F. disse algumas palavras de incentivo ao arremessador escalado para a partida seguinte, Lefty Williams. Lembrou-o da sua esposa e da segurança pessoal do seu matrimônio, e de como a vida era um sopro e deveria ser aproveitada intensamente, principalmente da honra das pessoas em cumprir suas pendências. Essas palavras tiveram grande impacto na atuação de Lefty no dia seguinte.

Team 1 2 3 4 5 6 7 8 9 R H E
Cincinnati 4 1 0 0 1 3 0 1 0 10 16 2
Chicago 0 0 1 0 0 0 0 4 0 5 10 1
WP: Hod Eller (2–0)   LP: Lefty Williams (0–3)
Home runs:
CIN: None
CWS: Joe Jackson (1)

Cincinnati 10 – 5 Chicago.

5-3. A primeira franquia profissional de beisebol era finalmente campeã mundial.

Manchetes de jornal demonstram a surpresa popular

A série havia acabado, mas não a polêmica. Muitos já haviam percebido, o White Sox perdeu a série de propósito, vendeu a World Series para apostadores. Vou contar mais.

Contexto:

Charles Comiskey, dono do Chicago White Sox, era uma pessoa muito mesquinha. Não pagava o merecido para o seu time, não fazia manutenção nas instalações, nem mesmo lavava os uniformes dos seus jogadores, mesquinho a ponto de pedir para o manager do time tirar Eddie Cicotte dos últimos jogos, para não ter que pagar o bônus de 30 vitórias do seu contrato. Ninguém do time gostava do dono, além disso, lembremos que muitos dos jogadores tinham que ter empregos seculares na intertemporada, pois os salários não eram suficientes para sustentá-los de novembro a março. Eles já estavam passando do auge, não iriam durar mais muito tempo, não tinham muito dinheiro e tinham ódio do dono do time, o que eles poderiam fazer?

A escândalo vindo a tona

A fraude

Num belo dia, o primeira-base da equipe, Chick Gandil convidou alguns apostadores e companheiros de equipe dispostos a vender a série para o seu quarto de hotel, em Nova Iorque, ali começaram as reuniões com os apostadores e foram definidos os valores e o sinal da trapaça, um hit by pitch no primeiro arremesso do jogo. Os jogadores que faziam parte do esquema eram:

-Chick Gandil, primeira-base

-Eddie Cicotte, arremessador. Admitiu culpa.

-Oscar Felch, campista-central

-Charles Risbers, shortstop

-George Weaver, terceira-base.

-Lefty Williams, arremessador

-Fred McMulin, infielder reserva. Chantageou pra entrar no esquema

Asterisco especial para “Shoeless” Joe Jackson. Ele nunca participou de nenhuma reunião do grupo e segundo Lefty Williams, seu companheiro de quarto, eles colocaram o nome dele nas conversas para dar credibilidade para a fraude. Durante a série, JJ teve .375 de BA, 6 RBI e 1 HR, em 30 possibilidades de defesa, não cometeu nenhum erro e eliminou 5 corredores em base. Os jogadores que admitiram terem roubado sempre isentaram JJ de culpa e até a sua morte ele negou qualquer envolvimento. Mesmo assim, ele é listado como um dos “ladrões” e sofreu as mesmas punições que todos acima.

O valor combinado era $20.00 por jogo perdido, um total de $100.000 a ser dividido entre todos os jogadores.

Durante os jogos, os participantes do esquema jogavam propositalmente mal. Erros inexplicáveis, desatenção, arremessos ruins, más atuações com o bastão, etc. Isso acabou levando a um score de 4-1 para os reds na série, mas e o dinheiro? Como não estavam recebendo como combinado: logo depois das partidas, os jogadores começaram a ganhar os jogos para colocar pressão nos apostadores, até que foram ameaçados e forçados a perder o jogo 8 da série.

Kenesaw Landis, recém empossado como comissário

Julgamento e justiça paralela

Eddie Cicotte admitiu todo o esquema um ano depois, dando início as investigações, logo depois, os jogadores que faziam parte do esquema e os apostadores foram acusados formalmente por fraude. Após um julgamento que recebeu muita cobertura da mídia e provas chave do julgamento terem misteriosamente sumido, os jogadores foram considerados inocentes pelo júri, mas não acaba por aí.

A decisão de um tribunal não era suficiente para o comissário da liga, juiz Kenesaw Landis, que queria cima de tudo dar um ar de limpeza na manchada reputação da liga. Ele anunciou que independente da decisão do júri baniria os envolvidos na manipulação para sempre de qualquer assunto relacionado ao beisebol, e quem tentasse ajudá-los seria banido também.

Os jogadores banidos ainda tentaram voltar a praticar o esporte de alguma maneira, mas Landis quis garantir que isso jamais pudesse acontecer e decretou que qualquer um que jogasse com eles seria banido e o estádio perderia a licença para sediar partidas de beisebol. Assim, terminou a carreira dos oito participantes da trapaça, banidos para sempre do esporte que amavam.

Fala torcedor:

Convidamos o pessoal do Meias de Chicago, podcast sobre o Chicago White Sox oficial da casa Fumble na Net para falar sobre o escândalo:

“Acho que a opinião da grande maioria dos torcedores é que ficou uma mancha na história do clube o escândalo, mesmo com os jogadores fazendo por uma “boa causa” (que era serem mal pagos e as cláusulas de contrato ridículas da época) Torcedores de outros times as vezes comparam o escândalo da lata de lixo do Astros com o White Sox, falando que ambos são times sujos, porém o escândalo no White Sox custou a World Series pra gente, já no Astros acabou dando uma WS pra eles, e a MLB ignorou totalmente isso e deu uma punição ridícula, enquanto que com o White Sox, os jogadores foram banidos pra vida do beisebol. Nisso também aconteceu a injustiça de banir o Shoeless Jackson, que era a estrela do time e que muitos rumores confirmam que não participou do escândalo, mas que acabou sobrando pra ele, até hoje tentam fazer com o que o banimento seja desfeito e ele entre no HoF”

Então é isso amigos, espero que todos tenham apreciado a leitura, links para maiores e mais sérias informações estão abaixo. Enquanto durar o lockout, vamos continuar falando desse e outros assuntos históricos relacionados ao beisebol. Obrigado se você leu até aqui, continue se cuidando, fora Manfred e viva o beisebol!

 

Fontes e Matérias para ler:

-https://en.wikipedia.org/wiki/1919_World_Series

-https://en.wikipedia.org/wiki/1919_Chicago_White_Sox_season

-https://edesporto.com/black-sox-o-escandalo-de-corrupcao-que-84357

-https://en.wikipedia.org/wiki/1919_Cincinnati_Reds_season

-https://youtu.be/aG6Z5C0hD04 Documentário do History Channel

-Filme Eight Men Out, disponível para alugar no Prime Video

DEIXE UMA RESPOSTA