Chegou a hora de fazer o último mock da temporada! Quando comecei a fazer, achei que seria possível selecionar um quarterback na primeira rodada, mas em nenhuma das simulações consegui bons cenários para subir e draftar um dos top cinco prospectos.Nos três mocks, evitei selecionar dois prospectos da mesma posição em uma mesma escolha, a exceção de cornerback, que vejo como vital escolher nas duas primeiras rodadas. Vamos às escolhas.

  • 1ª Rodada (28ª Escolha) – Jeremiah Owusu-Koramoah, Linebacker, ND

Com o draft recheado de bons prospectos ofensivos, podemos ver cenários em que jogadores defensivos avaliados no top 15 caírem para o final da primeira rodada e, nessa escolha, o Saints adota a estratégia de melhor prospecto disponível (pelo menos no meu board). A classe de linebackers tem jogadores interessantes, Parsons é o melhor, Collins tem ótimo tamanho e joga muito bem em zona e pressionando o quarterback adversário e Jamin Davis subiu rapidamente nos boards pela liga.

Mas o meu prospecto favorito é Koramoah, jogador atlético, versátil, ótimo na cobertura, com bons instintos e um verdadeiro playmaker com bom retrospecto de criar turnovers na universidade. Apesar de ser um pouco menor do que a média dos linebackers, ele representa a nova geração da posição da liga. O atleta de Notre Dame tem o potencial para ser um dos grandes jogadores defensivos da NFL e pode causar impacto já em seu primeiro ano.

 

  • 2ª Rodada (53ª Escolha) – Asante Samuel Jr, Cornerback, Florida State

Detalhes da Troca (Saints envia a escolha de número 60 e uma escolha de 3ª rodada de 2022 para o Tennessee Titans em troca da escolha de número 53).

Muitos mocks projetam Samuel na primeira rodada e, apesar de achar que ele não sairá a essa altura, fiquei surpreso ao vê-lo disponível na escolha de 53, por isso não pensei muito para fazer a troca.

A verdade é que, se fosse um jogador mais alto, ele seria um first round lock, e como muitas equipes da liga devem limitá-lo ao slot, seu draft stock estará machucado. Mesmo sendo um pouco baixo vejo, em Samuel, qualidades que possam fazer com que renda jogando aberto, é um prospecto agressivo, veloz e com bons instintos. A liga atualmente tem cornerbacks de sucesso da mesma altura de Samuel, e ele pode acabar se tornando um grande jogador da posição.

 

  • 3ª Rodada (98ª Escolha) – Robert Rochell, Cornerback, Central Arkansas

Temos apenas dois cornerbacks com calibre de titular no elenco, Lattimore e Patrick Robinson, por isso duas escolhas consecutivas para a posição. Confesso que não tinha visto nada do Rochell até dois dias atrás, mas fiquei muito intrigado. Além da sua óbvia produção na universidade (9 INT e 28 PD entre 2018-2019), ele mostrou muito atleticismo. Por ser de uma escola menor talvez não atraia muito a atenção da liga e caia nos boards. Mas acredito que ele possa ser um dos steals do draft e uma secundária com Lattimore, Rochell, Samuel Jr, CJGJ, Jenkins e Marcus Williams teria um vasto repertório de formações e chamadas.

 

  • 3ª Rodada (105ª Escolha) – Tommy Tremble, Tight End, ND

Atualmente, temos Adam Trautman e Nick Vannett como tight ends no elenco e precisamos encorpar a posição. Tremble é um exemplo de atleta que sua produção foi bem aquém de seu potencial, e isso é explicado pelos outros tight ends do ataque de Notre Dame, que de fato são jogadores superiores, como Cole Kmet em 2019 e Michael Mayer em 2020. Vejo Tremble como o terceiro tight end desta classe e acredito que, se colocado na posição ideal, pode se tornar um jogador de destaque na NFL.

 

  • 4ª Rodada (133ª Escolha) – Dayo Odeyingbo, Defensive End, Vanderbilt

Em condições normais, Odeyingbo já teria sido selecionado a esta altura do draft, porém, sua lesão no calcanhar de achilles durante o Senior Bowl colocará um ponto de interrogação em relação a sua saúde, sua disponibilidade para a temporada, ainda é incerta. O defensor precisará portanto, de paciência, mas caso consiga se recuperar e voltar a jogar em alto nível, se tornará uma barganha. Prospecto alto, versátil e extremamente técnico, Odeyingbo talvez precise ganhar massa para jogar na NFL, mas o talento está lá.

 

 

  • 6ª Rodada (218ª Escolha) – Cornell Powell, Wide Receiver, Clemsom

Vejo Powell como um dos sleepers da posição, com os prospectos testando números absurdos no 40-yd dash time, outros jogadores podem cair consideravelmente. Foi o caso com o recebedor de Clemsom. Mesmo com uma produção de não encher os olhos na universidade, o wide receiver é excelente em rotas, tem boas mãos e é um jogador físico. Por não ter uma velocidade elite, eu projeto Powell sendo inicialmente alinhado no slot.

 

 

  • 7ª Rodada (229ª Escolha) – Larnel Coleman, Tackle, Massachussets

Depth em linha ofensiva é sempre importante e acredito que chegará em algum momento no draft. Para ser sincero não tem muito material disponível para analisar Coleman, mas pela pequena amostra e por algumas análises, pareceu ser um jogador atlético e cru, que talvez nem esteja disponível a esta altura. Vale a aposta.

 

 

  • 7ª Rodada (255ª Escolha) – Ian Book, Quarterback, ND

Qualquer escolha de quarterback após a terceira rodada é com a intenção de, caso ele chegue de fato ao elenco final, ensinar e desenvolver o prospecto. Nunca sabemos se Sean Payton está de fato falando a verdade, mas ele elogiou Book como um jogador para as rodadas finais do draft.

O quarterback é o jogador mais vencedor da posição na história de Notre Dame, onde mostrou ser preciso e um líder natural. É um atleta baixo, que não mostrou força no braço e apresentou outros problemas consideráveis. No geral, Ian Book só terá alguma chance de prosperar na liga se for para algum time com a paciência necessária de lapidar e corrigir seus erros.

DEIXE UMA RESPOSTA