Após um inicio avassalador de Tua Tagovailoa na NFL, o hype no Havaiano chegou a níveis estratosféricos, mas depois de uma atuação frustrante contra os Broncos, o técnico Brian Flores decidiu bancar o garoto alegando que Ryan Fitzpatrick daria mais chances de vitória à equipe. Baseado nisso, a pergunta que fica é, bancar Tua é o correto?

Será mesmo que foi o melhor a se fazer?

 

Segundo Adam Schefter, Flores disse que Tagovailoa não está lesionado e será o titular no próximo confronto contra os Jets. Embora Flores tenha jogado para vencer o jogo, colocar um Quarterback que você julga ser o futuro de sua franquia no banco pode, claramente, afetar o psicológico do jogador. Josh Rosen e Dwayne Haskins, por exemplo, são exemplos bastante atuais disso.

O que não falta na NFL são cases de sucesso de jogadores que tiveram uma atuação pífia, mas tiveram o aval de seus treinadores para continuar em campo e desenvolver autoconfiança necessária para atuar na NFL. Lamar Jackson é o caso mais recente disso. Igualmente a Tua, Lamar fez uma partida terrível contra os Chargers em sua estreia nos Playoffs em 2018. Contando uma torcida furiosa, pedindo a entrada de Joe Flacco durante a partida, o técnico John Harbaugh manteve Jackson em campo. Após isso, mesmo com a derrota, Lamar não se abateu e na temporada seguinte levou o prêmio de MVP.

O futuro membro do Hall da Fama da NFL, Peyton Manning é outro que continuou em campo mesmo com um resultado adverso. Manning detém o recorde de 28 interceptações lançadas por um calouro. A partir disso, se o então Head Coach dos Colts Jim Mora, tivesse bancado Manning, o mesmo teria se tornado o Quarterback que conhecemos hoje?

O movimento de Flores visando implementar uma cultura vencedora em Miami pode se dizer que foi bom, mas pensando no futuro de Tua à frente da equipe pode ter sido um movimento precipitado. Isso porque, pode afetar negativamente a carreira de Tua, além do mais, até o mais experiente dos Quarterbacks detestaria sentar no banco de reservas após um jogo ruim.

Foto de capa: Justin Edmonds/AP

DEIXE UMA RESPOSTA