Na temporada passada, o San Diego Padres era o Robin Hood da divisão. Jogava como um leão contra os grandes e promovia entregadas homéricas para as equipes ruins, termo que os próprios norte-americanos utilizam para nominar os times com aproveitamento abaixo de 50% na temporada. Já neste ano a história parece ser outra. Depois de uma empolgante performance contra o Arizona Diamondbacks, que não deve incomodar ninguém, coube ao San Francisco Giants devolver as sandálias da humildade ao San Diego Padres, mostrando que ainda vamos ter que ralar muito para fazer frente aos campeões de divisão e ao Los Angeles Dodgers, outro favorito da chave.

Game 1: San Francisco Giants 2×4 San Diego Padres

Embalado pela boa performance em Phoenix, o San Diego Padres partiu com tudo para cima do San Francisco Giants, que podemos dizer foi surpreendido em casa. Apresentando o mesmo jogo coletivo visto no deserto do Arizona, os Padres venceram por 4 a 2 e – de certa forma – acordaram o Gigante.

O jogo começou com os irmãos Rogers trocando as escalações. Foi apenas a quinta vez na história da MLB que irmãos gêmeos idênticos estiveram em campo, atuando por times diferentes. No nosso caso, Taylor Rogers atuou por uma entrada completa, fechando a partida em doze arremessos, com dois strike outs. Já seu gêmeo errou na sétima entrada, permitindo uma corrida dos Padres.

O segunda base Jake Cronenworth e o primeira base Eric Hosmer lideraram a equipe em rebatidas, com duas cada. Os café e ouro chegaram a dez rebatidas no jogo, mantendo um bom aproveitamento no bastão. Isso mesmo com a zona do strike do tamanho da cabeça de um alfinete para nós, enquanto para os Giants estava do tamanho do bumbum de um elefante. O @umpirescorecard prova isso.

O jogador de campo externo Trent Grisham (impulsionado por Jake Cronenworth), o apanhador Austin Nola (em um home run solo), o terceira base Manny Machado e o interbases Ha-Seong Kim (impulsionado por Machado) anotaram as corridas da equipe de Bob Melvin.

O apanhador de campo externo Jurickson Profar apareceu bem defensivamente em dois momentos. Na segunda entrada, defendeu uma rebatida de Dubón, mas perdeu milésimos de segundo preciosos procurando a costura da bola e Estrada pontuou. Na sétima, buscou no espaço de Trent Grisham uma difícil rebatida de Ruf. Ofensivamente, teve a chance de um novo grand slam, na quarta entrada. Menos mal que impulsionou a corrida de Machado de volta para casa.

Foi sim um jogo que nos iludiu, mas não se bate um Gigante em sua casa impunimente …

Game 2: San Francisco Giants 13×2 San Diego Padres

Sapatada, chinelada, chocolate, traulitada, tijolada, entre outros. Difícil encontrar um adjetivo para definir o que aconteceu na noite de terça-feira (12) no belíssimo Oracle Park. Tendo a classificar como uma aula de beisebol. E que veio no momento certo, na hora em que ainda podemos perder e também no início da temporada, quando fica mais fácil assimilar qualquer golpe.

Começa com uma atuação abaixo do japonês Yu Darvish. O arremessador abridor, que foi perfeito no primeiro jogo da temporada, não teve um bom desempenho e cedeu oito rebatidas e nove corridas nas 1.2 entradas em que atuou (jogou por uma entrada inteira e eliminou dois adversários na segunda). Conseguiu apenas duas eliminações por strike, mas sabemos não ser esse o seu jogo. O arremessador com maior repertório de bola em toda MLB pode e vai entregar muito mais no decorrer da temporada. Fora que todos temos direito a um dia ruim na vida.

Passaram ainda pelo montinho na fatídica noite Nabil Crismatt (1.1 entradas), Austin Adams (1.1 entradas, sem acertar bolada em ninguém), Dinelson Lamet (1.2 entradas), Robert Suarez (1.0 entrada) e Wil Myers (1.0 entrada). Destes, Lamet teve o melhor desempenho, com quatro strikeouts. Alguns podem estranhar o fato do apanhador de campo externo Wil Myers constar nesta lista, porém é uma prática mais comum do que parece. Quando um jogo está perdido, o treinador poupa seus relievers (arremessadores reservas/bullpen). Foi assim no ano passado, com Jake Cronenworth, contra os Los Angeles Dodgers.

E por falar em Wil Myers, ele foi o jogador do San Diego Padres com o melhor desempenho em campo, em plena tragédia. Esteve quatro vezes ao bastão, conseguiu rebater em duas e foi responsável por impulsionar um amiguinho. As corridas foram anotadas pelo rebatedor designado Luke Voit e pelo polivalente Matt Beaty, que na ocasião atuou na primeira base.

De resto, esta humilhação entrou na história do beisebol pelo ineditismo de uma mulher trabalhar como técnica de base na MLB. O contexto que levou a auxiliar técnica Alyssa Nakken até o campo de jogo, deixamos para lá. Mas não podemos deixar de enaltecer o feito, mesmo sendo ela da equipe adversária. Para o nosso azar, vão falar eternamente deste jogo (coisa que o torcedor do Padres está acostumado). Por sorte, para portais como o Globo Esporte o placar foi de 10 a 1. Nunca noticiam o beisebol e quando o fazem, fazem errado…

Game 3: San Francisco Giants 2×1 San Diego Padres

No jogo da ressaca, de apenas nove rebatidas no total, o San Francisco Giants foi menos incompetente e venceu por 2 a 1, fechando a série pela mesma contagem. No duelo de Logan Webb contra Sean Manaea, o Aquaman da baía de San Diego levou a pior. Mas teve um bom desempenho no geral, com um ERA de 1.38, contra 1.29 do rival. Jogou por seis entradas e poupou o bullpen.

Steven Wilson completou o serviço, atuando por outras duas entradas. Não, a conta não está errada. O jogo segue tendo nove tempos. Mas neste caso em específico, os Padres como visitante atuou primeiro na nona entrada. Como não alcançou a pontuação dos Giants, não foi necessária a realização do que chamamos de parte baixa do inning, entrada ou tempo.

Tudo porque os Padres até chegaram a colocar três jogadores em base na parte alta da nona. Com dois eliminados, uma rebatida simples de Matt Beaty igualaria o placar, possivelmente levando o encontro a uma entrada extra. Mas Camilo Doval levou a melhor no duelo, não dando qualquer chance ao azar.

Com a basebolinha voando, Jake Cronenworth alcançou duas rebatidas – uma delas tripla – nas quatro vezes em que esteve ao bastão, sendo o nosso destaque ofensivo. Acabou eliminado na tentativa de roubar o homeplate, após rebatida de Luke Voit. Também foi bem defensivamente, comandando uma eliminação dupla na sexta entrada.

A corrida foi anotada por Manny Machado, que também rebateu para uma corrida até a segunda base. As duas corridas dos Giants ocorreram na segunda entrada, em rebatida dupla de Williams. Por fim, Jurickson Profar apareceu com uma rebatida dupla na sétima entrada. E foi só.

Com perdão do trocadilho, Webb (que não é o James) mandou o Padres para o espaço, mais precisamente para L2 (que não é Lagrange 2, mas sim Loss 2). Brincadeiras a parte, estamos a 84 vitórias de quebrar as estatísticas. E agora, que venham os bravos campeões de Atlanta.

Autor: Henrique Porto

DEIXE UMA RESPOSTA