Tivemos grandes equipes na NBA campeãs nessa década. A dinastia do Spurs; o Lakers de Shaq e Kobe; o Heat de LeBron e DWade; e claro, os Warriors de Curry, Green, Durant e Thopson. Mas, qual o melhor time da década na NBA a não ser campeão?

Dá para imaginar Russell Westbrook, James Harden e Kevin Durant na mesma equipe? Pois bem, o Oklahoma City Thunder de 2011/2012 foi essa equipe. Sergi Ibaka, Kendrick Perkins, Derek Fisher e entre outros bons coadjuvantes também estavam nos finados Sonics do inicio dos anos 10, que formam, provavelmente, o melhor time não campeão da Liga Americana de Basquete.

A TEMPORADA DO THUNDER

Com nomes que viriam a ser MVPs da liga, o Thunder começou o ano apenas como uma equipe com um ótimo núcleo de jovens. Só para se ter uma noção, Durant e Westbrook tinham 23 anos e James Harden apenas 22.

Entretanto, apesar da idade, os jovens do Thunder tiveram uma temporada digna de veteranos renomados. Com um basquete rápido, jogo de transição acelerado e muito talento, a equipe do treinador Scott Brooks encantou na temporada de 2011/2012 do melhor basquete do mundo.

Foram 47 vitórias e 19 derrotas para a equipe de Oklahoma e consequentemente o segundo lugar da conferência, atrás apenas do Spurs de Greg Popovich com Duncan, Parken e Manu.

OS PLAYOFFS DO THUNDER

Durante os últimos anos, várias equipes monstruosas foram campeãs da NBA. No entanto, outras também ficaram pelo caminho. Qual delas era a melhor?

Na primeira rodada dos Playoffs, um gigante alemão seria o adversário. O Mavericks, de Dirk Nowitzki e atual campeão da NBA, pela frente seria um teste para a jovem equipe liderada por Kevin Durant. Mas o ‘patch’ no peito do adversário não incomodou o Thunder, que varreu a série e seguiu para enfrentar o Lakers de Kobe e Gasol.

Na semi-final de conferência, era muito clara a predominância do jogo rápido da jovem equipe do Thunder contra a já veterana e consagrada equipe de LA; que já via um Kobe muito mais velho do que anteriormente. E o 5x campeão e Hall Of Famer não foi páreo para a juventude de Oklahoma, que venceu a série por 4 a 1.

Quem imaginaria que nessa altura que essa equipe já estaria chegando em final de conferência? Com 23 anos, Durant já entrava na discussão de jogadores superstars e não só de uma jovem promessa. E pela frente na disputa pelo Oeste: o poderoso Spurs.

A equipe mais do que consagrada em playoffs de Greg Popovich havia conquistado a primeira posição e teria a vantagem de quadra em cima de uma equipe nada madura em playoffs; que mal tinha nascido após a mudança de cidade.

Mas Kevin Durant não tinha medo de nada. O ala dominou a série, terminando com uma média de 29.5 pontos por jogo na final do Oeste e assim a vitória por 4 a 2 veio com certa facilidade.

A FINAL DA NBA VS. UM LEBRON ‘MORDIDO’

okc

Na final, a jovem equipe de Oklahoma tinha pela frente o Heat de LeBron e Dwade, que haviam perdido a final passada para os Mavs. Com sede de vingança e ainda sem conquistar nenhum titulo, o King (e MVP da temporada) não queria deixar esse escapar de jeito nenhum.

Por sua vez, o Thunder teria a vantagem de quadra, já que fez uma temporada regular melhor. E o clima era muito legal em Oklahoma. Nessa época, o esquema das finais eram 2-3-2, jogando as duas primeiras e as duas últimas em casa. A cidade abraçou a equipe, que estava preparada para encarar o desafio final. (Ou será que não?)

OS PRIMEIROS JOGOS

No primeiro jogo em casa, o Thunder demonstrou sua força e bateu o Heat por 105-94. Diante disso, sabendo da importância do segundo jogo, a vitória era uma obrigação. Mas nessa hora, a experiência falou mais alto e o Heat empatou a série e com isso, teria a chance de ser campeão vencendo as três partida que faria em Miami.

No terceiro jogo, era nítida na cara dos jogadores de Oklahoma como eles estavam “perdidos” por estarem ali. Talvez a derrota em casa no segundo jogo tenha tirado toda a concentração que a equipe vinha tendo durante a temporada; já que foram três equipes campeões da NBA pelo caminho nos playoffs.

Durante o terceiro jogo, não faltou entrega. E por apenas 6 pontos, num placar de 91 a 85, Oklahoma saiu perdedor, vendo a série indo para 2-1 Miami. O quarto jogo começou de forma diferente, com o Thunder com outra pegada, lembrando aquele de toda a caminhada nos playoffs. Mas nem os 43 pontos de Westbrook foram capazes de parar a partida primorosa de Mario Chalmers e suas bolas de três e de novo os seis pontos de vantagem estariam no placar: 104 a 98.

OS ÚLTIMOS JOGOS DAS FINAIS DA NBA

Jogo cinco. Último jogo em Miami e 3 a 1 para o time da casa. Era a hora perfeita para ser campeão. LeBron James há um jogo de finalmente vencer as finais da NBA. A ansiedade de todo mundo do basquete por esse jogo era gigantesca.

A imprensa já pouco ligava para os jovens de Oklahoma, o jogo rápido já não era tão assustador no calor de Miami, diante do mar branco da torcida. Só restava ao Thunder um milagre, uma redenção por todo um ano digno de campeão da NBA. Voltar para casa com um jogo de desvantagem era quase um sonho para o torcedor de OKC. Mas o destino não queria que fosse a vez dos jovens. Vitória tranquila por 121 a 106, consagrando LeBron James como campeão da NBA pela primeira vez.

Por fim, desde esse jogo, OKC nunca mais conseguiu chegar em uma final de NBA. Hoje, do “big three” na época no Thunder, nenhum segue mais na equipe. Durant em 2014, Westbrook em 2017 e Harden em 2018 viriam à serem MVP nesses respectivos anos. Difícil imaginar que os três na mesma equipe hoje em dia desperdiçariam a chance de serem campeões da NBA.

DEIXE UMA RESPOSTA