A pós-temporada esta chegando ao fim, com apenas mais três semanas de NFL sobrando – sendo uma delas o Pro Bowl virtual. E com as finais de conferência chegando, nos cabe analisar as melhores duplas ofensivas de cada time.

Kansas City Chiefs: Travis Kelce & Tyreek Hill

Foto: Abbie Parr/ Getty Images

Kansas City pode não estar no mesmo ritmo de 2019 de todos os jeitos, mas seu ataque continua um dos melhores da NFL. E apesar da forte competição, seus talentos continuam inigualáveis.

Travis Kelce não apenas jogou como um candidato a ofensive player of the year, mas como um dos melhores tight ends na história da liga. Quebrando o recorde de jardas em uma temporada para um TE, além de ficar em segundo lugar nas jardas aéreas totais em 2020. Por isso, Kelce continua sendo um dos melhores da posição, e esse ano ele deu um pulo que entrou para a história.

Tyreek Hill não chega a ser subestimado, mas com uma estatura diferente dos outros jogadores na lista, muitos acabam esquecendo seu talento. O wide receiver pode até ser conhecido pela velocidade, mas seu talento com a bola não chega a ser mencionado o suficiente. Ano passado, Hill acabou o ano entre os cinco melhores na posição. Já esse ano, existem poucos argumentos que o tirem do top-10.

Buffalo Bills: Stefon Diggs & Cole Beasley

A pós-temporada esta chegando ao fim. Com as finais de conferência chegando, nos cabe analisar as melhores duplas ofensivas de cada time.
Foto: Bryan M. Bennett/Getty Images

A história começa com um fato simples, Stefon Diggs foi a arma mais consistente na liga durante a temporada regular. Com 15 jogos seguidos (e 17 totais na temporada) com pelo menos seis recepções; nove jogos com pelo menos 100 jardas; e a liderança em jardas totais na liga, Diggs mostrou que seu talento em Minnesota ainda não era seu estado final. 

Nessa temporada, por exemplo, Diggs ficou entre os três melhores recebedores da NFL, sendo uma das maiores razões para o sucesso de Josh Allen em 2020.

Em contraste a Diggs, temos um dos recebedores mais velhos da NFL, beirando seus 32 anos, mas longe do fim, Cole Beasley. Ele é uma arma curiosa, não necessariamente com características de número 1, mas com talento suficiente para fazer funcionar. Ano passado, ele foi um dos maiores pontos positivos em Buffalo, ajudando no desenvolvimento de Allen. Já nesse ano, junto a Brian Daboll e Diggs, eles não deixaram outra opção para o QB além de um ano espetacular. No geral, Beasley está exatamente onde deveria, e isso que o torna essencial para os Bills

Green Bay Packers: Davante Adams & Aaron Jones

Foto: Getty

A única opção que esses dois chegam a ter é a linha ofensiva maravilhosa dos Packers. Mas com um ataque que de outro jeito seria tão estagnado, é necessário reconhecer sua importância.

Adams é simplesmente o melhor recebedor da liga em 2020, apesar de perder alguns jogos, ele continua como uma das peças essenciais em GB. Na metade do ano, ele era o único concorrente para OPOY, mas com as lesões e algumas performances históricas de outros concorrentes, agora o prêmio já não é mais uma certeza.

Mesmo com14 jogos apenas na temporada regular, ele fica em terceiro lugar em jardas recebidas na temporada. Além disso, ele lidera a liga em TDs recebidos, com 18, Tyreek Hill, em segundo lugar, tem 15. Adams pode não ser essencial para que Rodgers seja Rodgers, mas seu impacto é indiscutível e, em um Super Bowl, a dupla destruiria.

Aaron Jones é a parte da dupla que começa a mostrar mais os defeitos dos Packers. Enquanto Adams teve uma temporada quase perfeita, o resto do ataque deixou Rodgers na mão várias vezes, e Jones foi um dos que menos cometeram o erro.

Dentro do ataque de LaFleur, Jones tem boas jogadas de maneira consistente, mas é difícil dizer se ele está entre os melhores, e ele dificilmente se mantém lá ano após ano. Apesar disso, ele é um bom runningback, em um esquema ótimo com uma das melhores linhas da liga e um grupo de reservas mais que competente. Com tudo isso, Jones, querendo ou não, está fadado ao sucesso.

Tampa Bay Buccaneers: Chris Godwin & Mike Evans

A pós-temporada esta chegando ao fim. Com as finais de conferência chegando, nos cabe analisar as melhores duplas ofensivas de cada time.
Foto: Mark Lomoglio/AP

Existe uma dificuldade em decidir os candidatos para essa vaga, já todos os jogadores de Tampa Bay decidiram ter anos ruins juntos a chegada de Tom Brady. O QB, em si, tem quase que carregado seus recebedores em alguns jogos, e os Buccaneers não estariam aqui se não fosse um homem de 43 anos.

A posição número um também é difícil de estabelecer, tanto Godwin e Evans perderam tempo lesionados e, em campo, nem sempre faziam uma diferença. Ainda assim, ambos geraram oportunidades suficientes para se manterem à beira dos melhores recebedores da NFL.

Antonio Brown cabe também como uma menção honrosa, já que o mesmo vem jogado melhor do que muitos recebedores em Tampa. Mas com 356 snaps na temporada, em contraste com 740 de Godwin e 917 de Evans, Brown foi apenas um asterisco em um time da Flórida em 2020.

Evans chegou a 13 TDs e passou das 1000 jardas em 2020, mas passou das 100 jardas apenas cinco vezes durante a temporada. Godwin jogou 13 jogos com 806 jardas e 7 TDs.

É óbvio que o elenco ofensivo de Tampa fica atrás do resto da lista, mas não deve subestimar um corpo de recebedores tão talentoso liderado por um quarterback que vem a jogar sua décima quarta final de conferência.

 

DEIXE UMA RESPOSTA