Numa última tentativa para chegar as olimpíadas de Tóquio, a seleção brasileira de basquete se concentra em Split, Croácia, e com bom desempenho, Numa última tentativa para chegar as olimpíadas de Tóquio, o Brasil se classifica para a semifinal do pré olímpico.

Tabela pré-Olímpico de Split — Foto: Divulgação
Tabela do pré olímpico

Desde já, é bom ressaltar que o Brasil precisaria vencer apenas um jogo do seu grupo para se classificar. Sobretudo, a seleção precisaria ganhar e se provar (algo que aconteceu), que mesmo sem suas estrelas da NBA, o time é competitivo.

Brasil 93 x 57 Tunísia:

Com uma grande atuação de Vitor Benite, Brasil ganha da Tunísia e praticamente se classifica as semifinais.

Brasil é melhor e vence a Tunísia no Pré-Olímpico de Split
Yago cumprimentando Vitor Benite – foto: divulgação/FIBA

Primordialmente, seria necessário para a seleção brasileira ganhar logo na estreia. Diante da fraca seleção africana, o Brasil teria, teoricamente, seu embate mais fácil de todo o pré olímpico.

Equilíbrio entre defesa e ataque

Seguindo à risca o que o técnico brasileiro Aleksandar Petrovic instruiu, a seleção começa muito bem defensivamente, sabendo marcar a principal arma ofensiva da Tunísia, Marnaoui. Ao mesmo tempo em que a defesa ia bem, ofensivamente Bruno Caboclo e Benite cumprem seu papel, sendo os principais jogadores no primeiro quarto que termina 21 x 21.

Imediatamente no início do segundo quarto, a Tunísia passa a frente no placar, mas o jogo muda completamente com a entrada do Yago, armador do Flamengo. A mudança deu oportunidade para a seleção conseguir abrir uma boa vantagem no jogo.

Benite tenta o arremesso contra a Tunísia — Foto: Thierry Gozzer/CBB
Benite tentando o arremesso livre de marcação

Segundo tempo tranquilo

Um bom terceiro quarto da seleção brasileira, com o único problema sendo colocar a Tunísia muitas vezes na linha do lance livre.

Um último quarto que foi importante para manter a vantagem, manter o favoritismo no jogo, e encaminhar a vitória.

Destaques: Vitor Benite (15 pts), Léo Meindl (10 pts e 5 rebtes)

Brasil 94 x 67 Croácia:

À primeira vista, enfrentar os donos da casa seria uma batalha difícil. Ainda assim, nossa seleção faz um primeiro quarto bem parelho com a Croácia, mesmo com algumas mudanças no quinteto inicial.

O técnico Petrovic deu o primeiro quarto de descanso para o armador Yago. Tivemos primeiro quarto com alguns erros bobos da seleção verde-amarela e com bastante reclamação contra a arbitragem. Bem como no jogo anterior, Bruno Caboclo vai muito bem junto ao Léo Meindl. Defesa brasileira, bastante inconsistente no mundial de 2019, mostra que está muito melhor nesse ano.

Yago entra no jogo:

O segundo quarto começa com a entrada do Yago no quinteto. E como sempre, impondo muita velocidade ao time, tanto com seus dribles como com seu passe. Mesmo com a seleção croata encostando no placar, graças às cestas de Bojan Bogdanovic, Brasil soube manter uma constância defensiva e ofensiva: defensivamente com Varejão e o interminável Alex Garcia; ofensivamente graças a passes de Marcelinho Huertas e bolas de três de Rafael Hettsheimeir.

Hettsheimeir tenta o arremesso para o Brasil — Foto: Divulgação/FIBA
Hettsheimeir tenta o arremesso para a seleção brasileira – Foto: Divulgação/FIBA

Tensão e domínio

O terceiro quarto foi bastante disputado. A seleção consegue abrir uma pequena vantagem no início do período, mas deixa a Croácia encostar no placar. Todavia, graças a ótimos momentos de Bruno Caboclo e Hettsheimeir, a pressão croata mal durou. Ou seja, o final do terceiro quarto termina com um elástico 71 x 55 a favor do Brasil.

O Brasil domina o último quarto, com grandes atuações de Marcelinho, Benite, Varejão e no geral todo o time do Brasil. Abrindo uma vantagem de trinta pontos, a seleção cravou o primeiro lugar do grupo e vai em busca de chegar nas olimpíadas.

Benite teve participação importante na vitória brasileira — Foto: Divulgação/FIBA
Benite e Varejão importantíssimos para a vitoria – Foto: Divulgação/FIBA

Destaques: Rafael Hettsheimeir (20 pts), Bruno Caboclo (17 pts), Marcelinho Huertas (8 assistências)

O que esperar dos próximos jogos:

Enfim, o Brasil só volta as quadras no sábado para o jogo da semifinal. Na minha opinião o Brasil, tem total competência de ganhar o pré olímpico. Tendo dois dias de folga, é o momento para o Petrovic e sua comissão consertarem o que podem achar de errado e preparem a seleção para ir com tudo para a semifinal.

Um apaixonado por esportes americanos, encontrei minha vocação no jornalismo e estamos nessa. Um sofredor por: Minnesota Twins, Minnesota Vikings, Minnesota Wild e Los Angeles Lakers. Tentando esquecer a final de conferencia da NFC de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA