Se na temporada passada jogar em Petco Park foi a fortaleza do San Diego Padres, nesta parece estar sendo a criptonita. São 11 vitórias e 9 derrotas no melhor ballpark da América. Desta vez, quem veio, viu e venceu na Baixa Califórnia foram os cervejeiros de Milwaukee. Uma série equilibrada, econômica e esquisita, onde quem saiu vencendo os jogos acabou derrotado. Assim como quem saiu vencendo a própria série…

Game 1 – Milwaukee Brewers 2, San Diego Padres 3

Na noite de segunda-feira (23), enquanto o Mundo conferia as imagens do martelo de Thor pela internet, San Diego Padres e Milwaukee Brewers protagonizavam um duelo épico pela temporada regular da MLB. Destaque para os arremessadores abridores, o fiel Martinez e o cervejeiro Houser, que conseguiram segurar os ataques com um baixo percentual de rebatidas enquanto em campo estiveram. Bem verdade que Houser foi mais dominante, enquanto Martinez acabou jogado contra as cordas por diversas vezes durante a partida, sempre conseguindo se reerguer. Na segunda entrada chegou a ficar com as esquinas ocupadas. Eliminou um rebatedor, mas não conseguiu eliminar Taylor, que rebateu a bolinha para o campo externo e contou com toda a displicência de Grisham para impulsionar duas corridas. Na quarta entrada, as bases foram todas ocupadas, mas Cronen salvou os Padres com uma defesa espetacular, voando sobre a bolinha para fazer a defesa e acionando com perfeição Hosmer para obter a terceira eliminação. A tal da Cronenzone, em estado puro.

Os Padres deram o ar da graça na quinta entrada, quando Grisham começou a jornada de rendição ao impulsionar Voit da primeira para a terceira base. Depois Alfaro se ofereceu em sacrifício e ganhou o tempo necessário para trazer Voit de volta para casa e descontar. Brewers 2×1. Na sétima, Myers rebateu uma dupla, chegando até a terceira base na sequência. Foi então que Grisham voltou a aparecer, se redimindo em definitivo de seu pecado na segunda entrada. Com um bunt espetacular, trouxe Myers de volta para casa. O bunt, uma jogada tão difícil de se executar e tão menosprezada pelos norte-americanos. Em contrapartida, tão admirado pelos orientais, ao ponto de ter um desafio de precisão nos bunts em seus Jogos das Estrelas. Mas sufoco mesmo quem passou foi García. Escolhido para tentar fechar a partida na décima entrada, o arremessador do Café e Ouro começou mal e acabou lotando as bases sem nenhum eliminado. Porém, se sobressaiu jogando sob extrema pressão. Primeiro comandou uma dupla eliminação, do corredor da terceira base e depois do rebatedor. Na sequência, contou com a providencial ajuda de Hosmer para sair ileso de campo.

Na parte baixa da entrada extra, os Padres também lotaram as bases. Foi então que o improvável aconteceu. Com dois eliminados e o jovem Azocar no bastão de rebatedor designado, o cenário não se mostrava favorável. Mas Bob Melvin confiou e o venezuelano mostrou porque está na grande liga. Arrancou uma rebatida simples, que foi o suficiente para Machado completar a perna final do diamante e consolidar o triunfo por walk off. Padres 3×2. Os Padres jogaram e venceram com Cronenworth (SS e 2B), Machado (3B), Profar (LF), Hosmer (1B), Myers (RF), Canó (2B), Kim (SS), Voit (DH), Azocar (PR e DH), Grisham (CF) e Alfaro (C).

 

 

Game 2 – Milwaukee Brewers 4, San Diego Padres 1

Com um Blake Snell inconstante no montinho, os Padres perderam a segunda partida da série, disputada na terça-feira (24). Empolgada com o walk off da noite anterior, a equipe de Bob Melvin começou o jogo anotando uma corrida com Cronenworth. E foi só. Nem mesmo com Machado rebatendo duas em quatro e Hosmer rebatendo duas em três, os donos da casa voltariam a pontuar. Para piorar, os cervejeiros anotaram corridas na quinta e sexta entradas, forçando a saída de Snell da partida após a primeira eliminação do sexto inning. Ainda longe dos tempos de Snellzilla, encarou 21 rebatedores, eliminando sete por strikeout. Fez 104 arremessos, 63 deles strikes. Mas cedeu três rebatidas, sendo uma home run. Stammen entrou na partida e cedeu mais uma corrida antes de conseguir fechar a entrada. Depois, Wilson e Hill jogaram uma entrada cada, performando relativamente bem.

O problema realmente foi o ataque, que até chegou a rebater bem (oito vezes), mas não teve a força que apresentou em outros jogos para impulsionar corridas. Assim, sete atletas foram deixados em base no final das contas, fato que poderia ter mudado a história do encontro. Encontro este que os Padres alinharam e perderam com J. Cronenworth (2B), Machado (3B), Profar (LF), Hosmer (1B), Myers (RF), Canó (DH), Voit (PH e DH), Kim (SS), Grisham (CF) e Nola (C). Em tempo, Machado foi apanhado pela primeira vez na temporada em roubo de base, justamente pelo ex-Padres Caratini.

 

 

Game 3 – Milwaukee Brewers 2, San Diego Padres 1

A ‘Lei do Ex’ bateu forte do último jogo da série entre Padres e Brewers, disputado na quarta-feira (25). Quem brilhou foi Urias, o amigão do Tatis, que primeiro entrou em jogo com um walk, num dos poucos erros de Yu Darvish. Depois, roubou a terceira base de Machado no limite. Daí foi só esperar a rebatida que o impulsionasse para empatar o jogo na sétima entrada. Mesma entrada em que McCutchen virou e definiu o placar em favor dos cervejeiros. Os Padres haviam pontuado na quinta entrada, quando Profar impulsionou a corrida final de Nola. Na parte baixa da sétima entrada, Wong e Urias performaram a mais bela eliminação da partida, sobre Cronenworth, quando os Padres ameaçavam colocar dois em base com apenas um eliminado.

Porém, no geral o ataque não performou bem, com apenas cinco rebatidas em todo o encontro. Somado com os três walks, os Café e Ouro tiveram chance de conquistar um resultado melhor, mas prejudicaram outra atuação maiúscula de Darvish, que jogou por 6 entradas e duas eliminações, fez 108 arremessos e eliminou sete adversários por strikeout. Encarou 24 rebatedores e levou para casa um quality start (quando se arremessa pelo menos seis entradas e permite três corridas ou menos). Sem muito mais a falar desta partida onde os Padres alinharam e perderam com Cronenworth (2B), Machado (3B), Profar (LF), Hosmer (1B), Myers (RF), Voit (DH), Kim (SS), Nola (C), Canó (PH), Azocar (CF) e Grisham (PH e CF).

 

 

Próximas séries

Padres e Brewers voltam a medir forças no início de junho. Será em uma série melhor de quatro partidas, entre os dias 2 e 5, no Wisconsin. Em casa, os Café e Ouro voltam a jogar nesta sexta-feira, quando recebem os piratas de Pittsburgh numa série de três jogos até domingo. Paralelo aos jogos, teremos distribuição de toalha de praia, show de fogos de artifício e homenagens aos militares. Por fim, os comandados de Bob Melvin fecham o mês em Saint Louis, encarando os Cardinals no estado do Missouri.

Autor: Henrique Porto

DEIXE UMA RESPOSTA