A família de Vincent Jackson, ex-wide receiver da NFL, doou o seu cérebro aos pesquisadores da Universidade de Boston. O ex-jogador foi encontrado morto em um quarto de hotel na Flórida há uma semana. Seu cérebro será submetido a um estudo para determinar se ele tinha encefalopatia traumática crônica.

A doença, também chamada de ETC, é associada aos repetidos traumas na cabeça. Ela só pode ser diagnosticada postumamente e a conclusão dos estudos pode demorar meses, de acordo com os pesquisadores da Universidade. A gravidade da doença de um jogador está relacionada ao número de anos que ele jogou na NFL e ao número de pancadas que sofreu.

Outro caso

O caso mais recente de ETC, e um dos mais famosos, foi o de Aaron Hernandez, ex-tight end dos Patriots que se suicidou enquanto cumpria prisão perpétua por assassinato. Seu cérebro foi submetido a um estudo e os pesquisadores da Universidade de Boston concluíram que ele tinha um caso extremo de encefalopatia traumática.

Obviamente, o diagnóstico não justifica qualquer ato criminoso cometido por Hernandez, tampouco o inocenta. Mas esse caso serviu como um alerta para ex-jogadores da NFL.

“Em qualquer indivíduo, não podemos usar a patologia para justificar o seu comportamento”, disse a Dra. Ann McKee, neuropatologista e diretora de pesquisa da Universidade de Boston ao The Guardian em 2017. “Mas podemos dizer que, de acordo com a nossa experiência, os indivíduos com ETC dessa gravidade (em referência à de Hernandez) têm dificuldade com controle de impulso e tomadas de decisão”, falou ela.

Diferente de Hernandez, acusado de assassinato, Vincent Jackson nunca demonstrou comportamento agressivo ou descontrolado. Além disso, ele foi indicado ao prêmio Walter Payton por quatro temporadas seguidas, ele fez parte da diretoria da NFL Players Association quando a mesma processou os donos dos times durante a negociação de contrato coletivo em 2011.

Filho de um militar que serviu ao exército americano, Jackson, junto da sua esposa, escreveu inúmeros livros infantis sobre como crescer em famílias de militares.

Os únicos delitos cometidos pelo ex-jogador, de acordo com dados do USA Today, foram duas prisões por dirigir alcoolizado, uma em 2006 e outra em 2009.

DEIXE UMA RESPOSTA