Teremos algumas mudanças para a NFL até setembro e, provavelmente, para os próximos anos. Resta apenas analisar como a liga pode ser impactada

Com a atual crise por conta do COVID-19, tudo indica que teremos algumas mudanças para a NFL até setembro e, provavelmente, para os próximos anos. Resta apenas analisar como a liga pode ser impactada e como essas mudanças podem impactar todos os envolvidos.

Para 2020

Mudanças no calendário da temporada regular

De acordo com todas as indicações, a NFL pretende continuar sua temporada regular das maneiras já previstas. No entanto, caso isso seja impedido de alguma forma com a extensão das medidas após setembro, a liga já tem ideias de como reagir.

Começando com o cancelamento da pós-temporada e até das bye weeks de cada time (levando a temporada regular a 16 semanas); é possível também o cancelamento do Pro Bowl Levando as finais de conferência direto ao Super Bowl. A NFL também já vem negociando com Tampa Bay uma data “reserva” para o SuperBowl, garantindo que ele aconteça até dia 28. 

Os efeitos na free agency

Ninguém esperaria que Cam Newton e Jadeveon Clowney estariam disponíveis na free agency em pleno maio; porém a alta dificuldade em realizar exames físicos decentes nos melhores jogadores disponíveis impossibilita suas contratações.

Grande parte dos melhores nomes disponíveis provavelmente chegará em 2021 com algum time; mas a “pausa” dada nesse processo apesar do potencial do resto da classe é preocupante e até chega a ser triste para grande número dos jogadores. 

 Mudanças nos estádios e na presença de fãs

A liga já cancelou oficialmente sua International series 2020, coisa que pode levar o regresso das medidas de expansão da Liga de Futebol Americano nos últimos anos. Também, caso os jogos se mantenham em todos seus respectivos estádios, é difícil pensar que a lotação “máxima” de cada um não será reduzida como medida de segurança; já que muitos estados americanos ainda estão longe de liberar aglomerações em números que equivalem a lotação de um estádio de futebol americano.

Recursos para prevenção e contenção

Além dos fãs, a contaminação entre jogadores também pode ser um fator a ser levado em consideração. Já que com um ou dois jogadores contaminados em campos, já seria capaz de se infectar todos os outros mais de cem jogadores, técnicos e funcionários que ficam na sideline de cada time; portanto a NFL vira a levar a parte da prevenção muito a sério. Considerando que os testes para o vírus já estão escassos nos Estados Unidos em geral, assim que se normalizarem a situação, a liga provavelmente investirá alguns milhões na contratação de médicos e compra de testes para a temporada de 2020.

Com isso, também devemos pensar nos casos inevitáveis de jogadores que irão contrair o vírus, e quais serão as estipulações que a liga deverá estabelecer para evitar ao máximo o risco de contaminação aos demais.

Para o futuro

Com a muito provável queda drástica de renda, o salary cap para 2021 também entra em uma possível decaída histórica. Com isso, duas coisas são possíveis: ou uma grande parte dos jogadores será dispensado para salvar dinheiro de muitos times, ou nenhum time estará no cap ideal para 2021. Enfim, ambas seriam opções desastrosas para o futuro da NFL.

A NFLPA, depois de levar muitas críticas com o novo acordo trabalhista, provavelmente não deixaria que a NFL fizesse algo que tem tanto potencial para deixar grande número de seus jogadores desempregados. Ainda assim, cada vez mais os jogadores perceberão que a players association fez muito pouco para garantir sua segurança em uma situação tão atípica.

 

DEIXE UMA RESPOSTA